Urbanismo – Seul


Seul transforma uma via elevada em um original jardim urbanoSkygarden reúne 228 espécies de árvores e plantas locais no centro de Seul.

Skygarden reúne 228 espécies de árvores e plantas locais no centro de Seul.

Com um quilômetro de comprimento, parque dispõe em ordem alfabética 228 espécies botânicas do país.

Algumas das grandes cidades do mundo querem voltar a acolher seus pedestres. Nesse processo, compreenderam que suas vias elevadas são apenas o símbolo de um progresso mal entendido. Por isso, muitas dessas construções estão sendo transformadas em parques urbanos a vários metros de altura, como o famoso High Line, em Nova York.[ad name=”Retangulo – Anuncios – Duplo”]

Seul, na Coreia do Sul, deu na semana passada um passo mais longo, criando em uma delas um viveiro em pleno centro. Mais de 24.000 árvores e plantas compõem esta gigantesca biblioteca botânica ao ar livre chamada Skygarden.

 

Nos últimos tempos, Seul foi notícia devido a casos de corrupção política e consequentes protestos de seus cidadãos. O Skygarden é por isso mais que uma cura verde para uma cidade de mais de 10 milhões de habitantes e mais de 3 milhões de veículos registrados; as autoridades tentam se reconciliar com propostas como essa com os habitantes da capital sul-coreana.

Seul transforma uma via elevada em um original jardim urbano

Este jardim urbano foi aberto ao público em meados de maio de 2017  / Estudo MVRDV


Você leu?: Mudanças climáticas forçam 20 milhões por ano a deixarem suas casas


Durante os anos setenta surgiram em Seul vias elevadas como tentativa de aliviar o excesso de tráfego. Na verdade, somente contribuíram para contaminar o ar. Seus elevados custos de manutenção e uma crescente consciência sustentável condenaram ao desuso essas estruturas.

A prefeitura da cidade permitiu a construção desse “dicionário botânico vivo”. É assim que gostam de chamá-lo seus criadores, do estúdio de arquitetura holandês MVRDV, quando falam do projeto com Verne.

Essa estrutura se transformou num calçadão com um quilômetro de comprimento que liga o famoso mercado Namdaemun a alguns bairros do centro. Nele se abrigam 228 espécies botânicas diferentes, a 17 metros de altura e em rigorosa ordem alfabética.

Seul transforma uma via elevada em um original jardim urbano

Vista noturna do Skygarden/ EFE

“O desafio era conseguir que um volume de cimento se tornasse algo mais natural e atraente, com um desenho prático e ecológico e que se preocupasse com o bem-estar e com o futuro das pessoas de Seul”, comenta Jareh Das, porta-voz do estúdio MVRDV, por e-mail.

Mas é preciso esperar para ver florirem muitas dessas espécies, trazidas de vários pontos do país. Com elas chegarão ao Skygarden muitas cores além das que são vistas nestes primeiros dias. “É a herança natural da Coreia do Sul levada para capital”, contam os holandeses.Seul transforma uma via elevada em um original jardim urbano

Desenho do estúdio MVRDV, que ilustra a variedade botânica que florescerá no Skygarden.

Para cumprir com as particularidades deste original projeto, a equipe de arquitetos trabalhou em colaboração com o escritório de engenharia sul-coreano KEDD e com o holandês Bem Kuipers, especialista em arquitetura paisagística.

Seus criadores tiveram que solucionar diversas exigências técnicas “ao frenético ritmo asiático”, relatam na MVRDV. O Skygarden nasceu em apenas dois anos, incluindo um complexo sistema de irrigação integrado ao solo em toda sua extensão.

A intenção é que o Skygarden repovoe o resto do país com os diferentes tipos de plantas e árvores que crescem nele. Trata-se de um viveiro pelo qual se pode passear e parar para ler um livro numa biblioteca de rua, bronzear-se num solário ou admirar a vista da cidade a partir de um observatório. É um jardim urbano pensado para uma Seul mais gentil.

Seul transforma uma via elevada em um original jardim urbano

Observatório vertical do Skygarden / Estudo MVRDV

Postado na categoria: Ambiente & Ecologia, Arquitetura & Engenharia - Palavras chave: , , , , , , ,

Leia também:

No desmatamento atual, Amazônia chega a 'ponto de não retorno' em até 30 anos
No desmatamento atual, Amazônia chega a 'ponto de não retorno' em até 30 anos

O desmatamento pode estar levando a Floresta Amazônica para uma situação na qual a floresta não consegue mais se regenerar diante das agressões provocadas pelo homem

November 23, 2019, 12:05 pm
O desafio da economia diante das mudanças climáticas
O desafio da economia diante das mudanças climáticas

Uma guinada rumo à economia verde

December 1, 2019, 11:37 am
A corrida contra o relógio para conter o aquecimento global
A corrida contra o relógio para conter o aquecimento global

Está aumentando o fosso entre o que precisa ser feito e o que está sendo feito para conter o aquecimento global.

November 29, 2019, 11:09 am
O 'assassinato' da árvore de quase 5 mil anos. Árvore gigante rara de 535 anos foi derrubada em Santa Catarina para virar cerca
O 'assassinato' da árvore de quase 5 mil anos. Árvore gigante rara de 535 anos foi derrubada em Santa Catarina para virar cerca

É um problema cultural do nosso país

November 30, 2019, 1:30 pm
Quem paga a conta do combate às mudanças climáticas?
Quem paga a conta do combate às mudanças climáticas?

COP25;“É inegável que existem movimentos por parte de grandes companhias para estabelecer compromissos junto a fornecedores e ampliar a rastreabilidade de suas cadeias produtivas”

December 8, 2019, 1:01 pm
Oceanos: Fauna & Flora - Não irá sobrar nada
Oceanos: Fauna & Flora - Não irá sobrar nada

Nem a Ira nem o choro

November 29, 2019, 7:10 pm