Marco Feliciano, o homófico e racista deputado se compara a Yoani Sánchez

Burrice Censura Yaoni Sánches Blog do MesquitaO homofóbico e racista misto de depufede e pastor evangélico, Marco Feliciano, eleito (sic) Presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara Federal, teve o desplante de se comparar à blogueira cubana Yoani Sánchez.

Disse o beócio que é vítima da “ditadura da desinformação” e que “a situação está tomando dimensões muito estranhas.

É assustador, estou me sentindo perseguido como aquela cubana lá. Como é o nome? A Yoani Sánchez”.
Ah, bom! Então tá!


[ad#Retangulo – Anuncios – Duplo]

Joaquim Barbosa, a ribalta e o equilíbrio

Joaquim Barbosa manda repórter “chafurdar no lixo”. Essa é a manchete que ocupa o noticiário no Brasil. Será esse lixo, a pocilga do jornal em questão?Ministro Joaquim Barbosa STF Blog do Mesquita

O destempero do ministro Presidente do STF foi contra um repórter do Jornal O Estado de São Paulo, que no exercício de seu ofício interpelou o ministro na saída de uma reunião do CNJ.

Coincidentemente esse jornalista está fazendo matéria sobre reformas nos gabinetes dos ministros da suprema corte.

O jornalão até agora não saiu em defesa de seu profissional, somente publicando nota oficial do STF assinada não pelo ministro, mas pelo secretário de comunicação social da corte, nota que reproduzo abaixo.

[ad#Retangulo – Anuncios – Esquerda]Somente para efeito de raciocínio imagino que resposta o ministro daria se o jornalista em questão fosse o senhor Merval Pereira.

Essa não é a primeira vez que o ministro demonstra destempero no trato com as pessoas, inclusive com seus pares no STF. Antes foram os colegas Eros Grau, Gilmar Mendes, Ricardo Lewandowski e Marco Aurélio Mello

Destratar jornalista no exercício de seu ofício é também forma de censura. Atitudes intempestivas recorrentes é sinal de falta de equilíbrio para o exercício do mando.

O ministro também já apontou seu verbo fluente contra a classe política:
“A sociedade está cansada dos políticos tradicionais, dos políticos profissionais”.
“Nós temos parlamentares aí que estão há 30, 40 anos no Congresso, ininterruptamente”.

Para quem está em cargo vitalício…

Político, bem ou mal, tem que lutar pela reeleição, e se a consegue é por vontade do eleitor, que é soberano para delegar ou não mandatos. Não cabe ao ministro condenar o sistema eleitoral, abrigado na Constituição Federal, a qual ele tem o dever de guardar.

O que se espera na conduta de um magistrado é equilíbrio e serenidade. Mesmo sob tensão.

A ribalta, reafirmo, é um perigo.
Ps. A cubana Yoani Sanchez, até onde sei, não remeteu nenhum dos manifestantes que a hostilizaram ao “lixo”.


Nota oficial do STF

Em nota assinada pelo secretário de comunicação do Supremo, Barbosa pediu desculpas e afirmou que se trata de “episódio isolado que não condiz com o histórico de relacionamento do ministro com a imprensa”.

“Em nome do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ministro Joaquim Barbosa, peço desculpas aos profissionais de imprensa pelo episódio ocorrido hoje, quando após uma longa sessão do Conselho Nacional de Justiça, o presidente, tomado pelo cansaço e por fortes dores, respondeu de forma ríspida à abordagem feita por um repórter. Trata-se de episódio isolado que não condiz com o histórico de relacionamento do Ministro com a imprensa.

O ministro Joaquim reafirma sua crença no importante papel desempenhado pela imprensa em uma democracia. Seu apego à liberdade de opinião está expresso em seu permanente diálogo com profissionais dos mais diversos veículos. Seu respeito pelos profissionais de imprensa traduz-se em iniciativas como o diálogo que iniciará no próximo dia 07 de março, quando receberá em audiência o Sr. Carlos Lauria, representante do Comitê para Proteção de Jornalistas (CPJ), ONG com sede em Nova Iorque.

Wellington Geraldo Silva
Secretário de Comunicação Social – SCO
Supremo Tribunal Federal”

Todo fanático ideológico é estúpido

Burrice Censura Yaoni Sánches Blog do MesquitaTodo fanático ideológico é estúpido.

Seja de qualquer lado for. Seja saudoso de Mussolini ou viúva de Stalin.

Tudo que a blogueira queria era divulgação. E conseguiu a custa dos totalitários censores Tupiniquins.

O que tem de ideólogo burrinho, – diminutivo generoso, mas que não dimensiona o real tamanho da ignorância – é uma grandeza.

Estão dando mais visibilidade ao pretenso alvo, não percebendo que a intolerância contra quem é frágil, fortalece o argumento que tentam abafar.

A democracia sempre sai ganhando.


[ad#Retangulo – Anuncios – Duplo]

Yoani Sánchez, PT, PSDB e o fundo do poço

Política PT PSDB farinha do mesmo saco Blog do MesquitaSaco! Nada mais insuportável que esse ‘enrolation’ PT X PSDB. A falácia impera. Os dois bandos ontem, anteciparam o 1º de Abril.

Em São Paulo o mesmo blá, blá, blá do surdo e cego do agreste – não sabe de nada, não viu nada – comandou a reunião da nau dos insensatos, com a claque ‘luxuosa’ (sic) dos condenados do mensalão, Dirceu, Genoíno e um João qualquer, que desfilaram seus (deles) cinismos na ponte de comando da combalida nau petista capitaneada pelo farsante Lulalá.

Em Brasília, da tribuna do Senado, o insosso e cansativo “nhen, nhen, nhen” de Aecinho Ipanema – aquele que quando governador de MG, mandou afixar uma placa de bronze no portão do cemitério de S. João Del Rei para anunciar que um neto, ele, havia ido visitar o túmulo do avô, Tancredo – perorou toda a sua (dele) incompetência ao indexar somente mixurucas 13 fracassos do PT. Até meu neto, 11 anos, é capaz de enumerar, no mínimo, outra meia centena de lodaçais onde as viúvas de Stalin estão atoladas.

Quando os dois principais ‘partidecos’ que militam na politicalha Tupiniquim fazem de uma blogueira Cubana – aqui não faço juízo de valor sobre a persona e seus escritos, nem aplico conotação menor ou pejorativa ao termo ‘blogueira’ – simultaneamente ídolo e demônio de suas lideranças e militâncias, é sinal que o fundo do poço de há muito já foi ultrapassado.
Dilma, Lula, FHC, Aécio, Alckmin, Serra, um Zé qualquer lá de Pernambuco… Que país! Que República!


[ad#Retangulo – Anuncios – Duplo]

Yoani Sánchez e membros do governo organizando manifestações

Sou pretensioso!  Principalmente no exercício da cidadania.

Após e-mail aguardo manifestação de D.Dilma ordenando investigação na participação de membros do governo nas manifestações contra a blogueira cubana Yoani Sánchez.

Nada contra a manifestação em si, que faz parte da democracia, no exercício constitucional da liberdade de reunião, e da liberdade de expressão – conforme já escrevi em outro post aqui no FB e no meu blog – mas é inadmissível a participação de membros do primeiro escalão do governo organizando manifestações, seja qual for. A favor ou contra.
Nem o ódio exacerbado, nem a simpatia apaixonada podem estar acima da lei.


[ad#Retangulo – Anuncios – Duplo]

Cuba: Dilma repete Lula. Os Castros são uns santos!

É a economia, estúpido! A expressão é de um assessor do ex-presidente Clinton ao explicar as razões de certas decisões contraditórias tomadas pelo governo. Cuba, um Estado ditatorial, gerido há 60 anos pelos genocidas Castro, censor e que não liga a mínima para os direitos humanos, está em processo de desmonte. Quando isso acontecer, tudo por lá precisará ser reconstruído.
José Mesquita – Editor


Cacoete ideológico em Cuba
Na primeira visita a Cuba, a presidente Dilma Rousseff foi traída pelo passado. Não se esperava que abordasse o tema dos direitos humanos em público. Mas decidiu fazê-lo, numa cerimônia no Memorial José Martí, e cometeu o grave erro de tentar relativizar os fartos e conhecidos crimes cubanos nesta área, incluindo numa infeliz pensata os delitos cometidos pelos americanos na base de Guantánamo, na ilha, uma nódoa, de fato, na História dos Estados Unidos.

Mas misturou coisas diferentes, na visível tentativa de, como é praxe em parte da esquerda brasileira, passar a mão na cabeça dos irmãos Castro. Dilma pontificou que não se deve usar direitos humanos como arma política. De fato, mas, dito isto, incorreu neste mesmo erro.

Ali, logo no início da viagem oficial, transformou-se em decepção a esperança que dissidentes tinham de que Dilma não repetiria a desastrada passagem de Lula pela ilha, no mesmo dia da morte de Orlando Zapata, um dos presos políticos de Fidel e Raúl em greve de fome. De volta ao Brasil, comparou-os a prisioneiros comuns.[ad#Retangulo – Anuncios – Direita]

O fato de o Brasil ter concedido visto à dissidente Yoani Sánchez, para ela vir ao país ao lançamento de um filme sobre a resistência em Cuba, alimentou as expectativas otimistas. Não que Dilma fosse discursar a favor dos cubanos perseguidos. Mas o silêncio em público poderia até levar a supor que o tema seria tratado em contatos privados.

— Ela agiu como Lula e não se interessou pelo povo cubano — desabafou Berta Soler, porta-voz das Damas de Branco, grupo formado por mulheres e familiares em geral de presos políticos.

Foi mais forte, infelizmente, o cacoete ideológico da extrema esquerda brasileira do final da década de 60 e início dos anos 70. Há neste grupo, marcado pela luta armada apoiada por Cuba, uma paixão cega e juvenil pelo castrismo. Não importa para eles que a ilha seja, ao lado da Coreia do Norte, o último bolsão de stalinismo medieval, quase um pleonasmo.

Contaminado, também, por antiamericanismo atávico, o cacoete levou a presidente a tentar equiparar um regime brutal com uma das mais sólidas democracias do mundo, que carrega, é verdade, a mancha de Guantánamo.

É risível tentar colocar no mesmo verbete os EUA e uma ditadura de mais de meio século, com inúmeros crimes cometidos contra os direitos humanos — fuzilamentos, greves de fome e mortes, perseguições, etc. — no currículo.

O Brasil como nação e Estado pode e deve ajudar Cuba na transição para um regime mais arejado. Com a subida de Raúl Castro, na doença do irmão, ocorrem tentativas de alguma liberação na economia, mas ainda aquém do necessário a que alguns ingredientes do livre mercado possam aumentar a produção de alimentos, para livrar os cubanos de um já histórico racionamento.

Investimentos como os em curso na infraestrutura cubana, com apoio financeiro e tecnológico brasileiro, são ações também bem-vindas.

Mas de nada adianta fingir que Cuba não continua a ser uma ditadura violenta. A relativização na leitura da História é sempre perigosa. Por meio dela termina-se até “entendendo” por que Hitler fez o que fez com judeus, ciganos, homossexuais e artistas.
O Globo – Editorial 

Tópicos do dia – 27/01/2012

09:44:35
Cuba com Dona Dilma atravessada na garganta.
Ótimo sinal para Dona Dilma. Os genocidas decrépitos, Fidel e Raul Castro, não engoliram o fato do Itamaraty, a mando da presidente brasileira, ter concedido, com urgência máxima, o visto diplomático para ingresso no Brasil da censuradíssima blogueira cubana Yoani Sánchez.
A paleolítica e mofada ditadura que inferniza o povo cubano há mais de 50 anos, pretende retaliar retardando o visto a alguns jornalistas brasileiros que acompanharão Dilma Rousseff na visita que fará, na próxima terça feira, 31 – pra fazer o quê? – ao “paraíso” da censura e do “paredon”.
Fico com a impressão que os carniceiros Castro querem que seja mínimo a permanência de jornalistas “bisbilhotando” a mazelas do ‘Éden’ caribenho.

12:34:58
Pizza no CNJ
Em reunião “secreta” na tarde desta quinta-feira (26), o Conselho Nacional de Justiça rejeitou o parecer do promotor Gilberto Valente Martins, integrante do CNJ, determinando o cancelamento de licitação que gerou contrato de R$ 68,6 milhões com o consórcio de empresas de informática CDS/NTC, ligadas à multinacional Oracle.

Segundo nota divulgada há pouco pelo CNJ, os membros do Conselho “declaram não ter dúvidas em relação à legalidade e/ou regularidade do processo licitatório”, que foi colocado sob suspeita desde que o diretor de Informática do CNJ, Declieux Dantas, foi demitido por discordar da compra, que considerou desnecessária. A licitação foi realizada e concluída em apenas nove dias, um recorde. O CNJ só não explicou por que, se tudo foi correto, os vencedores da licitação tentaram subornar jornalistas da rádio BandNews FM para cessarem as críticas ao negócio. O assédio foi gravado. A diretora-geral Helena Azuma também teria sido afastada do CNJ pelo mesmo motivo.

Um projeto da diretoria de Dantas para ampliar a base de dados do CNJ foi estimado em R$ 5 milhões, mas, com a licitação, acabou custando R$ 68,6 milhões. Quando esta coluna e a rádio BandNews FM começaram a divulgar informações questionando a licitação, um “consultor” procurou um repórter da emissora com proposta de suborno para calar as críticas, inclusive desta coluna. Após ser denunciado publicamente, Geraldo Tavares Jr, o “consultor”, foi desautorizado pelo escritório de advocacia e pela empresa NTC, vencedora da licitação.
Mas é pouco provável que a proposta obscena fosse apresentada sem que o portador estivesse autorizado.
Coluna Claudio Humberto


[ad#Retangulo – Anuncios – Duplo]

Tópicos do dia – 06/01/2012

10:10:11
Blogueira cubana Yoani Sanchez coloca Dona Dilma numa sai justa.
A blogueira cubana, Yoani Sanchez, CENSURADA por Dom Fidel Castro, arranjou um “problemão” para a presidente brasileira.
Yoani Sanchez pediu em vídeo na internet que a presidenta facilite sua visita ao Brasil, uma vez que os carniceiros Castros já negaram essa licença por quatro vezes.
Além do blog, Yoani fustiga os ditadores do Caribe com o Twitter.
Ela também quer, e com razão – lembrai-vos dos boxeadores – a garantia de poder voltar em segurança a seu país.


[ad#Retangulo – Anuncios – Duplo]