Jean de la Bruyère – Reflexões na tarde – 03/03/2011

É triste costume, servidão incômoda, correr incessantemente uns atrás dos outros com a impaciência de não se encontrar; não se encontrar senão para dizer futilidades, senão para informar-se reciprocamente de coisas de que não se ouviu falar e das quais não vale a pena quase saber; de não entrar num aposento senão precisamente para dele sair, de não sair de casa depois do almoço, senão para retornar à tarde, satisfeito de ter visto em curtas cinco horas três porteiros, uma mulher que mal se conhece e outra que se detesta! Quem avaliasse bem o preço do tempo e como sua perda é irreparável, choraria amargamente tão grandes misérias.
Jean de la Bruyère
* Paris, França – 1645 d,C
+ Paris, França – 1696 d.C

Jean de la Bruyère – Reflexões na tarde

“É triste costume, servidão incômoda, correr incessantemente uns atrás dos outros com a impaciência de não se encontrar; não se encontrar senão para dizer futilidades, senão para informar-se reciprocamente de coisas de que não se ouviu falar e das quais não vale a pena quase saber; de não entrar num aposento senão precisamente para dele sair, de não sair de casa depois do almoço, senão para retornar à tarde, satisfeito de ter visto em curtas cinco horas três porteiros, uma mulher que mal se conhece e outra que se detesta! Quem avaliasse bem o preço do tempo e como sua perda é irreparável, choraria amargamente tão grandes misérias.

Jean de la Bruyère
* Paris, França – 16 agosto 1645 d.C
+ Versalhes, França – 10 de Maio de 1696


[ad#Retangulo – Anuncios – Duplo]