Eleições USA: O que Silvio Berlusconi ensina sobre Donald Trump

As semelhanças entre os dois magnatas falastrões que ascenderam na política são impressionantes.

O que Silvio Berlusconi ensina sobre Donald Trump
Os EUA estão aptos a eleger Trump, assim como a Itália estava pronta para abraçar Berlusconi em 1990 (Foto: Reprodução)
Ninguém que acompanhou a trajetória do ex-premier italiano Silvio Berlusconi pode deixar de ficar impressionado com as semelhanças entre ele e o pré-candidato republicano à presidência Donald Trump.
Não é apenas a trajetória profissional em comum — do mercado imobiliário à televisão –, nem a admiração que compartilham por Vladimir Putin. Também não se resume à fama de playboy ou de falastrão, ou à obsessão com a própria virilidade e o preconceito. Não é a fortuna, nem o conhecimento de mídia que lhes ensinaram que ninguém perde quando aposta na estupidez humana. Não é nada disso.[ad name=”Retangulo – Anuncios – Direita”]

Os EUA estão “maduros” para Trump, assim como a Itália estava pronta para abraçar Berlusconi na década de 1990. Como o italiano, Trump representa uma reação ao velho sistema político em uma sociedade onde a frustração econômica com empregos exportados para a China é alta.

Ele surge depois de duas guerras perdidas, e no momento em que o poder e a influência americana estão em declínio no mundo, enquanto outros governos assumem o palco global.

Ele chega num cenário de paralisia política partidária, em um sistema corrompido pelo dinheiro. Ao contrário do estilo contido de Barack Obama, Trump propõe uma política de ressurreição dos EUA enquanto superpotência. Sua resposta à racionalidade é a raiva.

Da mesma forma, Berlusconi emergiu quando a Itália deixava de ser um pivô da Guerra Fria, quando o alinhamento político democrata-cristão do pós-guerra implodia no país.

Tudo estava em fluxo quando a investigação “Mãos Limpas” foi iniciada por procuradores de Milão, em 1992, e expôs o que todos já sabiam: que a corrupção era pedra angular da política italiana.

Não importava que Berlusconi também foi alvo da investigação: ele era diferente, ele não media a fala, ele iria invocar algo novo!

Tanto Trump como Berlusconi entraram para a política como autodenominados “antipolíticos”, empresários de sucesso que se opunham à apatia de políticos profissionais que nunca viram uma folha de pagamento.

Mas, se Trump for eleito presidente, terá o dedo sobre o botão nuclear. Berlusconi não tinha. Trump será o líder do mundo livre.

Berlusconi governou de uma cidade, Roma, cuja lição é que os dias de glória de uma superpotência não duram para sempre.

O que Berlusconi ensina é que Trump pode chegar à Casa Branca em uma nação sedenta de uma nova política.

Berlusconi acabou condenado por fraude fiscal e por fazer sexo com uma prostituta menor de idade — mas levou 17 anos de escândalos intermitentes e incompetência, de 1994 a 2011, para a Itália esfregar a poeira estelar de seus olhos e enxergar a verdade.

Tome nota, EUA, antes que a sorte seja lançada.

Fontes:
Opinião&Notícia

The New York Times – The Trump-Berlusconi Syndrome

Tópicos do dia – 17/09/2012

10:40:10
William e Kate entram na Justiça contra revista que publicou fotos íntimas

Kate Middleton é, constantemente, perseguida por fotógrafos
O príncipe William e a duquesa de Cambridge, Kate Middleton, oficializaram nesta segunda-feira um processo criminal na França, em resposta à publicação de fotos íntimas do casal real.
Representantes do casal confirmaram que “ações legais por violação da privacidade começaram hoje na França contra os editores da revista Closer”, a qual publicou uma série de imagens de Kate topless em um banho de sol.

Uma corte em Nanterre confirmou à Reuters que o processo foi oficializado e que os editores da Closer serão ouvidos em uma audiência nesta segunda-feira.
As fotos de Kate sem a parte de cima do biquíni foram reproduzidas por sites internacionais, pelo jornal Irish Daily Star e pela revista italiana Chi. Esta última defendeu a publicação das fotos, alegando que elas são uma “crônica da realidade”.
O correspondente da BBC em Paris, Christian Fraser, explica que, sob a rígida legislação francesa, a publicação deve configurar uma invasão de privacidade.
O casal real também pede uma medida cautelar que retire a edição da Closer de circulação e que impeça que as imagens sejam republicadas.
Batalha judicial
Se condenada, a edição da revista Closer com as fotos terá que ser recolhida das bancas de jornais imediatamente. Mas a decisão do tribunal parisiense terá poder apenas sobre meios de comunicação franceses e não impede a publicação das fotos na italiana Chi, que pertence ao mesmo grupo de mídia e anunciou uma edição especial com uma versão estendida, com 26 fotos, da série de fotos de Kate topless.
Ambas as publicações pertencem à empresa Mondadori Media Group, do ex-primeiro ministro italiano Silvio Berlusconi.
O correspondente da BBC em Paris diz que a lei francesa determina indenizações ou multas de dezenas de milhares de euros e, em teoria, a editora da revista poderia se condenada a um ano de prisão.
A editora já saiu em defesa da publicação e sugeriu que a revista francesa teria fotos ainda mais íntimas do casal, ainda não publicadas.
Os donos do jornal Irish Daily Star, do grupo Shell and Independent News and Media, condenaram a decisão de publicar as imagens e disseram que não foram consultados.
Nenhum jornal britânico publicou as imagens. Representantes de tabloides como o Daily Mail e o The Sun disseram que nenhum jornal “responsável” sequer “tocaria nessas fotos”.
William e Kate se encontram nas Ilhas Salomão, no Oceano Pacífico, representando a Rainha Elizabeth 2ª em comemorações do Jubileu de Diamante.
BBC Brasil

10:50:56
Governo aumenta gasto com anúncios

Os gastos com propagandas para os meios de comunicação têm aumentado neste período eleitoral.  Em julho, R$ 16,2 milhões foram pagos a jornais, rádios, TVs e sites pela Secom (Secretaria de Comunicação Social), órgão vinculado à Presidência e responsável pela maior fatia da publicidade da administração direta — estatais não entram nessa conta. De abril a junho, foram repassados, ao todo, R$ 13,4 milhões para veículos de comunicação — em três meses somados, portanto, os gastos foram menores do que os registrados apenas em julho. O valor é ainda o dobro do verificado em julho de 2011: R$ 8,1 milhões. Esse montante representa a média dos desembolsos mensais da Secom ao longo dos 19 meses do governo Dilma Rousseff.
Folha de São Paulo.

11:29:39
Ministro Dias Toffoli tem até hoje a oportunidade de lustrar sua (dele) biografia, se declarando suspeito para participar do julgamento do Zé Dirceu e cia.

Não fiquem surpresos se finalmente o Ministro Dias Toffoli se declarar suspeito, e não votar nos processos nos quais os mensaleiros com os quais tenha mantido relações de amizade e/ou trabalho.
PS. O que regula o impedimento ou suspeição de um juiz em qualquer tribunal é o que está grafado nos arts.134 e 135 do Código de Processo Civil. A palavra “defeso”, abaixo, significa “não é permitido”

Art. 134 – É defeso ao juiz exercer as suas funções no processo contencioso ou voluntário:
I – de que for parte;
II – em que interveio como mandatário da parte, oficiou como perito, funcionou como órgão do Ministério Público, ou prestou depoimento como testemunha;
III – que conheceu em primeiro grau de jurisdição, tendo-lhe proferido sentença ou decisão;
IV – quando nele estiver postulando, como advogado da parte, o seu cônjuge ou qualquer parente seu, consanguíneo ou afim, em linha reta; ou na linha colateral até o segundo grau;
V – quando cônjuge, parente, consanguíneo ou afim, de alguma das partes, em linha reta ou, na colateral, até o terceiro grau;
VI – quando for órgão de direção ou de administração de pessoa jurídica, parte na causa.

Art. 135 – Reputa-se fundada a suspeição de parcialidade do juiz, quando:
I – amigo íntimo ou inimigo capital de qualquer das partes;
II – alguma das partes for credora ou devedora do juiz, de seu cônjuge ou de parentes destes, em linha reta ou na colateral até o terceiro grau;
III – herdeiro presuntivo, donatário ou empregador de alguma das partes;
IV – receber dádivas antes ou depois de iniciado o processo; aconselhar alguma das partes acerca do objeto da causa, ou subministrar meios para atender às despesas do litígio;
V – interessado no julgamento da causa em favor de uma das partes.

17:11:54
Dilma deu ordem para Guido Mantega se retirar de evento da editora Abril.

Após cancelar almoço que teria no Hotel Unique, em São Paulo, com o presidente do Grupo Abril, Roberto Civita, no mesmo sexta-feira (14) em que a revista Veja chegaria às bancas com denúncias devastadoras que atruibuem a chefia do esquema do mensalão ao ex-presidente Lula, a presidenta Dilma antecipou sua viagem a Porto Alegre, na sexta-feira, e ficou muito irritada quando soube que o ministro Guido Mantega (Fazenda) a representava em umevento da revista Exame, da editora Abril. Por telefone, Dilma ordenou que Mantega abandonasse imediatamente a tradicional festa “Maiores e Melhores”, da revista. O ministro se levatou sem prévio aviso da mesa de debates da qual participava, ao lado do prêmio Nobel de Economia Paul Krugman e do próprio Civita, para se retirar em definitivo do recinto, diante de dezenas de empresários. Os dois gestos foram interpretados como um protesto do governo pela matéria da revista Veja “Os Segredos de Valério”.
coluna Claudio Humberto 


[ad#Retangulo – Anuncios – Duplo]

Tópicos do dia – 08/11/2011

08:37:39
Ministro Lupi inova.
Ao invés de frito em frigideira está sendo cozido em uma Panella.

08:49:40
Médico de Michael Jackson sai algemado do Tribunal.
Já aqui, na taba dos Tupiniquins…
Barrado pelo Ficha Limpa, tucano toma posse no Senado nesta terça
O senador Cássio Cunha Lima (PSDB-PB) toma posse nesta terça-feira, 8. O senador foi impedido de exercer o mandato em razão da Lei da Ficha Limpa, mas na semana passada o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu que Cássio poderia voltar ao Senado, já que a lei só pode ser aplicada a partir de 2012.

11:07:44
O médico algemado e a tolerância máxima no Brasil.

Vejo a cena do médico do cantor Michael Jackson, condenado, e já sair algemado para a prisão, sem sequer a sentença ter ainda sido prolatada.

É urgente, no Brasil, um novo Código de Processo Penal, e um novo Código Penal, cuja redação ainda é de 1940, embora com algumas emendas mais recentes.

A tríade, Fato+Valor+Norma, exceções a parte, parece não se aplicar à legislação penal brasileira. No Brasil a legislação penal não acompanha as demandas da realidade de nossa sociedade. Considerem-se também as especificidades da Common Law, USA, e da Civil Law, Brasil.

Que fique claro que em época alguma, em nenhum tipo de regime, o Estado somente se move sob pressão da sociedade. Acontece que é preciso um conceito de tolerância zero – punição rigorosa aos chamdos crimes menos gravosos – para que se possa aplicar sanções aos mais gravosos.

Acontece que a hipocrisia impera nos “indignados” da sociedade brasileira. Vêem um amigo encher a cara e depois sair dirigindo e não tomam nenhuma providência, seja para impedir, seja para denunciá-lo imediatamente à polícia. Fica valendo a máxima cínica: “aos amigos tudo. Aos inimigos a Lei”.

Uma “paradinha rápida” na paralela para apanhar o filho na escola, danifica o tecido social, no aspecto ético e moral, e conseqüentemente na aplicação da norma posta, tanto quanto dólares na cueca. A comparação não é nesse caso somente factual, mas axiológica.

12:06:01
Em defesa das loiras!
O mito foi quebrado…
– Conheço uma maneira de conseguir uns dias de folga – diz o empregado à sua colega loira.
– E como é que vai fazer isso? – diz a loira.
– Vou demonstrar – diz o empregado.

Nisto, ele sobe pela viga e pendura-se de cabeça para baixo no teto.
Nesse momento, o chefe entrou, viu o empregado pendurado no teto e perguntou:
– Que diabo estás aí a fazer?
– Sou uma lâmpada – respondeu o empregado.
– Hummm… Acho que você precisa de uns dias de folga. Vá pra casa..
Ouvindo isto, o homem desceu da viga e dirigiu-se à porta.

A loira preparou-se imediatamente para sair também.
O chefe puxou-a pelo braço e perguntou-lhe:
– Onde você pensa que vai?
– Eu vou pra casa! Não consigo trabalhar no escuro!!!

16:17:03
Berlusconi diz que irá renunciar.
A crise econômica fez o que nem as tenebrosa transações nem os incontáveis escândalos sexuais conseguiram.
O primeiro ministro “Belisconi”  diz que renunciará após implantar as medidas de austeridade necessárias para tirar a Itália do buraco.


[ad#Retangulo – Anuncios – Duplo]

Censura: blogs na Itália ameaçados por projeto de lei

Contra a censura. Sempre!
Do ponto de vista do direito dos cidadãos, a cidadania está ameaçada com a existência de qualquer tipo de censura, pois ofende direitos fundamentais do ser humano, entre eles, a liberdade de opinião, de crítica ou da maneira de pensar e de viver.
O Editor 


Blogueiros protestam contra projeto de lei

Blogueiros italianos farão um protesto nesta quinta-feira, 29, em Roma, contra um projeto de lei que o líder da oposição Paolo Gentiloni, do partido Democrata, chamou de “medida fascista”, que os tornará passíveis de multas de até 12 mil euros (o equivalente a quase 30 mil reais).

A proposta quer impedir o direito da mídia italiana de publicar transcrições de telefonemas reunidos durante investigações criminais.

Críticos alegam que o projeto foi criado pelo governo do primeiro-ministro Silvio Berlusconi para protegê-lo de escândalos.

No começo do mês, a mídia fez uma extensa cobertura sobre um relatório de promotores que investigavam um empresário que teria, supostamente, enviado prostitutas para diversas festas de Berlusconi.

O relatório incluía transcrições nas quais o primeiro-ministro discutia a quantidade e qualidade das mulheres, e se gabava de ter tido relações sexuais com oito em uma única noite.

A proposta, que deve começar a ser votada no parlamento na próxima semana, tem uma cláusula que coloca blogs no mesmo nível de sites de notícias.

Além disso, estipula que qualquer um que acredite ter sido difamado ou mal representado em um blog possa ter direito de resposta – que deverá ser cumprido em um prazo de 48 horas.

Em caso de recusa, o blogueiro pode ser multado.

No ano passado, o governo de Berlusconi fez uma proposta semelhante, mas que não foi aprovada.

Para Antonio Di Pietro, líder do partido anti-corrupção Itália de Princípios, o projeto é um insulto à liberdade e à democracia.

Informações de John Hooper/The Guardian
Tradução de Larriza Thurler/edição: Leticia Nunes


Silvio Berlusconi declara que relações da Itália com o Brasil independem do caso Battisti

Relação com Brasil permanece inalterada, diz Berlusconi

A Itália ampliou a pressão sobre o Brasil para que o País reverta a decisão de não extraditar Cesare Battisti. Além de organizar novos esforços diplomáticos envolvendo a União Europeia e de um protesto que deve ser realizado hoje em frente à embaixada brasileira em Roma, o primeiro-ministro, Silvio Berlusconi, se reuniu com o filho de uma das supostas vítimas de Battisti. Mas o mandatário ressaltou que as relações diplomáticas entre os dois países permanecem inalteradas.

Após se encontrar com Alberto Torregiani, cujo pai foi morto em 1979, Berlusconi disse que a Itália considera o caso de Battisti uma questão judicial e que o país recorrerá em todas as instâncias possíveis.[ad#Retangulo – Anuncios – Direita]

Battisti, um ex-rebelde de esquerda, foi condenado por quatro homicídios realizados no fim dos anos 1970 na Itália. Ele viveu como fugitivo no México e na França, antes de vir em 2004 para o Brasil, onde foi preso em 2007 em cumprimento a mandado da Interpol.

Battisti já admitiu ter participado de um grupo rebelde, mas nega ter atirado em alguém.

Na última sexta-feira, em seu último dia no cargo, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) recusou-se a extraditar Battisti, que várias vezes disse temer ser perseguido se enviado de volta à Itália. Roma criticou a decisão de Lula e disse que buscará todos os meios judiciais para revertê-la. O Supremo Tribunal Federal (STF) ainda deve se pronunciar sobre a legalidade da decisão de Lula.

Hoje, o governo da Itália indicou que está levando o tema à União Europeia. O ministro das Relações Exteriores, Franco Frattini, encontrou-se com o embaixador da Itália no Brasil, que voltou a Roma para consultas, e com o representante italiano na UE, para estudar opções legais no nível europeu a fim de pressionar o Brasil a entregar Battisti, segundo afirmou a chancelaria italiana em comunicado.

Não está claro, porém, o que a UE poderia fazer. “Isso é basicamente um assunto bilateral”, disse um porta-voz da Comissão Europeia, Michael Mann, acrescentando que as regras gerais de extradição também dificultam o envolvimento da UE.

O Ministério das Relações Exteriores da Itália contestou essa informação. “O caso é muito mais complexo e não pode excluir, inclusive nas próximas horas, uma iniciativa europeia proposta pela Itália sobre a questão.”

Além disso, um protesto está marcado para ocorrer em frente à embaixada do Brasil em Roma, na Piazza Navona. Um grupo envolvido no protesto, o Movimento Res, propôs um boicote de produtos brasileiros para pressionar o País no caso.

As informações são da Associated Press e Agência Estado.
blog Prosa e Política
Editado por Andréa Haddad

Sarney, Lula, Collor: Metamorfoses ambulantes

Brasil: da série “só dói quando eu rio”!
BL PL - Humor Política Sarney + Lula + Color

Escândalo no Brasil é coisa de família
Tutty Vasquez – Estadão

Pelo menos numa coisa o presidente Lula tem razão: José Sarney podia estar roubando, podia estar matando, podia até andar por aí subindo em palanques para trocar afagos com Fernando Collor, mas o senador estava só pedindo emprego para o namoradinho de sua neta quando foi flagrado pela Polícia Federal. E o que ele dizia ao telefone? “Tá bom, eu vou falar com o Agaciel!”

Isso é grave? Gravíssimo, porém pouco ilustrativo da indecência que se espera de um político pego com as calças na mão. O mais frustrante nesse tipo escândalo no Brasil é justamente a quebra de expectativa na exposição do indecoroso. Na Itália, por exemplo, a pouca vergonha de Silvio Berlusconi pode até não ser tão grave quanto a falta de cerimônia da família Sarney com a coisa pública, mas é muito mais excitante em matéria de grampo do que todos os indícios gravados da ligação do presidente do Senado com os atos secretos do Congresso.

Aquela parte da transcrição da fita publicada na revista ‘L’Espresso’ em que o Silvio Santos de Milão debate a hereditariedade do orgasmo em sua família com uma importante prostituta italiana, francamente, não se pode esperar nada parecido dos políticos brasileiros em matéria de cultura. A Itália levou milhares de anos para chegar à perfeição!

Silvio Berlusconi e o estupro

Na América Latina nós “usufruímos” das tragicomédias produzidas pelo chefe dos Tupiniquins, pelo cocaleiro boliviano e pelo maluquete das Caraíbas.

Pois a Europa não fica atrás em matéria de dirigente que vive metendo, cem trocadilhos, os pés pelas mãos. O neo-fascista Silvio Berlusconi soltou mais uma de suas “pérolas” de chauvinismo explícito.

Declaração de Silvio Berlusconi sobre onda de estupros na Itália gera polêmica e críticas
Conhecido por suas gafes, o primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi, é alvo de novas críticas em virtude de um comentário infeliz sobre uma onda de estupros em algumas cidades do país. Em Roma e na Sardenha, ilha no Mediterrâneo, foram registrados mais de 60 casos no último mês, quase 30% a mais do que a média.

” Não poderíamos recrutar uma força grande o suficiente para evitar este risco [de estupros]. Teríamos de ter tantos soldados nas ruas quanto mulheres bonitas. Não acho que conseguiríamos ”

Questionado sobre o uso de tropas federais para conter o aumento da violência sexual, o premier disse:

– Não poderíamos recrutar uma força grande o suficiente para evitar este risco. Teríamos de ter tantos soldados quanto mulheres bonitas. Não acho que conseguiríamos.

A declaração foi considerada “irresponsável” pela oposição. Para o líder do Partido Democrata, Walter Veltroni, o premier fez uma “piada de mau gosto perante o drama de tantas mulheres que foram violadas nos últimos dias”.

Nem mesmo a ministra da Igualdade, Vittoria Franco, perdoou o premier.

– Ele foi insolente e disse coisas ofensivas às mulheres – disse. – Berlusconi está dizendo que as mulheres que saem de casa correm o risco de ser estupradas ou atacadas porque não é possível deixar o país seguro.

Confrontado, Berlusconi defendeu-se minimizando o valor da sua declaração e classificando os casos de estupro como “indignos” e “execráveis”.

O Governo anunciou no sábado que reforçará de 3 mil para 30 mil o número de soldados a patrulharem as principais cidades italianas e locais considerados “de risco” como embaixadas e centros que podem estar “na mira do terrorismo”.

O Globo

Carla Bruni critica Berlusconi sobre o “bronzeado” de Obama

O fascistóide – cruzamento de fascista com debilóide -, Berlusconi, também conhecido como o indivíduo mais corrupto da Itália, ao extravasar todo o seu (dele) preconceito racista – aliás, próprio dos fascista – recebeu o troco numa elegante “cacetada” da bela primeira dama da França.

Carla Bruni ironiza Berlusconi após comentário sobre ‘bronzeado’ de Obama
Foto:AFP

A primeira-dama da França, Carla Bruni-Sarkozy, de origem italiana, “comemorou” neste domingo (8) o fato de ter a cidadania francesa após a declaração do chefe de governo italiano, Silvio Berlusconi, sobre o “bronzeado” do presidente eleito dos Estados Unidos, Barack Obama.

A primeira-dama da França, Carla Bruni, falou durante a entrega de prêmio para estudantes na periferia de Paris.

“Quando ouvi Silvio Berlusconi brincar com o fato de Obama estar ‘sempre bronzeado’ não me senti a vontade”, disse a mulher do presidente francês, Nicolas Sarkozy, ao jornal francês “Journal du Dimanche”.

“Vamos dizer que estava brincando, mas estou muito feliz de ter me tornado francesa”, acrescentou.

Em visita oficial quinta-feira a Moscou, Berlusconi disse que Obama, primeiro presidente negro de Estados Unidos, é “jovem, bonito e está sempre bronzeado”.

Fortemente criticado pela oposição italiana, Berlusconi se defendeu dizendo que seu comentário foi uma “brincadeira carinhosa” e chamou seus detratores de “imbecis”.

do G1