Pedofilia. Operação Turko da Polícia Federal cumpre 94 mandatos de busca e apreensão

Oito suspeitos de pedofilia já foram presos pela Operação Turko, diz PF. Operação combate crime de pornografia infantil na internet. Segundo delegado, 47 mandados de busca já foram cumpridos.

A Polícia Federal informou nesta segunda-feira (18) que oito pessoas já foram presas em flagrante durante a Operação Turko, deflagrada nesta manhã em 20 estados e no Distrito Federal para combater o crime de pornografia infantil na internet.

As prisões ocorreram nos estados de São Paulo (3), Rio Grande do Sul (2), Espírito Santo (1), Mato Grosso (1) e Pernambuco (1). Segundo o delegado de Repressão de Crimes Cibernéticos da PF, Carlos Eduardo Sobral, a corporação já cumpriu 47 dos 92 mandados de busca e apreensão expedidos pela Justiça.

Entre os materiais apreendidos, estão centenas de CDs e DVDs com conteúdo pornográfico, além de computadores que podem conter material de pornografia infantil.

De acordo com o delegado, a operação, batizada em alusão ao site de relacionamentos Orkut, foi deflagrada após a quebra de 3.265 perfis do Orkut – denunciados por supostamente conter conteúdo de pornografia infantil. Sobral afirmou que essa foi a primeira operação realizada depois de acordo assinado com o Google, provedor responsável pelo site, em julho de 2008.

Segundo o procurador Sérgio Suiama, essa já é “a maior operação do mundo no que diz respeito ao combate de pornografia infantil em redes de relacionamento da internet”.

A investigação, coordenada pela Divisão de Direitos Humanos e pela Unidade de Repressão a Crimes Cibernéticos da PF, é resultado de informações repassadas pela Comissão Parlamentar de Inquérito da Pedofilia no Senado Federal, em parceria com a ONG Safernet e com o Ministério Público Federal de São Paulo.

De acordo com o MPF, todos os presos na operação estarão sujeitos à pena de um a quatro anos por posse de material pornográfico infantil, além de pena de três a seis anos por distribuição de pornografia infantil na internet.

Os mandados foram expedidos a partir de denúncias recebidas pelo site www.denunciar.org.br entre novembro de 2007 e março de 2008. Segundo Sérgio Suiama, o Brasil não é um produtor em larga escala de pornografia infantil na internet e nem hospeda sites com esse fim, mas a propagação se dá principalmente por sites de relacionamento social.

Esta é a primeira grande operação após a publicação da lei 11.829, que alterou o Estatuto da Criança e do Adolescente e tornou crime a posse de material pornográfico infantil. A operação é uma das ações que marcam o Dia Nacional de Luta contra o Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, celebrado nesta segunda-feira. A data foi instituída pela Lei Federal nº 9970/00 e lembra um crime bárbaro que chocou todo o país e ficou conhecido como o “Crime Araceli“, ocorrido em 1973, em Vitória. Leia mais sobre o caso Araceli no site da Procuradoria Geral dos Direitos do Cidadão.

O delegado Carlos Eduardo Sobral adiantou que, no máximo até a semana que vem, mais quatro projetos serão enviados para o Congresso Nacional para tratar especificamente do assunto. Ele acrescentou que a operação deflagrada nesta segunda não se trata de um ato isolado, afirmando que a PF deve realizar novas operações para combater a prática.

“A pedofilia está em todas as classes e em todas as idades. É um crime gravíssimo, que merece toda a nossa atenção no seu combate, repressão e prevenção”, afirmou o delegado. As prisões desta segunda ocorreram em residências e empresas. Os detidos, no entanto, não tiveram seus nomes revelados e nem idade e o sexo.

do G1 – Diego Abreu

Metade dos jovens brasileiros tem acesso a conteúdo impróprio na web

Levantamento da ONG Safernet analisa internautas brasileiros.

63% dos pais não impõem regras para navegação dos filhos.

Do G1

Um estudo divulgado nesta quinta-feira (9) pela organização não-governamental Safernet indica que 53% das crianças e jovens com acesso à internet no Brasil já tiveram contato com conteúdos “agressivos e considerados impróprios para sua idade”. A ONG, que defende os direitos humanos na web, opera em parceria com o Ministério Público Federal em São Paulo a central de denúncias de crimes cibernéticos.

O levantamento baseado em entrevistas com 1.326 internautas brasileiros também indica que 64% dos jovens navegam pela internet principalmente em seus quartos, contrariando uma dica de segurança (as máquinas usadas por menores devem ficar sempre em áreas comuns, para que a navegação seja monitorada). Além disso, 87% dos jovens dizem que não possuem restrições para usar a web e 80% deles são usuários de sites de relacionamento, como o Orkut.

Em relação ao público adulto, indica o estudo, 74% dos pais temem que seus filhos entrem em contato com conteúdo inapropriado na internet. Cerca de 84% deles também têm medo que as crianças sejam vítimas de adultos mal-intencionados, mas 63% admitem não impor regras para a navegação dos filhos no universo virtual.

Os dados levantados na pesquisa serviram de subsídio para a elaboração de uma nova cartilha gratuita, a ser disponibilizada no site da ONG, que relaciona conteúdo de nível pedagógico com o uso da internet. Futuramente, a Safernet pretende divulgar outra pesquisa, essa voltada para educadores e também LAN houses.

Internet – Navegação com segurança

Do blog Tecnologia Livre

Pesquisa Safernet, por uma internet mais segura.

Após uma ótima atuação na CPI da pedofília, a Safernet lança uma pesquisa afim de reunir informação para elaboração de documentos para informar a população o grau de (des)conhecimento dos pais e filhos no que tange a segurança na internet.

Participe!!!

Clique na imagem superior se você é pai, na inferior se você é adolescente, e responda ao questionário.

Se você for Pai, clique abaixo!

Internet-seguranca-pais-navegação-segura-safernet

Se você for adolescente, clique abaixo!

Internet-seguranca-filhos-navegacao-segura-safernet