Otan,Rússia,Capitalismo,Economia

Unidades da Otan comprarão novos uniformes táticos de fabricação russa

Otan,Rússia,Capitalismo,Economia

Kit basicamente torna os soldados invisíveis.

Na última edição da feira IWA & OutdoorClassics, realizada anualmente na Alemanha, a empresa russa 5.45 DESIGN apresentou seu mais recente uniforme tático, “Manul”, para unidades de operações especiais.

A roupa de combate permite que um soldado se misture ao cenário durante missões – o tecido possui um composto especial que impede a detecção por dispositivos de visão noturna.

De acordo com os projetistas, o kit é especialmente eficaz durante o verão nas estepes e florestas. O tecido respirável é à prova de tanto vento como chuva.

É também reforçado com um tecido sintético durável, possibilitando aos soldados se rastejar em terrenos acidentados sem se preocupar com o desgaste do uniforme.

“Nos próximos meses, assinaremos contratos com a GIGN, a unidade tática da polícia de elite francesa; com a polícia espanhola e sua força de operações especiais; e com unidades antiterroristas da Hungria”, disse um porta-voz da 5.45 DESIGN ao Russia Beyond.

Em meados do ano, os membros de forças especiais europeias estarão patrulhando as ruas das cidades e conduzindo operações antiterroristas usando o uniforme tático formulado na Rússia.

Segundo o representante da empresa, o kit de combate está à frente de seus concorrentes diretos, como Arc’teryx e UF PRO, em termos de design e praticidade.

Putin,Crimes Cibernéticos,Rússia,Internet,Tecnologia

Internet na Rússia: país planeja se ‘desligar’ da rede mundial para fazer testes de segurança

Putin,Crimes Cibernéticos,Rússia,Internet,TecnologiaTeste deverá ocorrer antes de 1º de abril, mas uma data exata não foi definida

A Rússia está considerando desconectar-se brevemente da internet global como parte de um teste de suas defesas cibernéticas.

Isso significará que os dados enviados por cidadãos e organizações russas circularão apenas dentro do país, em vez de serem roteados internacionalmente.

Um projeto de lei que estabelece as mudanças técnicas necessárias para que a internet russa seja operada de forma independente foi apresentado ao Parlamento no ano passado.

O teste deverá ocorrer antes de 1º de abril, mas uma data exata não foi definida.

Grande perturbação

O projeto de lei, chamado Programa Nacional da Economia Digital, requer que os provedores russos adquiram capacidade para operar no caso de potências estrangeiras tomarem medidas para isolar o país do mundo online.

A Otan (aliança militar de países de 29 países da Europa e América do Norte) e seus aliados ameaçaram punir a Rússia por ataques cibernéticos e outras ações online pelos quais o país é regularmente acusado.

As medidas descritas na lei incluem uma versão própria da Rússia do sistema de endereços da rede, conhecido como DNS, para que possa operar caso as conexões com servidores internacionais sejam cortadas.

Atualmente, 12 organizações supervisionam os servidores que servem de base para o DNS e nenhuma delas está na Rússia. No entanto, e já circulam na Rússia várias cópias do conjunto de endereços considerados núcleo da rede, o que indica que seus sistemas poderiam continuar operando mesmo se uma ação fosse tomada para isolar o país digitalmente.

O teste também deve envolver os provedores, para que demonstrem que podem direcionar dados para pontos de roteamento controlados pelo governo. Eles filtrarão o tráfego para que dados enviados entre russos cheguem aos seus destinos e para que qualquer envio feito para computadores estrangeiros seja descartado.

Por fim, o governo russo quer que todo o tráfego doméstico passe por esses pontos de roteamento. Acredita-se que isso seja parte de um esforço para criar um sistema de censura em massa semelhante ao que ocorre China, que tenta bloquear qualquer tráfego considerado proibido.

Organizações de notícias russas relataram que os provedores do país estão apoiando amplamente os objetivos do projeto de lei, mas estão divididos sobre como fazê-lo. Eles acreditam que o teste causará “grandes perturbações” no tráfego de internet na Rússia, informou o site de notícias de tecnologia ZDNet.

O governo russo está pagando provedores apara que estes modifiquem sua infraestrutura permitindo o teste do redirecionamento de dados.

Presentational grey line
Mapa de conexões online no mundoDireito de imagem GETTY IMAGES
Acredita-se que teste russo seja parte de um esforço para criar um sistema de censura semelhante ao da China – 
Análise: Zoe Kleinman, repórter de tecnologia da BBC

Como um país inteiro “se desconecta” da internet?

É importante entender um pouco sobre como a internet funciona. Ela é composta por milhares de redes digitais pelas quais a informação viaja. Essas redes estão conectadas por pontos de roteamento de dados – e eles são sabidamente o elo mais fraco desta cadeia.

O que a Rússia quer fazer é ter sob seu controle estes pontos pelos quais passam os dados que entram ou saem do país, de modo que possa puxar uma ponte levadiça, por assim dizer, para o tráfego que vem de fora, caso esteja sendo ameaçada – ou caso decida censurar informações externas.

O sistema da China é provavelmente a ferramenta de censura mais conhecida do mundo e tornou-se uma operação sofisticada. O país também vigia seus pontos de roteamento, usando filtros e bloqueios para palavras-chave e determinados sites e redirecionando o tráfego para que computadores no país não possam se conectar a determinados endereços.

É possível contornar alguns bloqueios usando redes virtuais privadas (VPNs) – que disfarçam a localização de um computador para que os filtros não entrem em ação. A China derruba esses esforços de tempos em tempos, e a punição por fornecer ou usar VPNs ilegais pode ser uma sentença de prisão.

Ocasionalmente, países se desconectam da rede global por acidente – a Mauritânia ficou isolada por dois dias em 2018, depois de um cabo de fibra óptica submarino ter sido cortado, possivelmente por uma traineira.

Xales,Rússia,Blog do Mesquita

Xales de Pavlovski Possad resistiram a Revolução, duas guerras mundiais e perestroika

A fábrica de xales de Pavlovski Possad é uma exceção à regra na Rússia: com mais 200 anos de história, não só sobreviveu à Revolução de 1917 e à subsequente guerra civil, mas também a duas guerras mundiais e a perestroika.

A fábrica foi oficialmente fundada em 1795, quando Ivan Labzin, um agricultor da vila de Pavlovo, abriu uma pequena oficina para a produção de xales de seda.

Na época, era uma das mais de 70 pequenas fábricas na região de Moscou.

Desde então, os xales de lã e lenços de seda de Pavlovski Possad são parte importante da herança cultural da Rússia.

A longevidade da fábrica pode ser atribuída à sua capacidade de se adaptar aos tempos. Em 1860, sob o comando do descendente de Ivan, Iakov Labzin, e de seu assistente Vassíli Griaznov, a fábrica adotou métodos modernos de produção, imprimindo padrões nos xales.

No início do século 20, Pavlovski Possad era o maior produtor de xales e lenços de seda na Rússia. Após a Revolução de Outubro de 1917, a fábrica foi nacionalizada.

Durante a Segunda Guerra Mundial, a fábrica continuou operando, mas, em vez de fazer xales impressos, produziu tecidos para o Exército Vermelho. A vida durante os anos de guerra foi difícil, mas o maior desafio ainda estava por vir.

Atualmente, a fábrica de xales de Pavlovski Possad é a única indústria têxtil na Rússia que produz tanto os tecidos com os quais trabalha como o produto final.

“Também vendemos os produtos por meio de nosso site: mais de 200 mil pessoas já usaram essa opção para comprar xales”, conta o vice-diretor da fábrica, Viatcheslav Dolgov.

“Estamos especialmente felizes em ver jovens garotas usando nossos xales. Isso significa que conseguimos vencer o preconceito de que os xales são feitos apenas para mulheres idosas”, acrescenta.

Os xales de Pavlovski Possad são comuns, porém, entre as mulheres ortodoxas russas a caminho da igreja, e não apenas porque são atraentes.

Vassíli Griaznov é, na verdade, um santo ortodoxo.

Pavlovski Possad está localizada em 90 quilômetros de Moscou, e sua população é composta por apenas 60 mil habitantes.

Hoje, a fábrica de xales emprega 600 pessoas. Antes da Revolução de 1917, porém, havia 4.500 funcionários, e 2.500 durante a época soviética.

O salário dos funcionários varia de 15.000 a 25.000 rublos (US$ 470 a US$ 780).

Anualmente são produzidos, no total, um milhão de xales e lenços. Durante a União Soviética, essa marca chegava aos 20 milhões.

São fabricados mais de 600 tipos de xales, lenços e cachecóis, tanto para homens como para mulheres, usando 2.000 padrões. A cada dois meses, os designers criam novos modelos e estampas.

Existem mais de 150 pontos de venda direta na Rússia, sendo 36 deles em Moscou.

Tecnologia,Rússia,Internet,Yandex,Google,Blog do Mesquita

Com novos serviços, Yandex pode expulsar Google do território russo

Tecnologia,Rússia,Internet,Yandex,Google,Blog do Mesquita

O gigante da internet russo Yandex já abocanhou uma parcela significativa do mercado de transporte e pagamentos on-line do país. Neste ano, porém, a empresa superou as expectativas com seu novo telefone sem Android e uma dúzia de novos produtos.

Muitos dos produtos do Yandex competem diretamente com o Google. Um novo smartphone, o Yandex Phone, lançado pela empresa em dezembro, possui uma tela de 5,65”, 64 GB de armazenamento, câmera frontal de 5 MP e custa apenas US$ 270. Entretanto, seu verdadeiro objetivo é promover os próprios serviços da empresa, em vez dos aplicativos para Android que são padrão do Google.

O Yandex não é a primeira empresa a tentar superar a gigante da tecnologia norte-americana: a Samsung e a Microsoft, por exemplo, já tentaram substituir os serviços do Google com seus próprios serviços e sistema operacional.

A empresa russa, no entanto, goza de uma vantagem que as outras não têm: seu motor de busca, serviço de delivery e compartilhamento de carros, e outras funcionalidades já são muito populares na Rússia.

É por isso que, segundo os especialistas do setor, os usuários poderiam estar mais interessados ​​em comprar o Yandex Phone do que um smartphone com aplicativos da Microsoft ou da Samsung. O novo dispositivo, porém, não é a única arma secreta que a empresa criou em 2018.

Plataforma Yandex.Cloud

Esse novo serviço permite que as empresas desenvolvam e ofereçam suporte a apps on-line usando as tecnologias e a infraestrutura do Yandex.Tecnologia,Rússia,Internet,Yandex,Google,Blog do Mesquita 2

Yandex
Lançada em setembro, a plataforma foi testada por mais de 50 empresas russas e internacionais, incluindo o Tinkoff Bank e a companhia aérea S7 Airlines.

A nuvem fornece acesso às ferramentas do desenvolvedor, bem como aos serviços baseados em inteligência artificial do Yandex, como reconhecimento de voz e tradução automática.

Um novo mercado

A empresa já tem uma loja, Yandex Market, que vai de vento em popa. Atualmente, a plataforma conta com 20 milhões de usuários mensais, oferecendo roupas, livros, brinquedos e outros itens de 150 varejistas on-line. Em 2018, no entanto, o Yandex também lançou duas novas plataformas de e-commerce.

A primeiro, o Beru (“Vou levar”, em russo), apresenta mais de 1.000 varejistas e disponibiliza vendas em várias categorias, que vão desde utensílios domésticos até cosméticos. A segunda, Bringly, realiza remessas internacionais e entrega gratuita para todos os produtos comprados da Turquia, da China e da Letônia.

Pagamento de combustível

Embora seja um nicho incomum para uma empresa de tecnologia, em 2018, o Yandex introduziu um novo recurso em seu Yandex.Navigator, um app que ajuda os motoristas na Rússia a traçar rotas e buscar vagas para estacionar.Tecnologia,Rússia,Internet,Yandex,Google,Blog do Mesquita 2Foto Evgeny Biyatov/Sputnik

Agora, os usuários podem também pagar pelo reabastecimento do tanque, com milhares de postos de gasolina no país conectados ao aplicativo. Para usar o recurso, é preciso escolher a categoria “pagamento do posto de gasolina”, e o aplicativo mostra os estabelecimentos credenciados mais próximos.

Ao chegar ao local selecionado, o próprio serviço pede para inserir o tipo de combustível e a quantidade.

Integração com WeChat Pay

A China não é um país fácil para empresas de tecnologia internacionais, e o Yandex está tentando ter sucesso onde o Google falhou: conquistar os usuários chineses, porém em seu próprio território.

Cerca de 1,5 milhão de turistas chineses visitam a Rússia anualmente. Eles costumam ficar felizes ao encontrar uma opção de pagamento familiar, e o Yandex integrou o WeChat Pay chinês em seus serviços.

Delivery de comida

O Yandex não oferece apenas serviços de entrega de alimentos, que conectam usuários a restaurantes em 24 cidades da Rússia.

No início deste ano, a empresa também adquiriu um serviço de entrega de kit para refeições chamado Food Party.Tecnologia,Rússia,Internet,Yandex,Google,Blog do Mesquita 2

Foto AFP
A empresa lançou o Yandex.Eats depois de adquirir o serviço Foodfox e após a fusão do Yandex.Taxi com a Uber na Rússia.

O serviço também trabalha com redes locais e internacionais, como McDonald’s, Shake Shack, TGI Friday’s e Papa John’s. Em 2018, a empresa russa comprou ainda um agregador de cupons, ajudando a encontrar pechinchas em supermercados.

E em 2019? No ano que vem, aparentemente, a empresa planeja continuar sua expansão com corridas de táxis autônomos: carros sem motoristas já estão sendo testados em Skôlkovo e Innopolis, os principais polos tecnológicos da Rússia.

Vladimir Putin,Rússia,Stasi,Blog do Mesquita

Putin possuía identidade da Stasi, a polícia secreta da Alemanha Oriental.

Mas o que isso significa?Vladimir Putin,Rússia,Stasi,Blog do Mesquita

ESTILO DE VIDA 13 DE DEZEMBRO DE 2018 NIKOLAI CHEVTCHENKO – Getty Images

O que indica a descoberta? Por que há um carimbo faltando? E por qual motivo o atual presidente estava desviando o olhar da câmera? Confira estas e outras respostas sobre o documento recém-achado em Dresden, no leste da Alemanha.

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, possuía uma carteira de identidade emitida pela Stasi, a polícia secreta da Alemanha Oriental. A revelação foi feita por um arquivista de Dresden, onde Putin atuava como agente do serviço secreto soviético KGB. O documento, que até então era desconhecido, foi emitido no ano de 1985 e renovado por diversas vezes até a queda do Muro de Berlim, em 1989.

Confira abaixo 6 questões sobre a recente descoberta:

O que é a Stasi?

Vladimir Putin,Rússia,Stasi,Blog do MesquitaEdifício da antiga Stasi em Dresden – Sebastian Kahnert/dpa/Global Look Press

Stasi é a abreviatura para Staatssicherheitsdienst, ou Ministério para a Segurança do Estado, que era a principal organização de polícia secreta e inteligência da República Democrática Alemã (Alemanha Oriental).

O serviço era conhecido por sua extensa rede de informantes e vigilância da população do país. Embora a Stasi fosse baseada na KGB e imitasse práticas de trabalho da polícia secreta soviética, tratava-se de uma organização independente, com sua própria estrutura interna.

A identidade significa que Putin trabalhava para a Stasi?Vladimir Putin,Rússia,Stasi,Blog do Mesquita 2

Putin em meio a grupo de oficiais soviéticos, bem como oficiais militares e de segurança alemães do escritório regional da Stasi em Dresden – Robert Michael/AFP

Não. Embora a carteira de identidade com a foto de Vladimir Putin e o que parece ser sua assinatura tenha sido emitida pela Stasi, isso não significa que ele estivesse em sua estrutura. Todos os oficiais de ligação da KGB baseados na Alemanha Oriental enquanto a organização existiu recebiam automaticamente a carteira de identidade da Stasi, concedendo-lhes acesso à sede local do órgão, a seus informantes e informações.

O atual presidente russo atuou em Dresden, na Alemanha, como oficial da KGB de 1985 ao início da década de 1990. A carteira de identidade pode indicar que as tarefas de Putin como agente da KGB em Dresden poderiam incluir a comunicação ou a coordenação entre sua organização-matriz e a Stasi.

Por que o jovem Putin desvia o olhar da câmera?Vladimir Putin,Rússia,Stasi,Blog do Mesquita

Putin vestido com uniforme da KGB, em meados dos anos 1980 – ZUMA Press/Global Look Press

A foto do agente da KGB, que possuía então 33 anos, parece incomum a algumas pessoas: Putin deliberadamente desvia o olhar da câmera, com a cabeça pouco

Fotos disponíveis de carteiras de identidade emitidas pela KGB antes de 1990 mostram que essa técnica era usada com frequência. Esse ângulo dá impressão de uma visão um pouco melhor da aparência da pessoa, demonstrando a frente e a lateral do rosto em uma única fotografia. Ao desviar o olhar, Putin deve ter simplesmente seguido as instruções do fotógrafo.

O que são esses carimbos no verso da carteira?Vladimir Putin,Rússia,Stasi,Blog do Mesquita

Esses são carimbos de validação necessários para garantir que a carteira não esteja desatualizada e evitar uma possível violação de segurança. A carteira era validada uma vez a cada trimestre.

Percebe-se, porém, que o carimbo de validação do último trimestre de 1986 não está presente. Isso pode ter sido mera negligência por parte da Stasi ou que Putin não precisou de seu acesso aos recursos da Stasi durante esse período. O motivo exato para a ausência desse carimbo é desconhecido.

Vladimir Putin,Rússia,Stasi,Blog do Mesquita

ZBC News Online – @ZBCNewsonline ZBC News Online’s Tweets

Bezirksverwaltung refere-se ao distrito onde a carteira foi emitida. No caso de Putin, foi em Dresden, cidade na qual estava baseado quando era oficial da KGB.

Qual foi a reação de Putin à descoberta?Vladirmir Putin,Stasi,Blog do Mesquita

Dmitry Golubovich/Global Look Press

O presidente da Rússia não comentou sobre a descoberta da carteira de identidade da Stasi. Entretanto, o porta-voz do Kremlin, Dmítri Peskov, assumiu que, uma vez que a KGB e a Stasi mantinham uma cooperação, pode ter havido a possibilidade de esse tipo de carteira ser emitida ou trocada.

Aeronáutica & Espaço,Russia,Venezuela,Aviões,Bombardeiros,Guerra,América Latina

Bombardeiros estratégicos russos Tu-160 pousam na Venezuela

O Ministério da Defesa da Rússia informou que o voo das aeronaves ocorreu em estrita conformidade com o Regulamento do Uso do Espaço Aéreo InternacionalO Ministério da Defesa da Rússia informou que o voo das aeronaves ocorreu em estrita conformidade com o Regulamento do Uso do Espaço Aéreo Internacional Dois bombardeiros de mísseis estratégicos Tu-160 Blackjack, um avião de transporte militar pesado An-124 e um avião da Força Aeroespacial Il-62 de longo alcance pousaram hoje no Aeroporto Internacional de Maiquetía da República Bolivariana da Venezuela, informou o ministério. O informe acrescentou que o voo das aeronaves ocorreu sobre as águas do Mar de Barents, Mar da Noruega, Oceano Atlântico e Mar do Caribe em estrita conformidade com as Regras Internacionais para o Uso do Espaço Aéreo. “Durante o vôo, os pilotos da VKS viajaram mais de 10.000 quilômetros”, completou. Este não é o primeiro deslocamento dos Tu-160 para a Venezuela. Anteriormente, esses bombardeiros de mísseis estratégicos visitaram a Venezuela em setembro de 2008 e em outubro-novembro de 2013. A Rússia está enviando bombardeiros Tu-160 blackjack com capacidade nuclear para a Venezuela nesta semana como parte de um padrão cada vez mais provocativo de voos de treinamento de bombardeiros, de acordo com autoridades de defesa americanas. A investida de bombardeiros na América do Sul é o sétimo vôo de treinamento da Rússia para os bombardeiros do Blackjack nos últimos três meses. Espera-se que o Pentágono monitore de perto os Blackjacks por causa de seu potencial de disparar mísseis de cruzeiro nucleares em alvos dos EUA. O presidente russo, Vladimir Putin, anunciou em janeiro de 2018 que os militares estão investindo US$ 2,8 bilhões para modernizar a frota Tu-160 com novos motores e aviônicos avançados. Putin recentemente intensificou a retórica ameaçadora contra os Estados Unidos após o anúncio do governo Trump de que se retirará do Tratado de Forças Nucleares de Intermediário de 1987 sobre as violações do acordo por Moscou. A Rússia usou o Tu-160 na Síria para disparar mísseis de cruzeiro de longo alcance. Em março, o vice-ministro da Defesa russo, Yury Borisov, anunciou que o Tu-160 está passando por uma grande atualização e carrega mísseis nucleares Kh-55 assim comomísseis de cruzeiro convencionais Kh-555 e Kh-101.

Dois bombardeiros de mísseis estratégicos Tu-160 Blackjack, um avião de transporte militar pesado An-124 e um avião da Força Aeroespacial Il-62 de longo alcance pousaram hoje no Aeroporto Internacional de Maiquetía da República Bolivariana da Venezuela, informou o ministério.

O informe acrescentou que o voo das aeronaves ocorreu sobre as águas do Mar de Barents, Mar da Noruega, Oceano Atlântico e Mar do Caribe em estrita conformidade com as Regras Internacionais para o Uso do Espaço Aéreo. “Durante o vôo, os pilotos da VKS viajaram mais de 10.000 quilômetros”, completou.

Este não é o primeiro deslocamento dos Tu-160 para a Venezuela. Anteriormente, esses bombardeiros de mísseis estratégicos visitaram a Venezuela em setembro de 2008 e em outubro-novembro de 2013.Aeronáutica & Espaço,Russia,Venezuela,Aviões,Bombardeiros,Guerra,América Latina 0

A Rússia está enviando bombardeiros Tu-160 blackjack com capacidade nuclear para a Venezuela nesta semana como parte de um padrão cada vez mais provocativo de voos de treinamento de bombardeiros, de acordo com autoridades de defesa americanas.

A investida de bombardeiros na América do Sul é o sétimo vôo de treinamento da Rússia para os bombardeiros do Blackjack nos últimos três meses.

Espera-se que o Pentágono monitore de perto os Blackjacks por causa de seu potencial de disparar mísseis de cruzeiro nucleares em alvos dos EUA.

O presidente russo, Vladimir Putin, anunciou em janeiro de 2018 que os militares estão investindo US$ 2,8 bilhões para modernizar a frota Tu-160 com novos motores e aviônicos avançados.

Putin recentemente intensificou a retórica ameaçadora contra os Estados Unidos após o anúncio do governo Trump de que se retirará do Tratado de Forças Nucleares de Intermediário de 1987 sobre as violações do acordo por Moscou.

A Rússia usou o Tu-160 na Síria para disparar mísseis de cruzeiro de longo alcance.

Em março, o vice-ministro da Defesa russo, Yury Borisov, anunciou que o Tu-160 está passando por uma grande atualização e carrega mísseis nucleares Kh-55 assim comomísseis de cruzeiro convencionais Kh-555 e Kh-101.Aeronáutica & Espaço,Russia,Venezuela,Aviões,Bombardeiros,Guerra,América LatinaAeronáutica & Espaço,Russia,Venezuela,Aviões,Bombardeiros,Guerra,América LatinaAeronáutica & Espaço,Russia,Venezuela,Aviões,Bombardeiros,Guerra,América LatinaAeronáutica & Espaço,Russia,Venezuela,Aviões,Bombardeiros,Guerra,América LatinaAeronáutica & Espaço,Russia,Venezuela,Aviões,Bombardeiros,Guerra,América Latina