Lula continua fugindo da imprensa. “Até quando Catilina?”

Sempre fugindo da imprensa, Lula faz visita ‘de surpresa’ ao Maracanã, e Cabral distribui o release, o vídeo e as fotos.Política Eleições Lula Blog do Mesquita

O ex-presidente Lula está fugindo da imprensa desde 23 de novembro, quando irrompeu o escândalo da Operação Porto Seguro, com o envolvimento de Rosemary Noronha, chefe de Gabinete da Presidência da República em São Paulo e companheira de Lula em viagens oficiais a 32 países (sempre na ausência de Dona Marisa Letícia, por coincidência, é claro).

Imprensa foi barrada

Ontem, mais um capítulo dessa novela. Para escapar dos jornalistas, Lula fez uma “visita- surpresa” à obra do Maracanã.

Chegou por volta das 7h15 ao estádio, junto com o governador do Rio Sérgio Cabral e do vice-governador Luiz Fernando Pezão, pré-candidato do PMDB ao governo do Rio em 2014.

[ad#Retangulo – Anuncios – Esquerda]Cabral, que nunca acorda cedo, fez o sacrifício para poupar Lula da possibilidade de um encontro com os repórteres. Sua assessoria também acordou cedo e providenciou a cobertura completa da visita, com textos, vídeos e fotos, tudo produzido pelos jornalistas que trabalham no Palácio Guanabara.

O material foi distribuído no início da tarde, para ganhar o máximo de exibição nos sites da imprensa, que publicou as fotos assinalando que se trata de “divulgação”.

A visita de Lula ao Rio acontece na mesma semana em que o PMDB fluminense divulgou nota em que condiciona o apoio à reeleição de Dilma à desistência de candidatura própria do PT ao governo do estado em 2014.

O presidente nacional do PMDB, Valdir Raupp, disse concordar com a posição do diretório estadual do Rio.

Mas o presidente do PT, Rui Falcão, afirmou que a candidatura do senador Lindbergh Farias é para valer.

Voltando ao que realmente interessa, agora já faz mais de três meses que Lula não dá uma entrevista à imprensa.

Ao saber dessa fuga permanente do político brasileiro, o filósofo Cícero certamente perguntaria: “Até quando, Catilina?” E ninguém responderia.
Carlos Newton/Tribuna da Imprensa

Presidente do PT associa imprensa livre ao nazismo

Humorista do mal.

Do presidente do PT, ‘depufede’ federal Rui Falcão:
…”imprensa livre pode levar ao nazismo”.

Censura PT Nazismo Rui Falcão Blog do Mesquita

Comenta-se que tal declaração contribuiu para melhoras na saúde Chávez, euforia em Fidel Castro, Kim Jong Un, Hu Jintao, e detectou-se movimento de regojizo na tumba de Stalin.
Desculpem-me, mas PQP.

Destino da CPI está nas páginas dos jornais e revistas

O deputado Rui Falcão, presidente nacional do PT, transformou-se num personagem tragicômico da política brasileira por sua obsessão em violar a Constituição e controlar a imprensa, o que é impossível, e de se empenhar, contrariando a presidente Dilma Roussef, para que o Supremo absolva os réus do mensalão.

Para isso, sob o ângulo em que se coloca, inclui como degrau a ser galgado, direcionar os trabalhos da CPI que investiga as múltiplas atividades de Carlos Ramos Cachoeira no sentido de que focalize somente figuras do PSDB, e vôos de tucanos e pemedebistas nas asas de Fernando Cavendish. Ridículo.

A reportagem da Revista Veja que está nas bancas, revela que ele espalha notícias através dos meios existentes na internet. Não adianta nada. Trata-se de um combate político.

E os combates políticos são travados e decididos nas páginas dos jornais e revistas. Não nas telas eletrônicas.

As matérias para repercutir de fato na opinião pública têm que sair no Globo, Folha de São Paulo, O Estado de São Paulo. E nas Revistas Veja e Época. No caso da Época porque ela pertence a O Globo.

Não funciona, como a Veja em reportagem não assinada publicou, espalhar insetos eletrônicos por aí. Como igualmente não surtem efeito blogs direcionados previamente.

[ad#Retangulo – Anuncios – Esquerda]Os leitores sentem e traduzem as intenções que se revelam na sombra. Isso enfraquece totalmente a comunicação dirigida. O que não for claro e livre de amarrações não imprime na consciência. É exatamente o caso da matéria paga. Quem vai comprar um espaço para ser isento em relação a si mesmo? Ninguém.

Os jornais da Band e da Rede Globo, noite de sábado, noticiaram que a CPI pediu ao STJ a quebra do sigilo bancário, fiscal e também telefônico de Carlos Cachoeira.

Trata-se de forte golpe contra todos os que se envolveram na teia que costurou no país, já que suas vinculações diretas e indiretas vão surgir.

Nesse propósito, cito frase famosa do cientista ítalo-americano Enrico Fermi, que integrou o Projeto Manhattan, da construção da bomba atômica: “O que existe aparece”, disse ele.

A afirmativa é simples e magistral. Se o que existe aparece, a maior parte da verdade vai emergir em decorrência da quebra de sigilo. Sobretudo a ação ilegal dos doleiros, sem os quais a corrupção perde a principal de suas estradas.

O mesmo raciocínio aplica-se ao Mensalão de 2005 que culminou com a demissão de José Dirceu da Casa Civil de Lula e a cassação de seu mandato parlamentar pela maioria absoluta da Câmara dos Deputados.

Uma questão de lógica, palavra para a qual não existe sinônimos. Se prestígio tivesse com o presidente da República, Dirceu não teria seus direitos políticos suspensos por oito anos.

Como digo sempre, não se pode ver apenas os fatos. Mas também nos fatos. E não adianta brigar com eles ou negá-los. Tem que se partir deles. Em todos os setores.

Tanto na arte, quanto na ciência e na política. O ser humano, personagem e analista de si mesmo, começa qualquer observação com base na realidade.

Nem Shakespeare e Chaplin escaparam dessa regra.

Não há de ser Rui Falcão, com seus insetos eletrônicos, que vai superar a lei da gravidade. Ela se impõe por si mesma. O palco são as páginas da imprensa escrita.

Não as telas da Internet.
Pedro do Coutto/Tribuna da Imprensa

Tópicos do dia – 10/04/2012

08:31:04
Dinheiro público vai financiar encontro de militantes governistas da Internet. Adivinhem quem é convidado de honra…
Posts abaixo, contesto dois articulistas na abordagem que fazem sobre a corrupção brasileira. De certo modo, têm a mesma tese: o problema do Brasil é “a direita”. É mesmo, é? Lá vou eu excitar a fúria daquele gente simpática…, que depois sai me satanizando por aí na esgotosfera, na esperança de que eu responda para que recebam alguns leitores, que por lá não ficam, é claro!

Entre os dias 13 e 15 deste mês, no próximo fim de semana, ocorre em Fortaleza um troço chamado “2º WebFor – Fórum de Comunicação Social”. São três dias de seminário, com debates, palestras, eventos etc. reunindo os que se intitulam “blogueiros progressistas” – o que quer dizer “governistas”.

Os que mais ascenderam na “organização” já contam hoje com patrocínio do governo federal e de estatais, como sabem. São regiamente pagos com dinheiro público para atacar lideranças da oposição, ministros do Supremo que não sejam do seu agrado e veículos da grande imprensa. É, em suma, o JEG (Jornalismo da Esgotosfera Governista).

Agora eles vão fazer seu segundo encontro. Quem patrocina? Ora, o dinheiro público de novo: Banco do Nordeste, Governo do Estado do Ceará, Assembleia Legislativa do Ceará e Câmara Municipal de Fortaleza. Uma das críticas que faz esse bando de Schopenhaures à grande imprensa diz respeito à sua suposta falta de independência. Como se nota, a independência do tal evento já está garantida…

Ah… O “2º WebFor” tem um convidado de honra, que vai abrir o trabalhos; é o grande herói do encontro: o chefe de quadrilha (segundo a PGR) José Dirceu!

Entenderam por que decidi fazer picadinho, com a educação habitual, dos textos de Elio Gaspari e Eugênio Bucci? Direita? Ora… Quantos dos antigos admiradores restaram ao lado do senador Demóstenes Torres depois do que foi tornado público? Já a turma de Dirceu ama nele justamente uma das cabeças da hidra, como diria “Egogênio Bucci”.

Gaspari deveria aproveitar esse encontro e incluí-lo na sua prefiguração. Imaginemos só um país em que um banco público, um governo do estado, uma assembleia legislativa e uma câmara de vereadores financiam um evento de militantes políticos que têm o declarado propósito de defender o governo, atacar a oposição e agredir a imprensa livre. Pior: o grande homem da patuscada é ninguém menos do que um ex-deputado cassado por corrupção e chefão do maior escândalo político havido no país.

Esse país já existe em 2012, senhor Elio Gaspari!
Por Reinaldo Azevedo

08:54:03
Imagens do espaço para todos
A Nasa tem uma galeria de imagens em alta resolução no Flickr – e está tudo livre para ser usado gratuitamente. Destaque para as séries da Terra vista do espaço (com várias perspectivas diferentes do planeta) e para as fotos de decolagens e lançamentos. Todas as imagens vêm com uma explicação completa sobre o evento. Conheça em www.flickr.com/photos/nasacommons.

11:54:28
Cachoeira: Ninguém aguenta mais. Não param de surgir denúncias.

É impressionante como um homem como Carlinhos Cachoeira tenha conseguido se infiltrar em diferentes órgãos públicos federais e estaduais. Sabe-se que ele até interferia nas promoções na Polícia Militar de Goiás. E agora é o Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária) que se vê obrigado a afastar o superintendente do órgão no Distrito Federal, Marco Aurélio Bezerra da Rocha, suspeito de envolvimento em tráfico de influências com o surpreendente empresário-bicheiro de Goiás.

Devido à Semana Santa, a decisão, tomada na última quinta-feira, só foi publicada ontem no Diário Oficial da União. Rocha foi afastado do cargo por 30 dias, e será substituído temporariamente por Luis Fernando de Souza.

O Incra já havia anunciado que afastaria servidores que ocupavam cargos de chefia na superintendência do DF, “permitindo, assim, que as investigações transcorram de maneira isenta”, porque gravações realizadas pela Polícia Federal com autorização da Justiça durante a Operação Monte Carlo revelaram que o grupo de Cachoeira, denunciado por suspeita de comandar um esquema de exploração de jogos ilegais, negociou propina no Incra com o objetivo de regularizar uma fazenda.

O relatório da Polícia Federal menciona valores e diz haver envolvimento de Rocha com o grupo do empresário-bicheiro. O superintendente afastado, no entanto, disse à Folha que nunca teve reuniões com as pessoas citadas nos relatórios da Operação Monte Carlo. Será?

Decadência Moral
Traduzindo tudo isso: a existência de um personagem como Carlinhos Cachoeira mostra a deterioração da política brasileira, na qual a corrupção realmente passou a fazer parte da rotina administrativa, com impunidade garantida.
O grau de surrealismo é tamanho que um homem sem escrúpulos como Cachoeira consegue ser defendido por um ex-ministro da Justiça, Marcio Thomaz Bastos. É certo que todo criminoso tem direito a defesa, mas quem ocupa o cargo de ministro da Justiça deveria ser mas seletivo na escolha de clientes.
Isso parece óbvio, mas quando lembramos que personalidades como Renan Calheiros e Jarbas Passarinho foram ministros da Justiça, é realmente desanimador. Calheiros tem diploma de advogado, mas nunca exerceu a profissão, pois se elegeu deputado estadual quando ainda nem  tinha se formado. Já Passarinho, coronel do Exército, foi ministro e seu maior feito foi a portaria criando a nação Ianomami, um território do tamanha da Itália, onde vivem apenas 4 mil índios.
E o notório saber? Serve para quê mesmo?
Carlos Newton/Tribuna da Imprensa

16:19:42
Se Demóstenes relatasse Demóstenes
Caso não sobrevenham retrocessos, instala-se hoje a Comissão de Ética do Senado, sob a presidência do senador Vital do Rego. Com um pouco de boa vontade, os senadores escolherão também o relator do processo aberto contra Demóstenes Torres. A impressão é de que tudo correrá bem depressa, para evitar o desgaste que seria o prolongamento do inquérito. Claro que o acusado terá amplo direito de defesa.

Fosse qualquer outro o réu e dúvidas inexistiriam: Demóstenes Torres seria o relator, em função de sua postura sempre rígida na luta contra a corrupção e a ilegalidade. Seu passado responderia pela designação. Como a vida é sempre mais fascinante e mais complicada do que a ficção, eis que o senador por Goiás encontra-se do outro lado do muro.

Fazer prognósticos sobre a decisão do Conselho de Ética será tão prematuro quanto perigoso. Mesmo assim, nos corredores do Senado sopra o vento da condenação, ou seja, da cassação do mandato de Demóstenes. Ninguém seria mais implacável no interrogatório dele mesmo e na coleta de argumentos para sua degola.

O Conselho de Ética atua politicamente, acima e além das questões jurídicas. Importa menos aos senadores saber se o ainda colega não poderia ter sido objetivo de investigações policiais sem licença do plenário. Mesmo com amargura, os dezesseis integrantes do colegiado decidirão tendo em vista os danos causados ao Senado pelo episódio envolvendo Demóstenes e o bicheiro Carlinhos Cachoeira. Quanto mais rápido solucionarem a crise, melhor para todos.
Carlos Chagas/Tribuna da Imprensa

17:38:15
PSDB não quer CPI do Cachoeira
A exemplo dos petistas e contrariando suas declarações públicas, os tucanos também não têm simpatia por uma CPI sobre a Operação Monte Carlo. Um integrante da Executiva Nacional revelou que não interessa a eles submeter o governo de Goiás a uma investigação, pois isso poderia paralisar seu governo.

Na semana passada, Perillo leu um relatório reservado da Polícia Federal, para integrantes da direção nacional, que diz: “Não há elementos mínimos que demonstrem a participação da autoridade supracitada na organização…”.

Mas as bancadas estão inquietas e temem a contaminação da sigla, em ano de eleição municipal.
Ilimar Franco/O Globo 

19:00:12
Brasil: da série “Óleo de Peroba”.
O presidente nacional do PT, Rui Falcão, minimizou nesta terça-feira a suposta ligação do subchefe de Assuntos Federativos da Secretaria de Relações Institucionais do governo federal, Olavo Noleto, com o bicheiro Carlinhos Cachoeira e afirmou que o partido continua favorável à instalação de uma CPI para investigar o contraventor. “O que eu vi no jornal são telefonemas do Wladimir Garcez (um dos principais operadores de Cachoeira) para o Noleto”, disse o presidente petista. Para Falcão, as investigações devem atingir também eventualmente os petistas.


[ad#Retangulo – Anuncios – Duplo]

Tópicos do dia – 13/11/2011

08:00:59
Projeto permite cancelamento de contratos pela internet
O Projeto de Lei 1593/11, da deputada Rose de Freitas (PMDB-ES), estabelece para o consumidor o direito de cancelar sua adesão a contrato de fornecimento de produtos ou serviços pela internet de forma imediata.
A proposta abrange os contratos de planos de saúde, cartões de crédito, TV a cabo e telefonia.
Segundo o texto, o fornecedor deve arcar com o ônus de oferecer os procedimentos de segurança que garantam a correta identificação das partes.
Além disso, ele estabelece o prazo de 120 dias, contados da sua publicação, para a lei entrar em vigor.

08:04:41
PSDB com Dilma
O PSDB vai votar a favor da prorrogação da DRU no Senado, como pediu o governo.
“Temos o dever de aprovar a DRU pela coerência, já que foi criada pelo FHC”, diz à coluna o senador Cássio Cunha (PB).

08:09:34
Chaves tem 6 meses de vida
Segundo o jornal The Miami Herald, o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, os médicos deram seis meses de vida ao caudilho das Caraíbas. A fonte, segundo o jornal é o ex-embaixador dos EUA na OEA Roger Noriega.

12:15:17
Lula interpreta Shakespeare.
Calma! Não peçam os sais nem se belisquem.
Bia Lula da Silva, 16 anos, neta do ex-presidente, fará sua estréia como atriz na peça “A Megera domada”, de Shakespeare, no Teatro João Caetano, no Rio.

12:28:56
Tá tudo em casa.
Leio na Folha de S.Paulo:
“Rui Falcão, o presidente do PT, defende Lupi e Agnelo”.
Né não?

13:18:16
Até tu, Brutus? Quer dizer, Ophir?

Presidente da OAB é acusado de receber R$ 1,5 mi em salário ilegal
Elvira Lobato, Folha de S.Paulo
Ação pede retorno de licença remunerada paga pelo Pará por 13 anos
O presidente nacional da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), Ophir Filgueiras Cavalcante Júnior, é acusado de receber licença remunerada indevida de R$ 20 mil mensais do Estado do Pará.
A ação civil pública foi proposta na semana passada por dois advogados paraenses em meio a uma crise entre a OAB nacional e a seccional do Pará, que está sob intervenção.
Um dos autores da ação, Eduardo Imbiriba de Castro, é conselheiro da seccional. Segundo os acusadores, Ophir Cavalcante, que é paraense, está em licença remunerada do Estado há 13 anos -o que não seria permitido pela legislação estadual-, mas advoga para clientes privados e empresas estatais.
Eles querem que Cavalcante devolva ao Estado os benefícios acumulados, que somariam cerca de R$ 1,5 milhão. Cavalcante é procurador do Estado do Pará.
De acordo com os autores da ação, ele tirou a primeira licença remunerada em fevereiro de 1998 para ser vice-presidente da OAB-PA.


[ad#Retangulo – Anuncios – Duplo]