Fórmula Um tá parecendo o Senado brasileiro: tem maracutaia na pista

Vejam só.

Tal e qual um Sarney da fórmula um, o capo Briatore, também, tal e qual a cambada do senado, é ‘fazedor’ de atos secretos. A se confirmar a mafiosa ação, Fernando Alonso, o príncipe das Astúrias, que nem é namorado de neta, subiu ao pódium pela porta dos fundos.

Fica a pergunta: quem será o Agaciel Maia de lá?

O editor

FIA investiga acidente de Nelsinho Piquet em Cingapura-2008 e pode punir Briatore

A Fórmula 1 pode estar próxima de mais um escândalo. Neste domingo, Reginaldo Leme, comentarista da Rede Globo, revelou que a Federação Internacional de Automobilismo (FIA), contratou uma empresa independente para investigar o acidente de Nelsinho Piquet no GP de Cingapura de 2008, fato decisivo para a vitória de Fernando Alonso. Flavio Briatore, chefe da Renault, teria mandado o brasileiro bater de propósito na 16ª volta, três após o primeiro pit stop do espanhol.

Na ocasião, a estratégia de Alonso era considerada ousada e precisaria de um safety car no início da prova para dar certo. Coincidentemente, Nelsinho bateu em um local que forçaria a entrada do carro de segurança.

– O acidente do Nelsinho teria sido premeditado para que houvesse a entrada do carro de segurança em Cingapura. Ele bateu de uma forma muito estranha.

Recentemente, conversando com o Felipe Massa, ele me chamou a atenção disso. E o Felipe foi ao Briatore e disse: “Essa batida não está certa, aconteceu porque vocês quiseram”.

Outros pilotos levantaram esta hipótese na época e agora isso vem à tona por causa da investigação que a FIA está fazendo. Ela contratou uma empresa independente e tem depoimentos contundentes que incriminam Flavio Briatore – disse Reginaldo Leme na transmissão do GP da Bélgica na Rede Globo.

G1