Eleições 2010. Pequisa DataFolha: Dilma 47, Serra 28 e Marina 14%

Dilma tem 47%, Serra, 28%, e Marina, 14%, aponta Datafolha

Levantamento foi feito na terça (28) e na quarta (29).

Nos votos válidos, Dilma registra 52%. Margem de erro é de 2 pontos.

Pesquisa Datafolha divulgada nesta quinta-feira (30) mostra a candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, com 47% das intenções de voto.

O candidato do PSDB, José Serra, aparece com 28%, e Marina Silva, do PV, tem 14%, segundo o levantamento, encomendado pela TV Globo em parceria com o jornal “Folha de S.Paulo”.[ad#Retangulo – Anuncios – Direita]

Em relação à pesquisa anterior, realizada na segunda-feira (27), Dilma oscilou um ponto para cima; Serra e Marina mantiveram os percentuais registrados anteriormente.

Considerando a margem de erro da pesquisa, de dois pontos percentuais para mais ou para menos, Dilma pode ter de 45% a 49%, Serra, de 26% a 30%, e Marina, de 12% a 16%.

De acordo com a pesquisa, brancos e nulos somaram 3%, e indecisos, 6%.

Plínio de Arruda Sampaio (PSOL) obteve 1%.

Dentre os outros candidatos – Eymael (PSDC), Ivan Pinheiro (PCB), Levy Fidelix (PRTB), Rui Costa Pimenta ( PCO) e Zé Maria (PSTU) –, nenhum atingiu 1% das intenções de voto, mas juntos eles alcançaram 1%.

Votos válidos

Considerando os votos válidos, em que se exclui os votos em branco e nulos, Dilma oscilou de 51% para 52%. Com a margem de erro, ela pode ter entre 50% e 54%. Segundo o Datafolha, como o resultado obtido pela petista está no limite da margem de erro da pesquisa, seria impossível afirmar com certeza que a candidata seria eleita no primeiro turno, caso a eleição fosse agora.

Para vencer no primeiro turno, Dilma precisa de 50% mais um dos votos válidos.

Segundo o Datafolha, a oscilação positiva de Dilma se deu por conta da evolução da petista no Sul e no Sudeste.

Nos votos válidos, Serra obtém 31%, Marina, 15%, e Plínio, 1%.

Foram realizadas 13.195 entrevistas em 480 municípios. A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com o número 33119/2010.

Segundo turno

Na simulação de segundo turno feita pelo Datafolha, Dilma aparece com 53% (de 51% a 55%, considerando a margem de erro), e Serra, com 39% (37% a 41%). Brancos e nulos totalizam 5%, e 3% dizem não saber em quem votar.

G1

Eleições 2010: partidos nanicos são uma afronta ao sistema eleitoral

Esse é um ônus do sistema democrático. Agora, cabe ao eleitor expurgar esses mercenários do oportunismo do sistema eleitoral.
Fica patente a necessidade uma reforma eleitoral para disciplinar essa inflação de aventureiros.

O Editor


Nanicos levam propostas absurdas ao TSE e ridicularizam o sistema eleitoral

A entrega dos pedidos de registro de candidaturas presidenciais nesta segunda-feira ao TSE foi um pungente indicativo das distorções do nosso sistema eleitoral.

Ali compareceram nove candidatos, dos quais apenas um terço tem representatividade, viabilidade e projeto.[ad#Retangulo – Anuncios – Direita]

As regras permitem que candidatos como Eymael, do PSDC, e José Maria, do PSTU, Levy Fidelix, do PRTB, e Rui Pimenta, do PCO, tornem-se velhas figuras carimbadas, com sucessivas candidaturas presidenciais que se prestam – e mal – a pouco mais do que auto-promoção. E resultam em chacota diária e em descrédito do processo político.

E como não fazer chacota de propostas como: promover aumentos salariais mensais, garantir uma poupança de quatro salários mínimos para cada brasileiro ao nascer, ou ainda expropriar sem indenização grandes empresas privadas.

Não, não é piada. São propostas de governo formais, entregues à justiça eleitoral e tratadas como se fossem sérias.

Um marciano que tivesse pousado no segundo andar do TSE nesta segunda-feira e assistisse ao trabalho da imprensa, dedicando horas de trabalho minucioso e mobilizando grandes engrenagens da mídia nacional para dar publicidade ao ridículo e à irracionalidade do sistema, certamente não compreenderia como um país inteiro aceita e se submete a tais regras.

Maquiadas com uma falsa aura de democracia, elas apenas provam que uma reforma política é absolutamente urgente.

blog da Christina Lemos