Eugenio de Andrade – Versos na tarde – 21/05/2013

As palavras
Eugenio de Andrade ¹

São como um cristal,
as palavras.
Algumas, um punhal,
um incêndio.
Outras,
orvalho apenas.

Secretas vêm, cheias de memória.
Inseguras navegam;
barcos ou beijos,
as águas estremecem.

Desamparadas, inocentes,
leves.
Tecidas são de luz
e são a noite.
E mesmo pálidas
verdes paraísos lembram ainda.

Quem as escuta? Quem
as recolhe, assim,
cruéis, desfeitas,
nas suas conchas puras?

De Coração do Dia (1958)

¹ José Frotinhas Rato
* Fundão, Portugal – 19 de Janeiro de 1923 d.C
+ Porto, Portugal – 13 de Junho de 2005 d.C
ganhou o Prêmio Camões da Língua Portuguesa em 2001


[ad#Retangulo – Anuncios – Duplo]

José Saramago – Prosa na tarde – 24/06/2012

O Amor não Tem nada que Ver com a Idade
José Saramago ¹ 

Penso saber que o amor não tem nada que ver com a idade, como acontece com qualquer outro sentimento. Quando se fala de uma época a que se chamaria de descoberta do amor, eu penso que essa é uma maneira redutora de ver as relações entre as pessoas vivas. O que acontece é que há toda uma história nem sempre feliz do amor que faz que seja entendido que o amor numa certa idade seja natural, e que noutra idade extrema poderia ser ridículo. Isso é uma ideia que ofende a disponibilidade de entrega de uma pessoa a outra, que é em que consiste o amor.

Eu não digo isto por ter a minha idade e a relação de amor que vivo. Aprendi que o sentimento do amor não é mais nem menos forte conforme as idades, o amor é uma possibilidade de uma vida inteira, e se acontece, há que recebê-lo. Normalmente, quem tem ideias que não vão neste sentido, e que tendem a menosprezar o amor como factor de realização total e pessoal, são aqueles que não tiveram o privilégio de vivê-lo, aqueles a quem não aconteceu esse mistério.

José Saramago, in “Revista Máxima, Outubro 1990”

¹José de Sousa Saramago
* Azinhaga, Portugal – 16 de Novembro de 1922 d.C
+ Ilhas Canárias, Espanha – 18 de Junho de 2010 d.C
Prêmio Nobel de Literatura – 1998
Prêmio Camões – 1995


[ad#Retangulo – Anuncios – Duplo]

Tópicos do dia – 21/05/2012

08:15:38
Cavendish, o dono da Delta Construções, começa a falar. Por ora nos bastidores.
(…) Nos bastidores, Cavendish tem falado. E muito. Ele usou interlocutores de sua confiança para divulgar suas mensagens. Uma delas foi endereçada aos políticos. Seus soldados espalharam a versão de que a empreiteira destinou cerca de 100 milhões de reais nos últimos anos para o financiamento de campanhas eleitorais — e que o dinheiro, obviamente, percorreu o bom e velho escaninho dos “recursos não contabilizados”. Uma informação preciosa dessas deveria excitar o ânimo investigativo da CPI do Cachoeira. Os mensageiros de Cavendish também procuraram solidariedade na iniciativa privada. A arma foi ressaltar que o caixa dois da Delta, que serviu para financiar campanhas, segue um modelo idêntico ao de outras empreiteiras, inclusive usando os mesmos parceiros para forjar serviços e notas fiscais frias. A mensagem é: se atingida de morte, a Delta reagiria alvejando gente graúda. Como o navio nazista Bismarck, a Delta afundaria atirando. Faria, assim, um bem enorme ao interesse coletivo, mas seria mortal aos interesses privados. Os mensageiros de Cavendish têm espalhado que a mesma empresa fornecedora de notas frias da qual sua construtora se servia abastecia outras duas grandes empreiteiras.
Otávio Cabral e Daniel Pereira/Veja

08:30:22
Mesmo em primeira instância, mensalão ainda não teria sido julgado, diz ministra
A ministra Camen Lúcia, que preside o Tribunal Superior Eleitoral e integra o Supremo Tribunal Federal, negou demora em demasia para o início do julgamento do processo do mensalão. Ela acha inclsive que o julgamento ainda não teria sido realizado mesmo que o processo tramitasse em primeira instância, tendo em vista sua complexidade. Apesar disso, a ministra afirmou que tem estudado o caso e por isso está em condições de julgar. No total, são 38 réus, incluindo o ex-ministro da Casa Civil do governo Lula, José Dirceu, parlamentares, digentes do PT e empresários, como Marcos Valeerio, que seria o operador do esquema de suborno a deputados e senadores para votar favoravelmente projetos de seu interesse. Segundo o ministro Carlos Ayres Britto, presdente do STF, se o julgamento do mensalão não for concluído até 30 de junho, ficará para o ano que vem.
coluna Claudio Humberto

08:59:10
Cachoeira tenta evitar novamente ida à CPMI
Está marcado para amanhã, terça feira, o depoimento do contraventor Calos Cachoeira à CPMI que apura as ligações perigosas com o senador Demóstenes Torres, e mais dúzias de políticos, empresários e figurões da República.
Acontece que o depoimento pode não acontecer.
O ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), deve decidir hoje se mantém ou não a decisão que desobriga o bicheiro de falar à CPMI. Se o ministro mudar de ideia e determinar que Cachoeira compareça à comissão, o advogado do bicheiro (o ex-ministro da Justiça Márcio Thomaz Bastos) já avisou ontem que ele permanecerá calado.
Bastos quer mais três semanas de prazo, liberação das 90 mil horas de áudio, montagem de equipe de dez pessoas para analisar o material e acesso com mais liberdade a Cachoeira para avaliarem juntos os documentos. Integrantes da comissão, no entanto, dizem não haver motivo para o adiamento e reclamam do comportamento da defesa.
com informações do O Globo

12:42:49
Escritor curitibano Dalton Trevisan vence o Prêmio Camões 2012.
Organização divulgou nome do homenageado nesta segunda (21), em Lisboa.
Contista de hábito recluso e de prosa peculiar vai receber 100 mil euros.
O escritor curitibano Dalton Trevisan foi homenageado com o Prêmio Camões, o mais importante da Língua Portuguesa. A organização do prêmio divulgou a informação na manhã desta segunda-feira (21), em Lisboa, através do secretário de Estado da Cultura, Francisco José Viegas. O autor vai receber 100 mil euros pela distinção (cerca de R$ 268 mil).

A escolha do autor de “O Vampiro de Curitiba“, de 1965, foi unânime pelo júri da 24ª edição do prêmio, formado por seis representantes de Portugal, Brasil, Moçambique e Angola. Foi por esta obra que o homenageado passou a ser chamado de Vampiro de Curitiba, associando também ao estilo de vida dele de reclusão. Trevisan não gosta de dar entrevistas nem de ser fotografado e dificilmente é visto nas ruas.
Ele é reconhecido por ser um dos grandes contistas da Língua Portuguesa e de ter uma prosa peculiar. Entre as obras mais conhecidas estão “Ah, é?”, “A Guerra Conjugal”, “A Polaquinha”, “Arara Bêbada”, “111 Ais”, “Pico na Veia” e “O Anão e a Ninfeta”, lançado em 2011.
G1

21:14:53
CPMI do Cachoeira: manobra para novo adiamento do depoimento do contraventor, não “cola”
Ministro Celso de Mello do Supremo Tribunal Federal autoriza depoimento de Cachoeira à CPI, reconsiderando a decisão tomada na última semana. Depoimento será amanhão, 22, terça.


[ad#Retangulo – Anuncios – Duplo]

Morre José Saramago prêmio Nobel de Literatura

“Todos sabemos que cada dia que nasce é o primeiro para uns e será o último para outros e que, para a maioria, é só um dia mais.”
José Saramago – Escritor português, Prêmio Nobel de Literatura de 1998

“A viagem desta jangada é um percurso de experiência e aprendizagem, entre o espaço e o tempo, de um enigma que se desvela: o combate ao imobilismo numa errática viagem através de nós mesmos, a notável viagem de um espantado Roque Lozano, o andaluz que quer chegar até à fronteira e verificar a separação, fazendo o percurso de burro. O navegador , na singularidade um símbolo colectivo, na solidão um exemplo de sociedade, uma alegoria da criação, um agente e demiurgo, um peregrino do conhecimento e da interpretação, alternando a luz com a sombra, criando um iberismo de circunstância, fruto da sobrevivência e não de obrigações políticas. Inesquecível é a pergunta de Pedro Orce “O que gostaria de saber é o que é que se move dentro de nós e para onde vai, (…) como se movem e nos movem constelação, galáxia, sistema solar, sol, terra, mar, península, Dois Cavalos, que nome finalmente tem o que tudo move” à qual José Anaíço responde “Com o homem começa o que não é visível”. in Jangada de Pedra

Filho e neto de camponeses sem terra, José Saramago nasceu na aldeia de Azinhaga na província do Ribatejo, no dia 16 de Novembro de 1922.

Prêmios:
Prêmio Europeu de Comunicação Jordi Xifra Heras (Girona) 1998
Prêmio Nacional de Narrativa Città di Pienne (Itália) 1998
Prêmio Nobel de Literatura 1998
Prêmio Camões 1995
Prêmio de Consagração de Carreira da Sociedade Portuguesa de Autores 1995
Prêmio Vida Literária, da Associação Portuguesa de Escritores 1993
O Editor


Autor de ‘Ensaio sobre a cegueira’ morreu hoje nas Ilhas Canárias.

Informação foi passada à agência de notícias EFE pela família do escritor.

O escritor português José Saramago morreu aos 87 anos em sua casa em Lanzarota, nas Ilhas Canárias, nesta sexta-feira (18).

A informação foi passada à agência de notícias EFE pela família do escritor de “Ensaio sobre a cegueira”.

Veja fotos da trajetória do escritor

O escritor português era um dos maiores nomes da literatura contemporânea e vencedor de um prêmio Nobel de Literatura no ano de 1998 e de um prêmio Camões – a mais importante condecoração da língua portuguesa.

O autor era tido como o criador de um dos universos literários mais pessoais e sólidos do século XX e uniu a atividade de escritor com a de homem crítico da sociedade, denunciando injustiças e se pronunciando sobre conflitos políticos de sua época.

EFE