Encontro de reis: canção e contravenção

Assisti reportagem sobre o mercantilista desfile (sic) das escolas (sic) de samba — aliás, o grande Noel, ‘mestre’ da Vila Isabel, não poetou que “samba não se aprende na escola? — tratando da trajetória de vida de um cantor popular.

Não assisti aos desfiles, e pergunto aos que se quedaram madrugada adentro e assistiram toda a pantomima, se realmente todos os fatos da vida do celebrado cantor foram contados e cantados. Ou algum epsódio — cito como referência e não como exercício escatológico — por não ser midiático nem palatável ao ‘show’ foi varrido para baixo dos carros alegóricos? Afinal a vida não é feita de glórias e tragédias? Stalin redivivo apagando fatos inconvenientes da história?

O que vi de irônico, trágico e afrontoso, por parte de quem é um formador de opinião, na reportagem foi o aval promíscuo entre “reis”.
O Editor


À direita, Anísio. Foto: Ricardo Matsukama/Terra

do blog do Noblat

Está na Wikipédia, assim mesmo, e sem links para as operações policiais que resultaram na prisão dele:

Aniz Abraão David, mais conhecido como Anísio Abraão David ou simplesmente Anísio, é um empresário e contraventor brasileiro e presidente de honra da escola de samba Beija-Flor.

Vindo de uma família de origem libanesa, Anísio tinha mais oito irmãos (sete homens e duas mulheres), porém, recentemente um de seus irmãos faleceu, restando somente ele, o ex-prefeito Farid Abrão, o comerciante David Abrahão e mais duas irmãs.

Anísio é mais conhecido pela sua forte influência política de sua família na cidade de Nilópolis. Seu irmão Farid Abrão David é o ex-prefeito da cidade, seu sobrinho, Ricardo Abraão, foi deputado estadual, seu primo, Simão Sessim, é deputado federal e o outro sobrinho, Sérgio Sessim, foi eleito prefeito do município de Nilópolis.[ad#Retangulo – Anuncios – Direita]

Sua familia ja se mantém no poder há bastante tempo, sendo que o deputado Simão Sessim ocupou também a prefeitura. O outro irmão, o ex-deputado Jorge Sessim David, já falecido, também foi mandatário da cidade. O irmão de Anísio, o também falecido, Miguel Abrahão, deixou como herdeiro político o seu filho Abrahão David Neto (vereador em Nilópolis pelo segundo mandato consecutivo).

Em 2007, Anísio foi um dos bicheiros presos pela Polícia Federal na Operação Hurricane, acusado de ter ameaçado jurados para que dessem o título à sua escola de samba. além de no ano seguinte ser preso durante a Operação 1357.

Se você quiser saber o que foi a Operação Hurricane é só clicar aí. A Operação 1357, aí também.

Menos de um ano depois de ter sido preso pela Hurricane, Anísio desfilou em cima de um Carro de Bombeiros para celebrar mais um título da Beija-Flor de campeã do carnaval carioca.

Foi um dos seus momentos de glória.

O outro, certamente, foi vivido ontem ao lado do cantor Roberto Carlos, quando a Beija-Flor recuperou o título de campeã perdido há dois anos.

O Rei da canção e o Rei dos contraventores – juntos, felizes, no mesmo espaço.

Não sei não… Mas Roberto Carlos poderia ter passado sem essa.

Quando o crime compensa: CNJ aposenta juiz da máfia do caça-níqueis com salário integral

Brasil: da série ” O tamanho do buraco!”
Quem se marginaliza perde o direito a qualquer honra!
Com tamanha demonstração de fraqueza e corporativismo como pode o judiciário brasileiro se impor. Assim, continua valendo, na opinião da população, que somente ladrão de galinha – ainda existem tão relés meliantes? – é que vai para a cadeia.

De nada adianta a sisudez de impolutos magistrados diante de uma vergonha moral dessa magnitude.
O Editor


Punidos, mas bem pagos

CNJ aposenta com salário integral magistrados acusados de ligação com máfia dos caça-níqueis.

Acusados de vender sentenças para a máfia dos caça-níqueis, o ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Paulo Medina e o ex-vice-presidente do Tribunal Regional Federal da 2 Região José Eduardo Carreira Alvim receberam ontem a mais alta punição administrativa da magistratura: foram aposentados compulsoriamente.[ad#Retangulo – Anuncios – Direita]

No caso, com direito a salário integral, já que têm mais de 35 anos de contribuição. Medina receberá mensalmente R$ 25.386,97, enquanto Alvim se afasta com uma remuneração mensal de R$ 24.117,62. Esta foi a primeira vez que o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), criado em 2005, julgou e condenou um ministro do STJ.

Em decisão unânime, os 15 conselheiros entenderam que os dois magistrados, processados no Supremo Tribunal Federal (STF) por corrupção e prevaricação, desrespeitaram a Lei Orgânica da Magistratura, que determina a manutenção de “conduta irrepreensível na vida pública e particular”. Em 2007, ambos foram investigados pela operação Hurricane (Furação) da Polícia Federal.

Segundo o Ministério Público Federal, Medina e Alvim supostamente negociaram a liberação de 900 máquinas caça-níqueis, apreendidas pela PF em Niterói, em 2005. O ministro, segundo a denúncia do MPF, teria recebido R$ 1 milhão, por intermédio do irmão Virgílio Medina, para conceder liminar liberando o equipamento.

O principal indício que levou à punição de Medina foi o recebimento de um empréstimo de R$ 440 mil, concedido pelo irmão. Virgílio também foi preso na operação da Polícia Federal, depois de ter sido contratado pelos empresários de bingos para intermediar a liberação das máquinas apreendidas pela PF.

Já o desembargador Alvim aparece em interceptações telefônicas, autorizadas pela Justiça, conversando com os beneficiários de suas decisões. Para o MP, Alvim tinha uma “relação venal” com a quadrilha.

Roberto Maltchik/O Globo