Troféu Óleo de Peroba para eleger o “Cara de Pau do Ano”

Tem pesquisa nova aí ao lado.
Vote para eleger o ganhador do Troféu Óleo de Peroba.
O galardão homenageia aquele que mais considerou os Tupiniquins como uma tribo de beócios.

Lula não sabia e a Yeda Crusius, também não?

Brasil: da série “cuméquié?”

Ok!

Papai Noel existe e a mula sem cabeça é vista pastando na Praça dos Três Poderes, trazendo no lombo o Saci Pêrêrê. Temos que acreditar que no planalto central, onde a farsa é prática política contumaz, tudo o mais é possível.

Do apedeuta, que tenta um emprego, pós-presidência da República, como garoto propaganda do velho Óleo de Peroba, juntamente com todos os aloprados, mensaleiros e cupinchas, como autênticos caras-de-pau na arte cínica do “eu não sabia”, todo mundo já ouviu a cantilena.

Agora, seguindo os passos do chefe dos Tupiniquins, a prenda gaúcha do tucanato, Yeda (Cruz Credo) Crusius, também alega que:
“eu não sabia, tchê!”.

Uáu!

Então, vamos lá.

Do blog do Noblat

Você acredita que Lula sabia ou não do mensalão pago a deputados para que votassem na Câmara de acordo com a orientação do governo?
Sua crença, seja qual for, deveria prevalecer também no caso da governadora Yeda Crucius (PSDB), do Rio Grande do Sul, que enfrenta grave crise política.

O chefe da Casa Civil do governo dela foi grampeado pelo vice-governador, que é do DEM. E admitiu em parte do diálogo que dinheiro desviado do Detran e de outros órgãos públicos do Estado sempre financiou campanhas eleitorais – inclusive de partidos aliados do atual governo.

É razoável que Yeda não soubesse? Que jamais tivesse ouvido falar a respeito? Que tenha sido surpreendida pelas revelações do seu principal auxiliar – assim como Lula disse depois que Roberto Jefferson detonou o caso do mensalão?

A crise que sufoca o governo de Yeda já custou a demissão de três secretários dela. Outros secretários deverão ser substituídos nos próximos dias.

Esta semana, o DEM deverá repreender o vice-governador por seu comportamento no episódio. Na verdade deveria condecorá-lo por ter denunciado algo de escandaloso.

Por ora, o PSDB nacional ainda não saiu em peso em socorro de Yeda. Guarda um silêncio obsequioso.