Neymar e Galáxias

Lá vou eu. Não entendo nada, ou quase nada de futebol, mas sei que, cada vez mais o Nobre Esporte Bretão é um esporte coletivo, principalmente depois do carrossel Holandês do Cruijff.Neymar,Futebol,Esportes,Barcelona,PSG

[ad name=”Retangulo – Anuncios – Duplo”]

Também sei que estrelas fora de uma galáxia – uma eremita – mesmo tendo calor por dentro, sem gravidade esfria e morre.

É a gravidade que mantém as coisas vivas no universo, e a gravidade só existe onde tem outras estrelas perto uma das outras.

Uma estrela eremita morre sem gravidade e também de frio.

A carreira do Neymar acabou.
Ps. A última vez que fui a um jogo de futebol no velho PV – era só pular o muro do quintal de casa – comer um sanduba do Marechal, foi pra assistir Usina Ceará, salve Doca, e Gentilândia, salve Canhoteiro.

Caso Neymar: um crime que o mundo viu, menos as autoridades do Brasil

Zuniga,Neymar,Copa do Mundo 2014,Blog do MesquitaNeste Brasil e Colômbia, pela Copa do Mundo 2014, na Arena Castelão, em Fortaleza (arena mesmo, como aquelas onde se enfrentavam feras e gladiadores nos antigos anfiteatros romanos), o nosso Neymar foi vítima de crime de lesão corporal, previsto no artigo 129 do Código Penal Brasileiro (CP).

E lesão corporal de natureza grave, por ter causado ao atleta “incapacidade para as ocupações habituais por mais de trinta dias“, circunstância que o § 1º, nº I, do artigo 129 do CP faz alterar a pena que passa a ser “reclusão de um a cinco anos“.

O crime tem autoria mais do que conhecida. Neymar foi gravemente lesionado pelo jogador colombiano Zúñiga. E de forma covarde e intencional.

Toda agressão pelas costas é covarde. Mais ainda por impossibilitar que a vítima se defenda.

Intencional porque a disputa pela bola aérea ou rasteira, ainda que viril, não justifica a brutalidade cometida contra Neymar.

Foi mesmo para derrubar.

Para tirá-lo do jogo. Tanto foi que derrubou.

E colocou Neymar fora da Copa.[ad name=”Retangulo – Anuncios – Direita”]

O PROCEDIMENTO LEGAL

Termina a partida, Zúñiga deveria ter sido levado preso à delegacia de polícia da região onde está localizada a Arena Castelão e lá ser autuado por lesão corporal e, em seguida, liberado mediante pagamento de fiança. Isso se a Autoridade Policial não decidisse mantê-lo preso até que o Juiz, para quem o auto de prisão em flagrante fosse logo enviado, resolvesse ou não, expedir a ordem de soltura.

Décadas atrás, quando era titular da 18ª Delegacia de Polícia, que fica da Rua Barão de Iguatemi (Praça de Bandeira, RJ), o delegado Maurílio Moreira, com sua equipe e a serviço, comparecia ao Estádio do Maracanã para assistir aos jogos.

E não foram poucas as vezes que o Dr. Maurílio, depois do jogo, foi ao vestiário do estádio para prender e conduzir à delegacia jogadores de futebol que, durante a partida, causaram lesão corporal ao atleta da equipe adversária. Certa vez indagado por que agia com tanto rigor, o Dr. Maurílio respondeu:

“O Estádio do Maracanã se encontra dentro da área da circunscrição da qual sou a autoridade policial. Eu estava no estádio, vi e agi. Cumpro a lei“.

A propósito: quem agride e lesiona outra pessoa, na rua ou em qualquer lugar, e a polícia chega não é conduzido à delegacia da área para ser autuado?

SEM DIFERENÇA, SEM EXCEÇÃO

As lesões corporais, leves ou graves, que jogadores de futebol sofrem durante uma partida, não estão fora do alcance das leis penais, que não as excepcionam. Para que estivessem, seria preciso que as lesões, em tal circunstância, fossem descriminalizadas.

O Direito Penal não deixa de considerar crime condutas censuráveis de atletas que durante uma partida de futebol(ou outro esporte qualquer) infrinjam a lei penal. E sendo a lesão corporal de natureza grave, o crime é de ação pública incondicionada.

Não depende de queixa ou representação do ofendido. Por se constituir crime a que o Código Penal prevê pena máxima superior a dois anos, está fora do âmbito da competência dos Juizados Especiais Penais, cuja lei (nº 9099/95) exige que a própria vítima Neymar apresentasse queixa à Polícia ou ao Ministério Público (artigo 88). Não foi, nem é o caso.

Basta que a Autoridade dele tenha tomado conhecimento. E se presenciado o crime, com muito mais razão e obrigatoriedade, prender o infrator. Se não tanto, instaurar o competente inquérito e/ou a ação penal. A lesão corporal de natureza grave que vitimou o nosso Neymar não dependia e continua a não depender, de queixa-crime do próprio Neymar, para que Zúñiga fosse preso e permanecesse no Brasil até final julgamento.

Parece que agora é tarde. Pena que o delegado carioca dr. Maurílio Moreira não estava lá no Castelão. Mesmo sendo Autoridade Policial do Rio, ele prenderia o infrator e o conduziria à presença de seu colega do Ceará. Afinal, o Mundo viu, menos as Autoridades do Brasil.
Jorge Béja/Tribuna da Imprensa

Neymar um novo Pelé?

Nessas horas é que gostaria de entender de futebol para poder opinar.

Mas, “pra não perder a viagem”, lá vai; o frangote aí já fez mil gols?;
ganhou 3 copas do mundo?
Quando o fizer, volto a dar palpite¹ sobre o tema.

Neymar Pelé Futebol Blog do Mesquita

¹ Meus conhecimentos do ludopédio só me permitem atuar como palpiteiro.


[ad#Retangulo – Anuncios – Duplo]

Tópicos do dia – 29/08/2012

08:29:23
Coligações partidárias. Esqueçam a pantomima do julgamento do mensalão e os novos heróis da moralidade.

Mas vamos lá. Como é o sistema político brasileiro?
1. Permite coligações de partidos os mais heterogêneos ? Sim.
2 O financiamento de campanha eleitoral é exclusivamente público? Não.
3. Os partidos são obrigados a passar o chapéu no empresariado, se quiserem concorrer com chances? Sim
4. Os pautados pela mídia acreditam que o mensalão é coisa de agora? Sim

08:55:02
Com os pés no chão, pois toga não levita!

A lei não prevê caixa 2, é claro, mas trata caixa 2 como infração menor. Essa excrescência permite que essa corrupção domine todas as eleições desde Deodoro.
Por conta disso é que o mensalão tucano teria passado despercebido e estaria funcionando até hoje, se a bandalheira do Lula e asseclas não tivesse vindo a lume.
Só quando descobriram a existência do cínico Delubio Soares e seu imoral “recursos não contabilizados” é que descobriram, por tabela, o mensalão tucano (e mesmo assim, com uma enorme má vontade em aprofundar as investigações, com medo de atingir Aécio Neves, José Serra e Geraldo Alckmin).
A lei é assim. É uma porcaria de lei, porque empreiteiras, bancos e até bicheiros (!) financiam campanhas, em geral buscando vantagens futuras nos governos.
O mais é por que a selecinha não ganhou a olimpíada, e descobriram que o Neymar só tem topete.

10:00:01
Serra não consegue mais dormir: Paulo Preto vai depor na CPI e ameaça contar tudo

Não tem Lexotan que dê jeito. José Serra não consegue se livrar da insônia desde que o ex-diretor da estatal paulista Dersa, Paulo Vieira de Souza, conhecido entre os tucanos como Paulo Preto, convocado para depor esta quarta-feira na CPI do Cachoeira, avisou que dirá à comissão que os seus atos à frente da empresa eram de conhecimento do então governador Serra, que hoje é candidato à Prefeitura de São Paulo.

Paulo Preto foi convocado pela CPI para esclarecer suspeitas de superfaturamento na obra de ampliação da marginal Tietê, uma das principais vias da capital paulista, contratada na gestão de Serra (2006-2010).
A ampliação da marginal era responsabilidade de consórcio liderado pela construtora Delta – empresa da qual o empresário Carlinhos Cachoeira é sócio oculto, de acordo com a Polícia Federal.

Reportagem de Cátia Seabra e Breno Costa, na Folha, revela que Paulo Preto antecipou a interlocutores a disposição de afirmar que Serra era sua “bússola” na Dersa e que, para comprovar, dispõe de documentos assinados por ele. Ele estaria também disposto a admitir que se valeu do prestígio entre empresários para ajudar a arrecadar, de forma legal, recursos para a campanha de Serra à Presidência, em 2010.

Além de se defender das acusações de que é alvo, o engenheiro decidiu dividir a responsabilidade de suas ações com o tucano após o fracasso de uma articulação com o PT para impedir que sua convocação fosse engavetada.
Há dois meses, petistas propuseram acordo pelo qual votariam contra a convocação de Paulo Preto desde que a oposição desistisse de chamar Luiz Antônio Pagot, ex-diretor-geral do Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes).
O líder do PSDB no Senado, Álvaro Dias (PR), rechaçou a oferta, segundo tucanos, sob orientação do senador Aécio Neves (PSDB-MG), desafeto de José Serra, segundo a Folha.
Informados da disposição do ex-homem-forte da Dersa, emissários tucanos tentaram reabrir as negociações com o PT. Mas já era tarde.

O depoimento de Paulo Preto ocorrerá um dia após o de Pagot, outra testemunha potencialmente explosiva. Ou seja, a fala de Pagot pode vir a pautar os questionamentos ao ex-diretor da Dersa.
Carlos Newton/Tribuna da Imprensa

13:15:02
Mensalão e Ordenações Filipinas

Voltando ao tempo das Ordenações Filipinas que previa aplicação de pena cruel:
Caso condenado, cada mensaleiro deve ser condenado a ler as obras completas de José Sarney.

19:41:26
Mensalão: Thomaz Bastos muda o tom, mas diz que nenhum mensaleiro será preso antes de 2013

Como os primeiros resultados do julgamento do mensalão, o advogado e ex-ministro da Justiça Márcio Thomaz Bastos mudou o tom, já não fala em absolvição da maioria. Em entrevista ao repórter Fernando Rodrigues, da TV Folha-UOL, o ex-ministro previu que o julgamento do mensalão só será concluído em 2013. E garantiu que, antes disso, nenhum dos réus, mesmo se condenado agora, será preso.

Bastos calcula o tamanho das penas

Em entrevista ao programa “Poder e Política”, projeto da Folha e do portal UOL, Thomaz Bastos calculou que no ritmo atual o julgamento tomará o mês de setembro e “poderia até entrar em outubro”.

Depois, só em “alguns meses” será publicado o acórdão –a compilação de todos os votos dos ministros do Supremo Tribunal Federal e com as eventuais penas para quem for condenado.

Traduzindo tudo isso: a Justiça brasileira precisa mudar suas práticas. Afinal, condenar um réu à prisão e deixá-lo solto, preparado para fugir, até a publicação da sentença (no caso, do acórdão), é um procedimento de uma estupidez sesquipedal, como se dizia antigamente.
Carlos Newton/Tribuna da Imprensa


[ad#Retangulo – Anuncios – Duplo]

Tópicos do dia – 04/11/2011

09:47:04
Lula e SUS
Do presidente do INCA, Dr. Luiz Santini:
“Se Lula viesse se tratar aqui, a primeira piada seria: ‘Olha lá, já começou furando a fila’.”

09:56:41
Romário: o baixinho no ataque.
Em entrevista à Palyboy, Romário mostra que nelson Piquet fez escola em dizer o que pensa, doa a quem doer. Confira:

Sobre críticas de Casagrande, o ex-jogador, a Neymar:
— Quem é ele para falar? Não tem condição. São caras que não jogaram porra nenhuma, fizeram muita coisa errada e agora querem dar uma de santinhos…
Sobre quem acha que, no Congresso, ele é só mais um:
– O cara que vem dizer pra mim que eu sou uma celebridadezinha é um imbecil completo. Eu sou o Romário!
Sobre sua fama de antipático nos corredores da Câmara, em Brasília:
– Esse negócio de ficar rindo pra todo mundo não é uma coisa minha. Entendeu ou não?

10:05:13
Brasil: da série “só doi quando eu rio”!

O projeto que anistia os deputados cassados pela Câmara no escândalo do mensalão, descoberto em 2005, foi incluído na pauta da reunião da próxima quarta-feira da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), a principal comissão da Casa. O presidente do colegiado e responsável por definir a pauta é o deputado João Paulo Cunha (PT-SP), um dos réus no processo sobre o tema que tramita no Supremo Tribunal Federal (STF).

10:40:01
Lucro descomunal do Banco Itaú “acorda” a Receita Federal.

O lucro de R$ 10,9 bilhões anunciado pelo Itaú Unibanco foi uma conquista e tanto. Mas uma avaliação cuidadosa dos números indica que o balanço sofreu grande ginástica tributária. O volume de impostos pagos no ano caiu 64% – em dinheiro, R$ 2,5 bilhões (queda de R$ 3,9 bi para R$ 1,4 bi). Não fosse isso, o lucro ficaria bem distante do que foi celebrado. A Receita sabe disso e acompanha com olhos de lince.

16:26:27
Presente de Grego

Jogada ‘exxxxxxxxxxxxxxxperta’ do premier Papandreou que queria papar – com trocadilhos, por favor – o povo Grego com a farsa do referendo, mas que não colou.
Não tendo o referendo, ele lava as mãos ante os eleitores, e fica definido o que a União Européia estabelecer de ajustes na economia Grega.
Tendo o referendo, ele jogaria a responsabilidade pelos cortes na assistência social, salários, empregos públicos e arrocho monetário, nos eleitores.
Maquiavel faz escola na Ágora. Agora!


[ad#Retangulo – Anuncios – Duplo]

Eleições 2010 e Seleção brasileira: Dunga é a Dilma de chuteira

[ad#Retangulo – Anuncios – Esquerda]O nosso técnico da Seleção, o exaltado patriota Dunga, na convocação dos 23 craques contratados pelos poderosos e endinheirados clubes do mundo, foi fiel ao seu estilo, com alguns retoques não sei se para melhor ou para pior.

Que exagerou na dose, não há dúvida. A composição da imagem do patriota, com a camisa verde sobre a camiseta amarela e o blusão escuro compôs o personagem que aparece na primeira página de todos os jornais, tem espaço cativo nas revistas e desfrutou a suprema ventura da entrevista no Jornal da TV-Globo das 20 horas, pelo casal Wlliam Bonner e Fátima Guedes.

Dunga além de um patriota de carteirinha é um escravo da coerência. A chave mágica que explica e justifica as exclusões da lista de convocados das revelações do Santos, Neymar e Ganso, além de Ronaldinho Gaúcho e do tanque Adriano, que realmente não atravessa uma boa fase seja no futebol como no comportamento. Não entendi a coerência na convocação do medíocre Grafite, que provavelmente foi contemplado com uma viagem para assistir do banco de reservas a Copa da África e torcer pela Seleção.

A candidata Dilma Rousseff, com as adaptações óbvias, é uma adepta da cartilha do Dunga. Ou a Dilma de chuteira o reverso do Dunga candidato a técnico campeão do mundo. Em mais uma viagem de pré-campanha, a candidata Dilma deu uns retoques na sua imagem de candidata, que vem sendo cultivada com firme determinação. Já não há mais o que esticar no rosto ou no pescoço e o guarda-roupa é precavido e apto para atender a emergência de viagens ao Pólo ou ao deserto da África equilibrada no lombo do camelo.

Mais intrigante e curioso é o ajuste à linguagem de candidata em campanha. Ela e o candidato José Serra andam batendo cabeça nos deslocamentos da campanha. O tucano José Serra esteve no Rio Grande do Sul para tentar o apoio do PMDB estadual. Na semana seguinte, Dilma desembarcou na cidade de Rio Grande.

E foi direta ao que interessa; “cabe aos eleitores decidir com o que está mais identificado: se com os programas do governo Lula ou com a estagnação, desemprego e desigualdade” – uma carapuça para a cabeça do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

Na mesma cadência, a candidata Dilma sustentou que esteve presente “em cada programa do governo.” Aí a decisão não é dela, mas dos eleitores “que votarão no candidato que considerar mais comprometido com o desenvolvimento. E aí não sou eu que resolvo. Aposto na inteligência da população brasileira”.

“O que eu posso dizer – continua Dilma na declaração mais enfática- é que eu fiz isso. Eu fiz este governo, eu participei dele 24 horas por dia nos últimos sete anos e meio e me afastei há um mês, mas eu quero dizer que em cada programa deste governo tem a minha participação”.

Do vírus da modéstia a candidata Dilma está livre, vacinada e com fôlego para topar qualquer parada.

Villas Bôas Corrêa