Ministério dos Esportes: ‘Era roubo. Eu vi maços de dinheiro distribuídos’

Parece não ter fim!

Nenhuma semana se passa sem denúncias de corrupção. Agora voltam as acusações de corrupção acontecidas no Ministério dos Esportes a época do senhor Orlando Silva.

Novamente envolvida na roubalheira, aparece uma ONG. Aliás, por que a CPI das ONGs nunca saiu do papel?

José Mesquita – Editor


Certas coisas são tão evidentes que só um cego olharia duas vezes.

No ano passado, foram tantas as evidências de malfeitos praticados por ONGs no Ministério dos Esportes que Dilma Rousseff mandou ao olho da rua o ministro da época, Orlando Silva (PCdoB).

A providência retirou a pasta das manchetes. Porém…[ad#Retangulo – Anuncios – Direita]

Surge agora uma novidade que indica que a limpeza não chegou aos armários do ministério.

Subcontratado pelo Instituto Contato, entidade ligada ao PCdoB, o micro-empresário catarinense João Batista Machado, dono da JJ Logística Empresarial Ltda., contou ao repórter Fernando Junqueira: desviaram-se 90% das verbas de dois convênios firmados com o Ministério dos Esportes em 2009 e 2010, sob Lula.

A coisa envolvia o fornecimento de lanches para crianças atendidas pelo programa Segundo Tempo.

Sediada em Tanguá, região metropolitana do Rio, a firma de João Batista deveria fornecer os lanches que alimentariam a criançada durante atividades esportivas em períodos complementares ao horário da escola.

O ministério liberou R$ 4,65 milhões. Desse total, diz João Batista, apenas R$ 498 mil foram usados na aquisição de alimentos. Malversaram-se os outros R$ 4,15 milhões.

“Era tudo roubo. Vi maços de dinheiro serem distribuídos”, relata o dono da JJ Logística.

Beneficiaram-se dos desvios políticos de Brasília, de Santa Catarina e do Rio.

Os nomes? O denunciante não revelou.

Candidato a vereador em São Paulo, o ex-ministro Orlando Silva não foi eleito. Obteve uma suplência.

O Instituto Contato negou as acusações do seu contratado.

Hoje gerido por Aldo Rebelo (PCdoB-SP), o Ministério dos Transportes rescindiu os convênios e informou que vai investigar a nova denúncia.
blog Josias de Souza 

Tópicos do dia – 11/11/2011

12:50:12
Ongs e a realeza. Não escapa nem sua majestade!
No O Globo:
Genro de monarca espanhol é suspeito de irregularidades em ONG.
Acostumada a aparições na coluna social, a família real espanhola foi surpreendida ao ser citada na seção policial dos jornais, depois que uma investigação colocou um dos genros do rei Juan Carlos no centro de um escândalo de desvio de verbas públicas.

A Justiça descobriu que o Instituto Nóos concluiu contratos sem licitação com governos regionais da ordem de 4 milhões entre 2004 e 2006 – quando Iñaki Urdangarin, marido da infanta Cristina, presidia a organização.
Um rombo de quase 1 milhão também foi detectado nas contas da instituição, que teoricamente não tem fins lucrativos. Provas encontradas pelos promotores levam a acreditar que o grupo operava em paraísos fiscais no Caribe.
Segundo fontes da Promotoria, o genro do rei e duque de Palma será acusado formalmente assim que 14 caixas de documentos referentes ao caso forem examinadas. Um ex-sócio e três colaboradores já foram indiciados.

15:04:06
Copa do mundo e a praga das cotas.
Sua ex-celência o Ministro dos Esportes Aldo Rebelo, que pertence ao PCdoBolso, demonstra habitar outro planeta.
Sua (dele) ex-celência está preocupado com a definição de cotas de ingressos para os jogos da copa do mundo de 2014, para as minorias. Índios e afins.
Sua (dele) ex-celência saberá que não há quase nada pronto da relação de obras que devem ser feitas para a realização do evento?

15:12:04
Cão de crédito
Tá feia a coisa. O desespero das operadoras de cartões de crédito para arrebanhar abestados chega às rais do surrealismo.
Telemarqueteira da American Express ligou para o cidadão com a oferta de um cartão adicional sem cobrança de anuidade.
O indigitado possível pagador de anuidade anual da marretagem respondeu que não precisava de outro cartão pois morava só em companhia de um cachorro.
A insistente telemarqueteira perguntou, então, o nome do totó. “Fred”, respondeu o solitário consumidor.
Acredite!!! Passado alguns dias ele recebeu o cartão de crédito adicional com o nome… “Frederico Santos”.

17:55:17
Tá sobrando dinheiro no Ceará.
Deve ser por conta dessa abundância que derrubaram parte do Estádio Castelão.
Hoje o Castelão completaria, sim completaria, pois está incompleto por demolição recente.

Tá sobrando dinheiro no Ceará. Deve ser por isso, ou por falta de vergonha, que se derruba algo que foi feito com o suado “caraminguá da mundiça”, pra faze de novo tudo de novo.

Hospitais e escolas estão com cotação 5 estrelas. Na verdade a Fortaleza bela é a 5ª capital com pior qualidade de sáude na Taba dos Tupiniquins.
O que eu acho mais terrível, ou lastimável, ou retrato do corporativismo “tô levando vantagem”, ou como eu gosto de futebol eu não critico o governo, é o silêncio criminoso e desavergonhado dos que calam a respeito de tal “distrupiço” de inversão de valores.
Mas, tudo bem, José Mesquita implicante; Teremos a copa!!! Né não?


[ad#Retangulo – Anuncios – Duplo]

Orlando Silva, ministro dos esportes, pisou na bola

Primeiro foram malas em refinados escritórios. Depois cuecas e meias. A propina agora chegou às caixas de sapatos. Em subsolos, porões apropriados para o habitat de ratos.
O desvio agora é em torno de um tal “Progama Segundo Tempo”.
Já imaginaram Tupiniquins, o que deve ter ocorrido no decorrer do primeiro tempo?
Marx se revira na tumba. Os “comunistas” foram cooptados pelo materialismo burguês.
Esse é o 5º ministro envolvido em tramoias.
Essa é a verdadeira herança maldita que o retirante de Garanhuns deixou para Dona Dilma.

O Editor


Denúncias da Veja ao ministro do Esporte já eram conhecidas. A novidade é que agora há testemunhas.

Já faz vários meses que a imprensa divulga graves denúncias contra o ministro do Esporte, Orlando Silva.

Aqui no blog já comentamos muitas vezes essas fraudes das ONGs “esportivas” ligadas ao PCdoB. Agora é revista ‘Veja’ que acusa o ministro de chefiar o esquema de desvio de dinheiro público para os cofres do seu partido, o PCdoB.

Silva, que está em Guadalajara, no México, onde assistiu à cerimônia de abertura dos Jogos Panamericanos ontem, disse estar “sereno, mas revoltado” com o que classificou de invenções e calúnias.[ad#Retangulo – Anuncios – Direita]

“Quero repudiar as mentiras que foram publicadas pela revista. Uma pessoa que está sendo processada, um bandido, me acusa e eu tenho que me explicar. Já solicitei ao ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, que seja aberto um inquérito criminal para que isso seja apurado. Só encontrei um dos caluniadores (João Dias Ferreira), uma vez, em uma audiência, a pedido do então ministro Agnelo Queiroz. O outro (Célio Soares), nem sei quem é. E duvido que ele me conheça também”, afirmou o ministro.

A reportagem da ‘Veja’ apenas repete as denúncias anteriores, mas acrescenta importantes informações, que ainda não tinham sido divulgadas. Afirma, por exemplo, que o próprio Orlando Silva teria recebido propina dentro da garage do ministério, em Brasília.

As demais afirmações são antigas, pois é mais do que conhecido o esquema de corrupção para irrigar os cofres do PCdoB a partir do desvio de verbas públicas para ONGs de fachada. Os recursos eram destinados à compra de materiais esportivos para crianças carentes, por meio do programa Segundo Tempo, tocado pelo ministério desde o governo Lula.

As denúncias sobre as ONGs foram facilmente comprovadas, porque apontavam as verbas distribuídas a organizações dirigidas por militantes do PCdoB, cujos projetos não foram desenvolvidos. Agora, Orlando Silva alega que as denúncias possam ter um fundo político, já que o ministério não realizará mais convênios com entidades privadas e estes serão feitos agora através de seleção pública. Ou seja, depois da porta arrombada é que se finge colocar uma tranca.

Segundo o ministro, já foram apresentados mais de 500 projetos, mas apenas entre 150 e 200 serão selecionados. Suas alegações são patéticas: “Este ano, os parceiros passaram a ser escolhidos por seleção pública, porque houve mais pedidos do que possibilidade de atender a demanda. Também passamos a não realizar convênios com entidades privadas, pois as públicas garantem um melhor sistema de controle.

Existe um processo no Tribunal de Contas da União para que a empresa relacionada a um dos acusadores devolva o investimento de cerca de R$ 3 milhões. Antes disso, houve a possibilidade de que houvesse uma prestação de contas mais clara, o que não aconteceu”, afirmou Silva.

Em nota complementar à defesa feita por Orlando Silva em Guadalajara, o Ministério do Esporte anunciou que irá acionar a Polícia Federal para investigar denúncias de propina na pasta divulgadas neste sábado em matéria da revista Veja. O pedido já foi feito ao ministro da Justiça José Eduardo Cardozo e terá como alvo denúncias feitas pelo policial militar João Dias em entrevista à revista. “Tenho a certeza de que ficará claro de que tudo o que ele diz são calúnias”, diz o ministro do Esporte, na nota.

Segundo a nota, que dá mais detalhes do contrato do ministério com o denunciante, por meio da Associação João Dias de Kung Fu e da Federação Brasiliense de Kung Fu, o policial teria firmado dois convênios, em 2005 e 2006 para atendimento a crianças e jovens, dentro do Programa Segundo Tempo.

Como o contrato não teria sido cumprido, o ministério determinou a suspensão dos repasses em junho de 2010 , com a instauração de Tomada de Contas Especial, enviando todo o processo ao TCU. O ministério exige a devolução de R$ 3,16 milhões, atualizados para os valores de hoje.

“A avaliação do ministro do Esporte é de que foi esse o motivo para João Dias fazer agora acusações de desvios de verbas do Segundo Tempo por um suposto esquema de corrupção no Ministério”, diz a nota , enfatizando que Orlando Silva afirma com veemência ser caluniosa a afirmação de João Dias de que houve entrega de dinheiro nas dependências do Ministério e pretende tomar medidas legais.

Carlos Newton/Tribuna da Imprensa