Twitter permitirá mensagens diretas de até 10 mil caracteres

São tempos de mudanças no Twitter. Após Dick Costolo anunciar que deixará o cargo de CEO da empresa e Snoop Dogg mostrar interesse na vaga, foi anunciado que, a partir de agora, será possível mandar mensagens diretas (as DMs) com até 10 mil caracteres.

TwitterGetty Images

Os tuítes públicos, por outro lado, continuarão tendo a restrição de 140 caracteres.

“Vocês podem estar se perguntando o que isso significa para o lado público do Twitter. Nada!

Os tuítes vão continuar com os mesmos 140 caracteres de hoje”, disse Sachin Agarwal, gerente de produtos DM do Twitter.


[ad#Retangulo – Anuncios – Duplo]

Zuckerberg lança app para internet de graça

Internet FaceBook Blog do MesquitaCriador do Facebook apresentou a novidade na Colômbia

O criador do Facebook, Mark Zuckerberg, visitou a Colômbia para presenciar o lançamento no país do “Internet.org”, um aplicativo que permite acessar gratuitamente vários sites e serviços sem pagar pela conexão de uma rede wi-fi ou de pacotes de dados.

Com o app, que poderá ser utilizado por qualquer dispositivo com sistema Android, será possível acessar, sem custos, 15 serviços que utilizam internet, como Facebook, Messenger, Wikipedia, 24 Symbols, UN Woman, Mama e Girl Effect.

Divulgada por Zuckerberg e pelo presidente colombiano, Juan Manuel Santos, a iniciativa vai “unir os nossos esforços e desenvolver aplicações e conteúdos que contribuirão para consolidar um país pacífico, mais igualitário e educado”, disse Santos.

O projeto “Internet.org” nasceu há dois anos graças a uma aliança entre grandes sites e serviços da web com o criador do Facebook. O primeiro país a receber o aplicativo foi a Zâmbia, em julho do ano passado. (ANSA)
Fonte: Agência Ansa

Redes Sociais: Um Dia Todos Seremos Peixes

por: Márdel Vinicius de Faria Cardoso[1]

Este não é um artigo de futebol. E muito menos sobre o time do Santos. Afinal eu sou Galo roxo. Cada pessoa tem seu time e sua própria paixão. Mas que você um dia será “Peixe”, isso com certeza será. E não é coincidência a data de lançamento deste artigo. Estamos passando por uma segunda grande onda na internet. A primeira foi disseminada pela magia dos grandes negócios na internet, de fazer milionários do dia para a noite, apenas criando um site na web. Essa magia mergulhou todos nós fundo nesse ambiente tecnológico prometendo-nos informação, cultura e conectividade. A promessa foi cumprida, mas esta revolução foi apenas o início de um longo processo. O enriquecimento rápido que havia sido a mola mestra no passado, agora abre os mares novamente ensinando-nos agora que o “artigo internet” é de primeira necessidade, e não artigo de luxo.

Estamos mergulhando em uma nova revolução: as Redes Sociais. Não foi preciso o congresso nos transformar todos em jornalistas. Com certeza um dia todos seremos de certa forma jornalistas de nós mesmos e estaremos presos nessa nova onda, dentro de um imenso mar de conhecimento. Em qualquer nível social que estivermos agora precisaremos estar ainda mais unidos uns aos outros.

O torpedo do celular, o Messenger e o Orkut agora são tão novos quanto o Fax, TV a Cabo ou uso do computador. Ainda são essenciais ao dia a dia, mas prestes a sofrer grandes mudanças. Não será surpresa daqui algum tempo você tomar conhecimento do seu primeiro filho pela web, junto com centenas de amigos. Sua esposa vai lhe contar o novo “furo” entre 140 caracteres de mensagem no site Twitter, onde todos seus amigos já o seguem há tempos, entre uma novidade e outra, de forma instantânea. O mundo está disseminando rapidamente o fenômeno das redes sociais. Um ambiente que conecta as pessoas por idéias e não apenas por grupos ou comunidades.

Muitos achavam que o Orkut era uma grande revolução onde todos criariam sua própria comunidade. O conceito continua sendo válido, mas agora as comunidades são criadas instantaneamente, por milhares de pessoas, que se interessaram pelas suas palavras, ditas há alguns segundos atrás. Através de uma simples procura pelo site “Twitter”, você poderá ter milhares de seguidores. Tudo vai depender do seu faro jornalístico ao divulgar um grande furo da sua vida pessoal ou profissional. Algo simples como “perdi a minha virgindade”, “comprei meu primeiro carro”, “o Galo vai ser campeão este ano” podem trazer milhares de seguidores instantaneamente, só porque o assunto lhes pareceu interessante. Você vai dizer se deseja que eles o sigam ou não. Eles vão escolher quem lhes parece interessante.

O livro do romeno Alber Barabási intitulado “Linked – a nova ciência dos networks” demonstra que os sites que formam a internet têm determinadas propriedades matemáticas que dependem de três condições para ocorrer. A primeira é que a rede tem de se expandir e crescer. Esta condição de crescimento é tão importante quanto o conceito da “emergência” que segue junto com ela. Está em constante evolução e adaptação e se fortalece com a rede. A segunda refere-se a conexões preferenciais, ou seja, novos integrantes vão querer ligar e participar dela e com ainda mais conexões. A terceira denomina-se “aptidão competitiva” que implica sua taxa de atração. O assunto das redes agora é como o Tsunami no mar, vem na crista da onda para mexer com a comunidade acadêmica que estuda mudanças de comportamento.

Um amigo mineiro e atleticano, Ricardo Borgatti, explicou no prefácio do livro acima a dinâmica destas redes: “De alguma forma sempre estivemos conectados uns aos outros, pois existe pelo menos um elo comum entre todos os seres vivos que é o planeta em que vivemos e no qual tecemos uma grande rede da vida. Entretanto, apenas recentemente passamos a compreender melhor como dinâmicas de redes se desenvolvem”. Ele desenvolveu sua tese de doutorado neste tema e provou os conceitos. Não é por ser atleticano, mas tudo isso vai mudar novamente nossas vidas.

O “Twitter” hoje se populariza na velocidade do orkut no Brasil. Nele quem tem mais seguidores desde 2007 é o Marcelo Tas, ele já foi ultrapassado pelo técnico do Corinthians, Mano Menezes e pelo Fantástico, da Globo. E seus seguidores mudarão e se inflarão instantaneamente de hoje para amanhã. Tudo vai depender do momento, das palavras e das idéias. Outro site, o Ning, fundado por Marc Andreessen, o mesmo fundador da Netscape, responsável pela popularização da web em todo mundo, já superou a marca de um milhão de redes criadas e 700 mil usuários.

É isso mesmo, o volume de redes é maior que o volume de usuários.

Continue lendo

Barack Obama; o presidente digital

A comunicação dos presidentes. Dos bilhetinhos de Jânio Quadros ao high tec Barack Obama.

Enquanto na taba dos Tupiniquins o grande chefe não lê nem jornal…

Barack Obama não entrará na história somente por ser o primeiro presidente negro eleito nos Estados Unidos. Será lembrado também como o que melhor utilizou uma ferramenta fundamental dos dias de hoje: a internet. O democrata soube ler o mundo atual como ninguém e conectou-se a ele pela web.

Vamos aos números. Além do site oficial (www.barackobama.com), Obama é o primeiro presidente com página na rede social Myspace, com mais de 850 mil amigos (entre aqui). Sim, John McCain também tem um perfil no site, mas a história vai lembrar do democrata. Também porque não pára por aí. Obama tem sua própria rede social na internet, a mybarackobama.

Outro site explorado por ele é o Youtube. Os vídeos no canal oficial do novo presidente dos EUA foram vistos mais de 20 milhões de vezes. No mesmo site, há mais de mil músicas e vídeos em homenagem ao democrata. No Flickr, site no qual os usuários compartilham fotos, ele também tem seu perfil. Veja as fotos com a tensão de Obama na apuração passando para o alívio na hora da vitória.

Barack Obama o presidente digitalClique na imagem para ampliar

E tem mais! Obama pegou carona na nova febre da internet, o Twitter, uma rede social que permite aos usuários enviar mensagens de até 140 caracteres, via mensagem de texto do celular, messenger, e-mail ou pelo site oficial. O primeiro presidente negro simplesmente é o usuário com maior número de seguidores no Twitter (quase 120 mil). Confira.

Para completar, grande parte dos US$ 605 milhões arrecadados na campanha veio pela web, de pessoas físicas.

Por essas e outras, Obama teve o apoio maciço nas urnas dos jovens norte-americanos, público antenado na internet e que se conecta com freqüência alucinante nos canais utilizados pelo presidente eleito na histórica terça-feira, dia 4 de novembro de 2008. Pelos números finais das eleições, Obama teve 66% dos votos entre os norte-americanos com idade de 18 a 29 anos, que representam 18% do eleitorado. É muita coisa.

Definitivamente, Obama está online com o mundo.

De Fernando Figueiredo Mello no site da revista Brasileiros

>> biografia de Barack Obama