Mark Strand – A história toda – Poesia

A história toda
Mark Strand


Como isso foi ter acontecido desse jeito
Eu não estou certo, mas você
Está sentado perto de mim,
Pensando em suas próprias coisas
Quando de repente eu vejo
Chamas pela janela.

Eu te cutuquei e disse,
“Aquilo é um incêndio. E além disso,
Nós não podemos fazer nada a respeito,
Porque nós estamos nesse trem, entende?
Você me dirigiu um olhar esquisito
Como se eu tivesse falado demais.

Mas é que você não sabe que eu possa
ter uma paixão por incêndios,
E viajo de trem para ficar
Livre de ter que cria-los.
É possível que os trens
Possam acender o amor pelo fogo.

Eu poderia até suspeitar
Que você é um bombeiro
Disfarçado. E, novamente,
Eu poderia estar enganado. Talvez
Você seja aquele
Que ame um bom fogo. Quem sabe?

Talvez você esteja em outro lugar,
Decidindo que sem um lugar
Para ir você não devesse
Pegar um trem. E eu,
Olhando para minha própria face na janela
Talvez tenha mentido a respeito das chamas.

Mark Strand – Versos na tarde – 17/09/2015

Manual da nova poesia
Mark Strand¹

1    Se um homem compreende um poema
terá problemas.

2    Se um homem vive com um poema
morrerá sozinho.

3    Se um homem vive com dois poemas
será infiel a alguém.

4     Se um homem concebe um poema
terá menos um filho.

5    Se um homem concebe dois poemas
terá dois filhos a menos.

6    Se um homem tem uma coroa na cabeça quando escreve
será descoberto.

7    Se um homem não usar uma coroa na cabeça enquanto escreve
não enganará ninguém a não ser ele mesmo.

8    Se um homem fica furioso num poema
será desprezado pelos homens.

9    Se um homem continuar furioso num poema
será desprezado pelas mulheres.

10   Se um homem denunciar publicamente a poesia
os seus sapatos ficarão cheios de urina.

11   Se um homem desiste da poesia a favor do poder
terá muito poder.

12   Se um homem se envaidecer por causa dos seus poemas
será amado pelos tolos.

13   Se um homem se envaidecer por causa dos seus poemas e amar os tolos
não escreverá mais.

14   Se um homem pede atenção por causa dos seus poemas
será como um burro ao luar.

15   Se um homem escreve um poema e elogia o poema de um companheiro
terá uma amante esplendorosa.

16   Se um homem escreve um poema e elogia exageradamente um poema
de um companheiro
afugentará a sua amante.

17   Se um homem reivindica o poema de outro
o seu coração ficará com o dobro do tamanho.

18   Se um homem deixar os seus poemas ficarem nus
terá medo da morte.

19   Se um homem tem medo da morte
será salvo pelos seus poemas.

20   Se um homem não tem medo da morte
poderá, ou não, ser salvo pelos seus poemas.

21   Se um homem termina um poema
banhar-se-á na esteira vazia da sua paixão
e será beijado pela página em branco.

¹ Mark Strand
* Summerside, Canadá – 11 de abril de 1934 d.C
+ Nova Iorque, EUA – 29 de novembro de 2014 d.C


[ad#Retangulo – Anuncios – Duplo]