Transações via celular – Em 2012 transferência bancária será aplicação móvel mais popular

Celular-transacoes-moveis-mobile-banco-contas-pagamentosTransações móveis superam serviços de localização, busca e navegação no celular entre as 10 aplicações móveis mais usadas, aponta consultoria. Transferências bancárias lideram a lista das dez aplicações móveis que serão mais populares nos próximos três anos, informou a consultoria Gartner na quarta-feira (19/11).

As transações móveis superam, por exemplo, serviços de localização, busca e navegação no celular, aponta a consultoria. O celular já tem sido usando como um meio de bancarização para países em desenvolvimento. “É uma forma de levar serviços financeiros a pessoas que não possuem conta corrente”, afirma Sandy Shen, analista responsável pela área de Dispositivos Móveis e Serviços de Consumo do Gartner.

Os pagamentos móveis (mobile payment ou m-payment) estão em sexto lugar na lista de aplicativos mais populares e serão usados tanto na inclusão de pagamentos eletrônicos nos países em desenvolvimento, como nos países desenvolvidos oferecendo mais uma conveniência, afirma Shen. Este segmento também abre caminho para a tecnologia de pagamento móvel por contato, ou Near Field Communication (NFC), que já está em uso no Japão e vem sendo testada em outros países.

[ad#Retangulo – Anuncios – Esquerda]O interesse em serviços de pagamento móvel é crescente em diversos países, incluindo o Brasil, onde os bancos ampliam, por exemplo, a oferta de alertas via mensagens de texto (SMS) a compras, pagamento de faturas de cartão de crédito e ao DDA (Debito Direto Autorizado).

O Banco do Brasil anunciou recentemente que está preparado para oferecer serviços de ‘SMS reverso’, assim que tiver aprovação da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), prevista para o final deste ano. O serviço permite ao cliente enviar mensagens para consultar saldos, extratos ou comprar produtos do banco, como seguros, por exemplo.

A questão da segurança é o principal desafio para a ‘bancarização‘ pelo celular, ressalta o Gartner. A transmissão dos dados via redes sem fio adiciona traz um grau de risco a estas operações, em relação aos sistemas de pagamento via cartões e terminais eletrônicos portáteis, analisa Shen.

Entre as aplicações móveis que serão mais ‘quentes’ até 2010 também se destacam serviços de localização – Location-based Services (LBS) – buscas, navegação, monitoramento de saúde, publicidade, mensagens instantâneas e música.

Confira as dez aplicações que serão mais populares no celular:

1) Transferência bancária

2) Serviço de localização (Location-Based Services – LBS)

3) Buscas

4) Navegação na internet

5) Monitoramento de saúde

6) Pagamento móvel

7) Near Field Communication Services (NFC)

8) Publicidade

9) Mensagens instantâneas

10) Música

IDG Now

Google informa resultado de acordo com a localização do Usuário

google-logo-buscador-semantica-page-rank-foto

Novo mecanismo combina IP do usuário com localização geral como base para busca local quando dado não for incluso nos termos.

O Google anunciou na segunda-feira (06/04) a atualização global de seu mecanismo de busca, que pode adivinhar automaticamente a localização do usuário para oferecer resultados regionais para termos buscados como restaurantes, hospitais ou floriculturas, usando mapas de cada lugar.

“Se o usuário estiver comprando comida, cosméticos ou artigos esportivos, procurando um banco, uma academia ou uma agência dos Correios, poderá dizer o que quer e nós tentaremos encontrar a opção mais próxima de onde ele estiver”, disseram Jenn Taylor e Jim Muller, engenheiros de software do Google em um post no blog oficial da companhia. “Você ainda pode buscar por lojas específicas ou endereços de ruas nas proximidades”.

O Google já oferecia resultados localizados, mas apenas se o usuário especificasse o local na caixa de busca, –  “restaurantes italianos em São Paulo, capital”, por exemplo. Agora as buscas locais vão aparecer como resultado mesmo se a localização não for especificada.

Taylor e Muller disseram que o Google vai combinar o IP do usuário com uma localização geral e usar esses dados como base para a busca local quando a informação sobre o lugar não for inclusa nos termos buscados. Haverá a opção de mudar a localização (no link “Change Location”) para o usuário especificar ainda melhor os resultados.

Em fevereiro, o Google lançou o Latitude, um upgrade do Google Maps que permite que as pessoas rastreiem a exata localização de seus amigos e familiares usando celulares. Outro recurso, anunciado uma semana depois, afirmava que o Gmail já poderia mostrar a localização do usuário que escreveu determinado e-mail, fazendo a dedução de acordo com o endereço IP do remetente. Tais anúncios reacenderam a polêmica sobre a privacidade dos serviços de internet.

do IDGNow