Arquitetura – Livrarias

Concluída em 1776 na cidade austríaca de Admont, a maior biblioteca monástica do mundo é um exemplo impressionante da arquitetura barroca européia tardia.

Entre os tesouros em seu salão principal de 90 metros de comprimento, estão sete afrescos no teto, dois relevos maciços e estantes decoradas com 68 bustos dourados de estudiosos. Devido à pandemia, uma versão de realidade virtual deste espaço opulento está agora disponível online, acompanhada de uma apresentação multimídia sobre sua história. Como os passeios físicos da biblioteca, este digital tem uma taxa de inscrição – por 0,99 €, você pode explorar a sala principal e todas as suas passagens secretas, ouvir guias de áudio e folhear uma seleção de livros digitalizados.
#Foto de #JORGE #ROYAN

Arquitetura – Bibliotecas

Bibliotecas República Checa,Czech National Library
Clementinum complex of Prague
Foto: Anguel Roumenov Bogoev
arquiteturabibliotecaslivrariasrepublica-checaczech-national-libraryclementinum-complex-of-prague-anguel-roumenov-bogoev-03 arquiteturabibliotecaslivrariasrepublica-checaczech-national-libraryclementinum-complex-of-prague-anguel-roumenov-bogoev-01 arquiteturabibliotecaslivrariasrepublica-checaczech-national-libraryclementinum-complex-of-prague-anguel-roumenov-bogoev-02[ad name=”Retangulo – Anuncios – Duplo”]

Livros: Amazon.com pode comprar a Saraiva

Amazon pode comprar Saraiva para enfim desembarcar no Brasil

A Amazon enfrenta diversos obstáculos para chegar ao Brasil, e o maior deles são as livrarias nacionais: dizem que a Saraiva estaria fazendo pressão junto às editoras para não assinarem com a varejista americana.

Agora, a Bloomberg diz que a Amazon quer comprar a Saraiva.

[ad#Retangulo – Anuncios – Esquerda]Se não pode vencê-los, junte-se a eles.

Uma fonte anônima diz à Bloomberg que a Amazon estaria em negociações secretas para comprar a Saraiva, e assim expandir a base da empresa no Brasil.

Isso deve facilitar as negociações com grandes editoras, que não aceitariam os termos agressivos da Amazon: elas temem que a Amazon abaixe demais o preço dos livros no Brasil.

A Amazon preparava sua estreia para outubro: como revelamos de forma exclusiva, diretores da empresa até conversavam com o Ministério da Educação para levar obras em domínio público ao Kindle.

No entanto, a Amazon adiou seus planos, aparentemente para junho de 2013, devido à dificuldade em fechar acordos com editoras nacionais.

Para chegar ao Brasil, a Amazon também deve trazer produtos físicos, como Kindles, CDs, DVDs e jogos.

Mas eles também tiveram problemas com isso: não tinham um depósito adequado para armazenar esses produtos, todos de pequeno porte.

Sobre o rumor, a Amazon diz à Folha que “não há anúncio a ser feito”, enquanto a Saraiva disse que não comenta boatos e que “não há negociações em curso”.
Felipe Ventura
Por Marcelo Soares Souza/Gizmodo