Anibal Beça – Poesia – Literatura

Quinta Estação Anibal Beça Não há recomeço possível. Senão um olhar para trás. A flor que murcha cai não torna para o galho. Por cima dos ombros o outono perde a primavera e as folhas secas são tapetes grados para amaciar pegadas. Um murmúrio bate à nossa porta e o vento inexorável escarifica cicatrizes no … Continued

Postado na categoria: Literatura, Poesia - Palavras chave: , , , , ,

Gerson Valle – Poesia

Fala das melodias Gerson Valle Chegávamos ao ponto de falarmos por melodias, enquanto nossos olhares davam-se as mãos, percorrendo um possível horizonte de encontros. Que palavras haveriam de se formar na dimensão pura de nosso olhar? Escapa a emoção dos momentos, forçando-nos a procurá-los por cima dos armários, pelas penas dos pássaros que passam, ou … Continued

Postado na categoria: Literatura, Poesia - Palavras chave: , , ,

Catulo da Paixão Cearense – Poesia

Tu passaste por esse jardim Catulo da Paixão Cearense Tu passaste por este jardim! Sinto aqui certo odor merencório Desse branco e donoso jasmim Num dilúvio de amoras pendeu Os arcanjos choraram por mim Sobre as folhas pendidas do galho Que a luz de seus olhos brilhantes verteu Tu passaste, que de quando em quando … Continued

Postado na categoria: Literatura, Poesia - Palavras chave: ,

J.G de Araújo Jorge – Versos na tarde – 30/08/2018

Quando chegares J.G de Araújo Jorge¹ Não sei se voltarás sei que te espero. Chegues quando chegares, ainda estarei de pé, mesmo sem dia, mesmo que seja noite, ainda estarei de pé. A gente sempre fica acordado nessa agonia, à espera de um amor que acabou sendo fé… Chegues quando chegares, se houver tempo, colheremos … Continued

Postado na categoria: Padrão - Palavras chave: , , , ,

Almandrade – Versos na tarde

Ponto de fuga Almandrade ¹ Que indagação faz o umbigo feminino quando aparece entre uma peça e outra da veste? Intimidade sensualidade. Nem mesmo a musicalidade dos pêlos é maior que o apelo da cicatriz do nascimento. ¹ Antônio Luiz M. Andrade * Salvador,BA. É arquiteto, poeta e artista plástico baiano. Como artista plástico já … Continued

Postado na categoria: Literatura - Palavras chave: , , , ,

Heriqueta Lisboa – Versos na tarde

Os lírios Henriqueta Lisboa¹ Certa madrugada fria irei de cabelos soltos ver como crescem os lírios. Quero saber como crescem simples e belos – perfeitos! – ao abandono dos campos. Antes que o sol apareça neblina rompe neblina com vestes brancas, irei. Irei no maior sigilo para que ninguém perceba contendo a respiração. Sobre a … Continued

Postado na categoria: Literatura - Palavras chave: , , , ,

J.G de Araújo Jorge – Versos na tarde

Quando chegares… J.G de Araújo Jorge ¹ Não sei se voltarás sei que te espero. Chegues quando chegares, ainda estarei de pé, mesmo sem dia, mesmo que seja noite, ainda estarei de pé. A gente sempre fica acordado nessa agonia, à espera de um amor que acabou sendo fé… Chegues quando chegares, se houver tempo, … Continued

Postado na categoria: Literatura - Palavras chave: , , ,

JG. de Araújo Jorge – Versos na tarde

Gosto quando me falas de ti… JG. de Araújo Jorge ¹ Gosto quando me falas de ti… e vou te percorrendo e vou descortinando a tua vida na paisagem sem nuvens, cenário de meus desejos [tranqüilos Gosto quando me falas de ti… e então percebo que antes mesmo de chegar, me adivinhavas, que ninguém te … Continued

Postado na categoria: Literatura - Palavras chave: , , ,

João Cabral de Melo Neto – Versos na tarde – 07/11/2017

Ode Mineral João Cabral de Melo Neto ¹ É mineral o papel onde escrever o verso; o verso que é possível não fazer. São minerais as flores e as plantas, as frutas, os bichos quando em estado de palavra. É mineral a linha do horizonte, nossos nomes, essas coisas feitas de palavras. É mineral, por … Continued

Postado na categoria: Literatura - Palavras chave: , , ,