Eleições 2010: Código Florestal e o apoio de Marina Silva à Serra

Na realidade a ex-ministra do governo do mensalão do PT, quer impor condições que ela não cupriu e não teria competência, nem apoio, para fazê-las
O Editor


Código Florestal dificulta apoio do PV a Serra

Partido de Marina Silva quer garantia de veto a proposta de redução de áreas de reserva legal e anistia a desmatadores

Pedido põe tucanos em saia justa, por causa da força da base ruralista em bolsões aliados do Sul e do Centro-Oeste

A exigência do PV para que José Serra (PSDB) se comprometa a barrar o novo Código Florestal tornou-se o principal entrave na campanha tucana para incorporar o programa de governo de Marina Silva (PV).[ad#Retangulo – Anuncios – Direita]

O documento do PV chegou ontem ao comitê de campanha de Serra, enviado por e-mail pelo presidente do PV, José Luiz Penna (SP).

“Com as melhores saudações verdes, encaminho propostas do PV e da senadora Marina Silva ao programa de governo”, diz o e-mail enviado por Penna.

Nas seis páginas, o sétimo item da “Agenda por um Brasil justo e sustentável” cobra “o veto a propostas de alteração do Código Florestal que reduzem áreas de reserva legal, preservação permanente ou promovam anistia a desmatadores”.

Segundo a Folha apurou, os tucanos já descartaram a possibilidade de adesão integral ao programa.

Segundo integrantes do comando da campanha, o compromisso de Serra é não permitir a aprovação imediata do novo Código Florestal, comprometendo-se a construir uma fórmula de consenso nos seis primeiros meses de seu eventual governo.

blog do Noblat

Partido Verde tem as contas “poluídas” na Justiça Eleitoral

Contas muito enroladas

No dia em que deu adeus ao PT, Marina Silva afirmou que não acredita mais em partidos perfeitos. É bom que não tenha ilusões. Na seara verde, há uma série de encrencas com a direção nacional.

Para se ter ideia, o PV até hoje não conseguiu aprovar as contas referentes ao fundo partidário de 2005. No início do mês, o ministro Arnaldo Versiani, do TSE, voltou a pedir explicações ao PV.

Motivo: os técnicos mantiveram a orientação pela desaprovação das contas. As suspeitas giram em torno de José Luiz Penna, há dez anos presidente do partido.

O TSE constatou que houve desde a doação de passagens aéreas para a mulher e o irmão até o fretamento de um jato e o uso de notas fiscais de empresas-fantasma.

Lauro Jardim – Veja