José Albano – Versos na tarde – 04/06/2015

Esparsa
José Albano ¹

Há no meu peito uma porta
A bater continuamente;
Dentro a esperança jaz morta
E o coração jaz doente
Em toda parte onde eu ando,
ouço este ruído infindo:
São as tristezas entrando
E as alegrias saindo

¹ José Albano
* Fortaleza, CE. – 12 de Abril de 1882 d.C
+ Montauban, França – 11 de julho de 1923 d.C


[ad#Retangulo – Anuncios – Duplo]

Versos na tarde – José Albano – 24/11/2012

Esparsa
José Albano¹

Há no meu peito uma porta
A bater continuamente;
Dentro a esperança jaz morta
E o coração jaz doente

Em toda parte onde eu ando,
ouço este ruído infindo:
São as tristezas entrando
E as alegrias saindo

¹José Albano
* Fortaleza, CE. – 12 de Abril de 1882 d.C
+
Montauban, França – 11 de julho de 1923 d.C
[ad#Retangulo – Anuncios – Direita]

Poeta singular, no dizer de Manuel Bandeira, “porque inteiramente fora dos quadros da poesia brasileira”, José de Abreu Albano nasceu em Fortaleza, mas logo o pai o mandou estudar na Europa, onde frequentou os melhores colégios, na Inglaterra (Stonyhurst College), na Áustria (Colégio Stella Matutina) e na França (Colégio dos Irmãos da Doutrina Cristã).

Deve-se a Manuel Bandeira e a Braga Montenegro o estudo e a divulgação de suas Rimas. Manuel Bandeira, como inúmeros críticos da obra de José Albano, ficou indeciso quanto à classificação estética do poeta, naquele começo do século com escolas que se entrecruzavam e influenciavam lealmente os poetas.

Continue lendo

José Albano – Versos na tarde

Soneto
José Albano ¹

Poeta fui e do áspero destino
Senti bem cedo a mão pesada e dura.
Conheci mais tristeza que ventura
E sempre andei errante e peregrino.

Vivi sujeito ao doce desatino
Que tanto engana, mas. tão pouco dura;
E ainda choro o rigor da sorte escura,
Se nas dores passadas imagino.

Porém, como me agora vejo isento
Dos sonhos que sonhava noite e dia,
E só com saudades me atormento;

Entendo que não tive outra alegria
Nem nunca outro qualquer contentamento
Senão de ter cantado o que sofria.

¹ José de Abreu Albano
* Fortaleza, CE. – 12 de Abril de 1882 d.C
+ Montauban, França – 11 de julho de 1923 d.C


[ad#Retangulo – Anuncios – Duplo]

José Albano – Versos na tarde

Esparsa
José Albano¹

Há no meu peito uma porta
A bater continuamente;
Dentro a esperança jaz morta
E o coração jaz doente
Em toda parte onde eu ando,
ouço este ruído infindo:
São as tristezas entrando
E as alegrias saindo

¹José Albano
* Fortaleza, CE. – 12 de Abril de 1882 d.C
+ Montauban, França – 11 de julho de 1923 d.C