Site quer resolver problemas do mundo. Twitter tem problemas com informação de blitz policiais no Brasil

O boletim de tecnologia Click desta semana apresenta a nova empreitada da Google: o site Solve for X, que se propõe a apresentar soluções tecnológicas para os mais graves problemas da Humanidade.
Os primeiros vídeos cobrem ideias mirabolantes como literalmente tirar fotos de imagens mentais e resolver o problema de falta de água doce no planeta.

No Brasil, a Justiça ameaça obrigar o Twitter a apagar contas que revelam aos usuários a localização de blitz policiais e de radares de velocidade.

Se o site perder, poderá ser obrigado a pagar R$ 500 mil por dia de descumprimento da decisão.

Já na Índia, o Google e o Facebook afirmam ter acatado uma decisão da Justiça que exigia a remoção de material considerado ofensivo dos sites.

As empresas, ao lado do e da Microsoft – estão entre os 21 sites acusados por um cidadão muçulmano de darem espaço a conteúdos de intolerância religiosa.

E a Apple conquistou a coroa do mercado de smartphones no último trimestre de 2011, com 37 milhões de remessas de iPhones – um milhão a mais que a Samsung.

Os dados compilados pela International Data Corporation confirmam o enorme impacto do iPhone 4S não só para os seus fabricantes, mas para o número total de remessas de smartphones, que subiu quase 55% em comparação com o ano passado.


[ad#Retangulo – Anuncios – Duplo]

Quando o celular conta segredos

Pedro Doria fala sobre o Carrier IQ, software que ameaça a privacidade de quem usa smartphone

O pesadelo da vez para quem usa smartphone e valoriza sua privacidade atende pelo nome Carrier IQ. Desta vez, as vítimas potenciais são os usuários de celulares Android. É um software que já vem pré-instalado em alguns aparelhos e tem como vigiar rigorosamente tudo que o dono do telefone faz. Inclua-se na lista até a senha do banco para quem verifica o extrato.

É fácil checar se o aparelho tem o programa. No Android Market, busque o app gratuito Carrier IQ Detector, criado pela empresa Lookout Labs. Baixe, instale, rode. Se estiver lá, é hora de ligar para a operadora e cobrar primeiro sua retirada e, na sequência, explicações sobre como era usado.

Por enquanto, a RIM, fabricante do BlackBerry, nega que seus aparelhos sejam portadores do Carrier IQ. Nokia diz que não autoriza a instalação. E a Apple informa que, desde a atualização do iOS para a versão 5, ele foi limado dos iPhones. Antes podia estar lá.

Não se trata de vírus. É software legítimo, instalado por fabricantes dos aparelhos ou operadoras. As preocupações a seu respeito surgiram da análise do especialista Trevor Eckhart, tornada pública semana passada.

Testando um telefone HTC em condições controladas, ele percebeu que o programa Carrier IQ estava rodando o tempo todo e gravava todas as ações de um usuário, inclusive quais teclas eram digitadas. Rodava, porém isso não era transparente para o usuário. Nada informa que o software está instalado, rodando. Não há como interromper sua operação. Ele se inicializa quando liga o celular e roda até que seja desligado o aparelho.

Registra tudo e pode enviar o resultado para a operadora.

O objetivo de Carrier IQ é legítimo. Trata-se de um software para diagnóstico. O usuário liga para o fabricante ou operadora reclamando de um problema. O técnico busca tudo o que foi feito no aparelho e em que sequência para tentar descobrir o que houve de errado. Parece inocente, claro.

Mas quem compra o celular não é informado sobre seu potencial de diagnóstico ou sobre quais as políticas da operadora para lidar com as informações. O cliente é gentilmente poupado das informações técnicas.[ad#Retangulo – Anuncios – Direita]

O problema não é o Android. O celular que armazenava todas as andanças de seus donos em mapas detalhados era o iPhone. A empresa que de presto se prontificou a ajudar a polícia inglesa a bisbilhotar as conversas dos jovens britânicos que organizavam os protestos (e saques) nas ruas de Londres foi a RIM.

É da natureza de celulares que, sem querer ou de propósito, eles deixem nossa vida privada pelo menos com o risco de ficar mais exposta. A vida tecnológica é dura.

Não há o que fazer. Fizemos já essa escolha. Temos nas mãos ferramentas de comunicação inimagináveis há poucas décadas. Elas estão transformando a sociedade por completo: nossos hábitos, nossa economia, nossos valores. Uma escolha num lado afeta o outro.

A privacidade está acabando por inúmeros motivos. Primeiro é porque nos expomos mais. As fotos de nossos filhos já são vistas por mais pessoas que as viam antes. (Não à toa, quanto mais velha a pessoa, mais reticente ela é em publicar esse tipo de coisa no Facebook.) Segundo, porque fazemos compras na internet.

É conveniente. Terceiro, porque já não compramos como comprávamos antes. Fazer pesquisa de preço ou sobre a confiabilidade de produtos é muito mais fácil. Quem vende também tem maneiras de se defender das mudanças. Usando a mesma informação que salpicamos pela rede, percebem nossos padrões de comportamento e consumo. Fazem com que o link daquele produto apareça no momento certo. A polícia quer os mesmos dados para perceber nossos desvios.

Estamos tão no início desta mudança que a maioria das tecnologias engatinha. De vez em quando, um teste meio secreto de uma tecnologia vira um desastre de relações públicas. Ele é abafado, aparece ali na frente com outra forma, um quê mais refinado. Quem é do ramo sabe que a mudança já aconteceu.

Só demora um pouco para todos nos habituarmos a ela. É a lição de Mark Zuckerberg, do Facebook. Forçando a barra, aos poucos, a gente cede.

Pedro Doria/O Globo

Tráfego gerado pela atualização do iOS 5 e do iCloud quase tirou a internet do ar

O iOS 5 foi lançado na última quarta-feira (12) cercado de expectativas.

Mas ninguém esperava que a ânsia pela atualização de iPhones, iPads e iTouchs, por parte dos usuários, fosse tão ávida: o sucesso do novo sistema operacional para os dispositivos móveis da Apple foi tanto que o tráfego na página da empresa de Cupertino quase “quebrou a internet”.

iOS 5 (Foto: Divulgação)iOS 5 (Foto: Divulgação)

Durante toda a noite de quarta-feira engenheiros da companhia de internet AAISP, em Londres, publicaram em sua página de incidentes e status mensagens que mostram como o “boom” causado pelo lançamento do iOS 5 foi grande.

Segundo eles, que admitiram que foram pegos de surpresa, nunca houve tanto tráfego como este em um “evento da internet”.

– Isso é pior do que o tráfego na Copa do Mundo.

A única pista é que é de algo novo do iOS 5. Se essa realmente for a causa, estou impressionado.

A utilização da internet simplesmente alcançou níveis sem precedentes.

Ao que tudo indica, a demanda foi enorme não só no Reino Unido como em diversos locais em todo o mundo.

 

Nunca vimos nada como isso – escreveram.

O 'boom' de tráfego gerado pela atualização do iOS e o iCloud (Foto: LONAP)O 'boom' de tráfego gerado pela atualização do iOS e o iCloud (Foto: LONAP)

Na manhã desta quinta-feira, engenheiros da AAISP confirmaram que o tráfego de dados na internet em Londres subiu de um pico natural de 18 GB por segundo para 28 GB por segundo.

Problemas para alguns usuários

A própria Apple teve problemas de instabilidade em seus servidores pouco depois do lançamento.

Muitos proprietários de ‘iGadgets’ reclamaram em redes sociais e nos próprios fóruns da Apple sobre diversos incidentes – não só enquanto tentavam fazer o download do iOS 5, como também após sua instalação.

Uma mensagem de erro do iTunes e o congelamento e/ou não funcionamento de alguns aplicativos estavam entre os assuntos mais comentados.

A Apple, que lançou também o iCloud, novo processo de conexão e sincronização de dados com os smartphones, não comentou as reclamações dos clientes até o momento.

Thiago Barros Para o TechTudo


[ad#Retangulo – Anuncios – Duplo]

Tecnologia. Celular com ringtone para deficiente auditivo

Celular tem ringtone tão alto quanto motosserra

[ad#Retangulo – Anuncios – Esquerda]Uma companhia britânica colocou à venda no país um telefone feito para pessoas com deficiência auditiva cujo ringtone pode atingir até 100 decibéis – o equivalente a uma motosserra ou um trem passando.

O novo modelo da Geemarc, que está sendo apontado como o telefone mais barulhento disponível à venda, já vendeu milhares de cópias no mercado britânico.

O equipamento foi concebido após indicações do Royal National Institute for Deaf People, maior organização beneficente britânica dedicada a ajudar deficientes auditivos.

“Muitos de nossos clientes com dificuldades auditivas estão cheios de tanta tecnologia desnecessária em outros telefones celulares. Eles querem simplesmente um telefone que ele possam ouvir tocar”, afirmou o presidente da HearingDirect.com, um site especializado na vende de aparelhos e acessórios auditivos, em declarações reproduzidas no jornal The Daily Telegraph.

O modelo tem como público alvo os usuários de idade mais avançada. Por isso, a Geemarc incluiu no desenho também uma tela grande, caracteres largos e botões espaçosos.

“Existe uma necessidade real de um telefone que não se pareça com algo para pessoas com necessidades especiais, mas que seja simples de usar”, disse a companhia ao apresentar o modelo.

“Há uma porção de idosos frustrados com os iPhones e outros smartphones que fazem de tudo, mas são difíceis de usar se você tem miopia.”

BBC

Por Deus, tenham um blog!’, diz papa aos padres

“Por de Deus, tenham um blog!”, disse o papa Bento XVI aos padres católicos neste sábado, afirmando que eles devem aprender a usar novas formas de comunicação para espalhar as mensagens do evangelho. Em sua mensagem para a Igreja Católica no Dia Mundial da Comunicação, o papa, 82 anos e conhecido por não amar computadores ou a Internet, reconheceu que os padres devem aproveitar ao máximo o “rico menu de opções” oferecido pelas novas tecnologias.

” Os padres são assim desafiados a proclamar o evangelho empregando as últimas gerações de recursos audiovisuais ”

[ad#Retangulo – Anuncios – Direita]- Os padres são assim desafiados a proclamar o evangelho empregando as últimas gerações de recursos audiovisuais – imagens, vídeos, atributos animados, blogs, sites – que juntamente com os meios tradicionais podem abrir novas visões para o diálogo, evangelização e catequização – disse ele.

Os padres, disse ele, precisam responder aos desafios das “mudanças culturais de hoje” se quiserem chegar aos mais jovens.

Mas Bento XVI alertou os padres de que não tentem tornarem-se estrelas da nova mídia. “Os padres no mundo das comunicações digitais devem ser mais chamativos pelos seus corações religiosos do que por seus talentos comunicativos”, disse ele.

No ano passado um novo site do Vaticano, www.pope2you.net, foi lançado, oferecendo um novo aplicativo chamado “O Papa se encontra com você no Facebook“, e outro permitindo acesso aos discursos e mensagens do Papa nos iPhones ou iPods dos fiéis.

Bento XVI ainda escreve a maior parte de seus discursos à mão, em alemão, e seus ajudantes mais jovens ficam a cargo de colocá-los em conteúdo digital.
O Globo
siga o Blog do Mesquita no Twitter