Infecção hospitalar ameaça mais que aids, diz estudo

Pesquisa sugere que risco de infecção hospitalar para população na Europa é maior que o representado por HIV, gripe e tuberculose juntos.

Bakterien (Fotolia/Irochka)

Muitos custam a acreditar, mas seis infecções associadas ao sistema de saúde são um problema maior em hospitais do que gripe, aids e tuberculose juntos.[ad name=”Retangulo – Anuncios – Direita”]

As chamadas “seis grandes” são pneumonia, infecções do trato urinário e incisional, clostridium difficile (bacilo responsável por doenças gastrointestinais associadas a antibióticos), sepse neonatal e infecções primárias da corrente sanguínea. E todas elas podem ser contraíras durante um tratamento hospitalar.

Essa é a conclusão de um estudo divulgado nesta terça-feira (18/10) na revista científica PLoS Medicine, publicada, sob o sistema de acesso aberto peer-reviewed, pela Biblioteca Pública de Ciência, sediada em São Francisco (EUA).

Infecções hospitalares são “a maioria dos eventos adversos frequentes na prestação de cuidados de saúde em todo o mundo”, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), com milhões de pacientes afetados a cada ano.

A UE e o Espaço Econômico Europeu enfrentam mais de 2,5 milhões de casos de infecções hospitalares a cada ano, avalia o estudo. E a estimativa é que elas resultam na perda dessa mesma quantidade de anos de expectativa de vida corrigida pela incapacidade (EVCI) – como são chamados os anos de uma vida saudável, ou seja, sem limitações ou incapacidades. O termo é usado para medir o impacto das doenças sobre a saúde de uma população.

Infografik Die häufigsten und tödlichsten Krankenhausinfektionen in Europa Portugiesisch

Doenças transmissíveis

Infecções hospitalares são uma complicação comum e, em grande parte, possível de prevenir na hospitalização e na cirurgia. Elas afetam até um em cada 20 pacientes, conforme o estudo.

Elas estão associadas ao aumento da morbidade, da mortalidade e de custos de saúde. Os autores do estudo argumentam que a redução de infecções associadas aos cuidados de saúde na UE e no Espaço Econômico Europeu deve ser “uma meta capaz de ser alcançada”.

O estudo utiliza dados de uma pesquisa realizada entre 2011 e 2012 pelo Centro Europeu para Prevenção e Controle de Doenças (ECDC), de Estocolmo, sobre infecções associadas aos cuidados de saúde em hospitais europeus para casos agudos.

A pesquisa é, de acordo com seus autores, “uma sólida primeira tentativa” em estimar a carga representada pelas infecções hospitalares, incluindo o papel da comorbidade – a coexistência de múltiplas doenças. Eles salientam “a necessidade de se intensificar esforços para prevenir e controlar essas infecções, visando tornar os hospitais europeus mais seguros”.
Com dados da DW

Jovem internada com infecção grave no Mato Grosso do Sul. Sushi estragado pode ser o motivo

Após acompanhar na ultimas semanas o drama do caso da modelo Mariana Bridi, surge outro caso de infecção por bactérias. O motivo, apesar de não confirmado, pode ter sido a ingestão de sushi (comida japonesa feita com peixe crú) estragado.

Veja mais abaixo:

Jovem intoxicada depois de comer sushi contaminado continua internada

Ainda não tem previsão de alta a jovem de 20 anos, que comeu um sushi com suspeita de estar contaminado segue em estado grave em hospital de Campo Grande.

O estado dela é considerado muito grave pelos médicos. A moça que trabalha em um shopping da Capital, está sedada e respira com a ajuda de aparelhos.


YouTube: Vídeo com a matéria do jornal MS Record

A filha de Dona Lucy luta contra uma infecção generalizada causada por alimentos contaminados por coliformes fecais. Apreensiva, ela tem esperanças que a jovem melhore.

“Ela [Paula] apresentou uma pequena melhora em alguns órgãos”, disse a mãe de Paula, Lucy Cáceres Santana.

Segundo os médicos, o estado de saúde de Paula Santana, de 20 anos, é grave. Ela foi hospitalizada com quadro de insuficiência renal. Está em coma induzido e respira com ajuda de aparelhos.

A jovem está internada na UTI de um hospital de Campo Grande há mais de uma semana. A família suspeita que Paula contraiu a infecção depois de comer sushi, um prato da culinária japonesa feito com peixe cru.

O namorado de Paula, o representante comercial Anderson Mendonça Machado conta que comprou o sushi em um supermercado e foi almoçar em um shopping. Ele preferiu comer sanduíche.

A médica responsável pelo atendimento confirma que o quadro é de infecção alimentar, mas não tem como precisar o quê desencadeou o problema. Paula está com vários órgãos afetados e ainda corre risco de morrer.

“Sem o tratamento adequado, a jovem não sobreviveria”, finalizou a médica Thaís Vendas.

Fonte: MS Record

Modelo teve que amputar as mãos e os pés após infecção

Este é o tipo de acontecimento triste e profundamente lamentável no qual não desejaria para nenhum ser vivo!

ATUALIZAÇÃO: É com imenso pesar que informamos que a Mariana não resistiu e veio a falecer nesta madrugada (sábado, 24/01/2009). À sua família e amigos deixamos nosso sentimentos enlutados.

Leia matéria abaixo.

Foto da Modelo do Espirito Santo que teve que amputar as mãos e os pésA modelo capixabaMariana Bridi (Foto), 20 anos, vítima de uma infecção generalizada, teve que amputar os pés e as mãos.

Ela foi internada no dia 3, no Hospital Dório Silva, em Serra, região metropolitana de Vitória (ES), com uma infecção urinária. O estado da modelo é grave e ela respira com a ajuda de aparelhos.

Ao dar entrada na unidade, Mariana se queixava de fortes dores na região lombar.

Internada, foi diganosticada uma infecção urinária que atingiu os rins e se espalhou por todo o corpo.

Mariana está na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) desde que foi internada.

A amputação dos pés, devido a um problema de circulação sangüínea, foi na semana passada.

Na segunda-feira, ela teve que ser submetida a uma cirurgia para amputar as mãos.

Segundo a Secretaria Estadual de Saúde, a modelo teve um “choque séptico, causado por bactérias das espécies estafilococos e pseudomonas aeroginosa”. Ela “teve o quadro agravado com insuficiência renal aguda, com compressão dos vasos sanguíneos periféricos e com necrose das mãos e pés”.

A família de Mariana pede que amigos, parentes e pessoas que se solidarizem com o caso façam doações de sangue.

A coordenadora da Hemo Rede do Espírito Santo, Maria Tereza Botelho, explica que quem possui este tipo sanguíneo não pode receber transfusões de nenhum outro tipo.

Além disso, o tipo O negativo é o mais raro de todos. “Apenas 2% da população mundial possui este tipo sanguíneo. Nossos estoques são baixíssimos e precisamos muito de doadores para atender a demanda”, explicou a coordenadora.

A modelo foi finalista das edições de 2006 e 2007 do Miss Mundo Brasil.

Mariana foi convidada a representar o Brasil no concurso Face of the Universe, realizado em Gana.

Ela também representou o Brasil no Miss Bikini International 2007, quando esteve em Hong Kong, Taiwan e China.

por ALEX CAVALCANTI
Direto de Vitória

Visite: Site da Mariana / Blog da Mariana