Dilma desautoriza militantes do PT em manifestações contra Obama

Quem sairia ganhando com um constrangimento imposto à presidente Dilma Rousseff?

Apesar de ser um partido com mais alas que uma escola de samba, e estar lotado de maluquetes de todas as vertentes, cores e oportunistas, fica difícil crer que o PT pretenda colocar sua principal estrela em uma literal saia justa.

Aliás, o que se esperar de qualquer coisa organizada (?) por um cidadão cujo nome é um erro de registro?
O Editor


Dilma se irrita e PT desautoriza protesto anti-Obama

Dilma Rousseff abespinhou-se com a notícia de que havia digitais do PT no protesto que os movimentos sociais organizam contra Barack Obama.

Anfitriã do presidente dos EUA, ela considerou inaceitável que houvesse digitais do petismo em ação que tacha o convidado de ‘persona non grata’.

A irritação da presidente levou o diretório do PT do Rio a veicular em sua página na web, nesta quarta (16), um texto sobre a visita de Obama.[ad#Retangulo – Anuncios – Direita]

A peça tem quatro parágrafos.

No último, lê-se: “Sobre uma possível manifestação contra a vinda do presidente americano à cidade carioca…”

“…O PT do Rio de Janeiro, através do seu presidente, Jorge Florêncio, em nome de toda Executiva partidária, informa…”

“…Que qualquer manifestação contra a vinda de Barack Obama ao Rio, não está autorizada e, portanto, não reflete a posição do partido”.

Deve-se a irritação de Dilma e a emissão da nota ao comportamento do secretário de Movimentos Populares do PT-RJ, Indalécio Wanderley Silva.

Ele enviara e-mails convocando a reunião na qual o protesto contra Obama foi planejado.

O constrangimento foi maior porque Indalécio é filiado a um diretório que, até 2010, era presidido pelo hoje ministro Luiz Sérgio, coordenador político de Dilma.

A despeito da nota, Indalécio foi à reunião anti-Obama.

Deu-se na noite desta quarta (16), no Sindicato dos Petroleiros do Rio.

Desautorizado, Indalécio alegou que deu as caras no encontro como membro da CUT, não do PT.

Na contramão dos movimentos sociais, o governador Sérgio Cabral (PMDB) deflagrou uma operação para tentar encher a Cinelândia no próximo domingo (20).

A Cinelândia foi o local escolhido para o discurso em que Obama dirigirá uma “mensagem ao povo brasileiro”.

Cabral acionou prefeitos de municípios do interior do Rio –do PMDB e de legendas aliadas— para levar caravanas à capital carioca.

Nunca antes na história desse país a máquina estatal havia sido mobilizada para prover povo a um “comício” ianque.

De resto, a julgar pelo esquema montado pela prefeitura do Rio, os manifestantes que se organizam para vociferar contra Obama terão de fazê-lo à distância.

As ruas que rodeiam a Cinelândia começam a ser fechadas nesta quinta (17), em movimento que se estenderá até o domingo do discurso.

O comércio terá de fechar as portas à meia-noite de sábado (19).

Agentes de segurança vão filtrar as pessoas que terão acesso ao local

blog Josias de Souza