Hannah Arendt – A Pluralidade Humana

A Pluralidade Humana A pluralidade humana, condição básica da ação e do discurso, tem o duplo aspecto da igualdade e diferença. Se não fossem iguais, os homens seriam incapazes de compreender-se entre si e aos seus antepassados, ou de fazer planos para o futuro e prever as necessidades das gerações vindouras. Se não fossem diferentes, … Continued

Postado na categoria: Literatura - Palavras chave: , ,

Hannah Arendt – Versos na tarde – 09/07/2017

Cansaço Hannah Arendt¹ Tarde caindo — Um suave lamento soa nos pios dos pássaros que convoquei. Muros cinzentos desmoronam. Minhas próprias mãos encontram-se novamente. O que amei não posso manter. O que me cerca não posso deixar. Tudo declina enquanto cresce a escuridão. Não me domina — deve ser o curso da vida. ¹Johanna Arendt … Continued

Postado na categoria: Literatura - Palavras chave: , , ,

Hannah Arendt – Filosofia – Biografias

Hannah Arendt: a filósofa como poeta Johanna Arendt * Hanôver, Alemanha, 14 de outubro de 1906 d.C + Nova Iorque, Estados Unidos, 4 de dezembro de 1975 d.C Hannah Arendt é mais conhecida como pensadora, analista privilegiada do totalitarismo, e, infelizmente, como a amante judia de Heidegger (“filósofo para filósofos”). Mas era também poeta. “Todas … Continued

Postado na categoria: Biografias, Literatura - Palavras chave: , , , ,

Hannah Arendt – Filosofia – Biografias

Hannah Arendt: a filósofa como poeta Johanna Arendt * Hanôver, Alemanha, 14 de outubro de 1906 d.C + Nova Iorque, Estados Unidos, 4 de dezembro de 1975 d.C Hannah Arendt é mais conhecida como pensadora, analista privilegiada do totalitarismo, e, infelizmente, como a amante judia de Heidegger (“filósofo para filósofos”). Mas era também poeta. “Todas … Continued

Postado na categoria: Biografias, Literatura - Palavras chave: , , , ,

Hannah Arendt – Versos na tarde – 08/02/2017

Poema Hannah Arendt Consoladora, inclina-te suavemente para o meu coração. Dá-se, silenciosa, alívio para a dor. Coloca tua sombra sobre tudo por demais brilhante — Dá-me a exaustão, cobre o brilho. Deixa-me teu silêncio, teu abrandamento refrescante. Deixa-me embrulhar em tua escuridão tudo o que é mau. Quando a claridade doer com novas visões Dá-me … Continued

Postado na categoria: Padrão - Palavras chave: , ,