Tremsalão do PSDB e a máfia do ISS em São Paulo

Tudo nos conformes.

O tremsalão continua nos subterrâneos da mídia venal e parcial, e coincidentemente vem à luz os escândalo dos fiscais do ISS, que embora gestados desde antes da Kassab, manobram para que estoure no colo do incompetente Haddad.


[ad#Retangulo – Anuncios – Duplo]

Prefeito Haddad manda apagar grafites em São Paulo

São Paulo é uma cidade sem problemas, e com dinheiro sobrando.

Tanto é assim que o beócio ‘desprefeito’ Haddad Enem, está dedicando tempo e dinheiro para apagar os grafites, grafites, e não pichações, existentes na desvalida pauliceia.

Alguns desses artistas de rua, como os irmãos conhecidos como “os gêmeos” têm obras expostas nos principais museus e galerias internacionais.

Cascalho Haddad, vais procurar o que fazer e deixes a arte em paz.

Arte Grafite Os Gêmeos São Paulo Haddad Arte blog do MesquitaObra dos “Os Gêmeos” – Edifício no centro da cidade de São Paulo


[ad#Retangulo – Anuncios – Duplo]

Dilma Rousseff cria o 39º ministério. Nós pagamos a conta!

Dona Dilma cria mais um ministério. O 39º! E nós, pagamos a conta.

Para acomodar Kassab, que deu uma “forcinha” pra eleger Haddad – aquele que não conseguiu administrar o ENEM, mas tem a pretensão de administrar São Paulo, a maior cidade da América Latina.

Não posso garantir, mas creio que a senhora em questão não sabe o “nominho” de todas as ex-celências, e nem recebe/fala com 90% deles.

Esse é um mal do sistema político brasileiro. “Presidencialismo parlamentarista”, uma aberração que obriga a qualquer governante – municipal, estadual, federal – fazer conchavos e balcão de trocas com ‘partidecos’ para poder governar. Desde a primeira república que é assim.

Penso que somente com o voto distrital, e o parlamentarismo, de fato se sairá desse buraco das negociatas políticas.
Como está no fundo do poço ainda há um porão.


[ad#Retangulo – Anuncios – Duplo]

Eleições 2014: Começa agora a construção política para disputa presidencial

Em política o distante é logo ali. Embora muita água ainda vá passar sob a ponte até ao longínquo 2014.

O eleitorado paulista, no meu entendimento, mostrou estar cansado de medalhões. Mas me pareceu, também, não creditar os malefícios do mensalão, nem ao PT nem ao candidato eleito Fernando Haddad.

Outra dedução, hilária, mas não de todo desprovida de lógica, é que o malufismo voltou a colocar um preocupante “pezinho” na política de S.Paulo.

José Mesquita – Editor


Começa agora a construção política de 2014

O desfecho da eleição municipal introduz novos elementos no cenário da política nacional, com reflexos para a próxima disputa, que começa a se desenhar agora.

O realinhamento das forças políticas será decisivo para mover as peças do xadrez eleitoral de 2014. As eleições também recolocam Lula no centro da cena, como agente com alto poder de influência.

A vitória de Haddad em São Paulo, para cargo que tem peso equivalente ao de um governo de Estado, projeta o petista, de novato e inexperiente, a titular no time de primeira linha dos políticos brasileiros.

Mas o cargo de prefeito de São Paulo serve tanto para projetar quanto para fulminar carreiras.

Um exemplo do segundo caso é o de Celso Pitta.

Os petistas sabem disso e focarão no sucesso de Haddad.[ad#Retangulo – Anuncios – Direita]

Ele é a cara nova de que o PT tanto precisa.

No cenário que eclodiu das urnas também está mantida a polarização entre PT e PSDB, mas com uma diferença fundamental: com Serra enfraquecido e sem condições de pleitear a preferência do partido, os tucanos têm inédita chance de unificar forças internamente e de agregar a oposição em torno de seu candidato natural a enfrentar Dilma: Aécio Neves.

Daqui para frente, o senador terá de se dedicar, sem amadorismo ou vacilação, à construção de uma “persona” pública que represente alternativa ao projeto petista.

Mas as últimas eleições também sinalizaram para a ampliação do centro no espectro político brasileiro: Ganharam espaço partidos médios que se colocam nem tanto à direita ou à esquerda – caso do PSB e do PSD.

Eles terão papel inédito em 2014. Ambos orbitam a esfera governista, mas representam um apoio incerto, e ambicionam postos hoje dominados pelas grandes legendas, principalmente o PMDB.

A presidente Dilma passa a ter pressa. Mais que nunca, seu governo tem de apresentar resultados que as agruras da economia refreiam.

Dilma terá de jogar o jogo que não lhe agrada: misturar gestão com eleição, e provar que o projeto petista de poder deve continuar.
Blog da Christina Lemos 

Eleições 2012: O voto e o povo, as pesquisas e a verdade das urnas

Várias eleições em cidades brasileiras, segundo turno para prefeitura, mais uma oportunidade para que se compare o que indicam as pesquisas e o que de modo definitivo vão dizer as urnas.

Na cidade de São Paulo, convergência quase absoluta entre o IBOPE e o Datafolha. O IBOPE aponta 49 a 36 para Haddad, o Datafolha também achou 49 pontos para o ex-ministro da Educação contra 34 para José Serra.

A diferença é várias vezes superior à margem de erro admitida como possível.[ad#Retangulo – Anuncios – Direita]

O quadro parece definido. Quinze por cento assinalam os eleitores ainda indecisos e aqueles que vão votar em branco ou anular. Quase impossível que o panorama possa mudar.

A rejeição a Serra, inclusive, que já se vinha assinalando desde os primeiros momentos, manteve-se como fator decisivo na reta de chagada. A pesquisa do IBOPE foi feita para a Rede Globo, que a divulgou no Jornal Nacional de quarta-feira.

O êxito de Fernando Haddad deve-se integralmente a força do ex-presidente Lula. Que o escolheu como candidato, enfrentou a fase em que a candidatura não decolava e, na etapa derradeira, imprimiu a ela uma velocidade impressionante.

Pesquisas eleitorais têm de ser acompanhadas e analisada por etapas. É que os grupos de menor renda custam mais a decidir e como eles são majoritários seu posicionamento, isso influi no rumo final das disputas. A poucos dias das urnas, é extremamente improvável mudança nas direções.

Neste próximo domingo é o caso da capital paulista, de Gustavo Fruet em Curitiba, de Arthur Virgílio em Manaus. Em Salvador, as pesquisas indicam ACM Neto, mas Lula foi lá para dar forte apoio a Nelson Pelegrino. Vamos ver o que acontece.

Através dos setenta anos de existência do IBOPE, Instituto mais antigo, e dos praticamente trinta anos do Datafolha, os erros ocorridos contam-se pelos dedos. O índice de acertos passa de 95, talvez 97%. Os erros, algumas vezes ocorrem, mas não quanto às posições finais dos candidatos.

Apenas na exatidão dos percentuais. As pesquisas apontaram, por exemplo, vitória de Dilma Rousseff no primeiro turno. IBOPE e Datafolha erraram três degraus. No turno final, entretanto, os acertos foram totais: 56 a 44 pontos.

As pesquisas eleitorais são resultado de trabalhos sérios e bastante técnicos efetuados. Baseiam-se na divisão do eleitorado por classes sociais. Mas, como já definiu o presidente do IBOPE, Carlos Augusto Montenegro, não são infalíveis.

Em 85, IBOPE e Gallup erraram na eleição pela Prefeitura de São Paulo, apontando vitória de Fernando Henrique sobre Jânio Quadros, quando foi exatamente o inverso. Alguns poucos desacertos registraram-se através do tempo.

Às vezes influem, quando acentuados, na medida em que na véspera percentagens desanimam a militância. Mas, como disse, são exemplos marcantes, porém raros. São exceções, não a regra.

Nem poderiam. As empresas afundariam.

Porque a pesquisa eleitoral é a única que pode ser comprovada publicamente na prática. De um lado o prognóstico. De outro a urna.
Pedro do Coutto/Tribuna da Imprensa

Tópicos do dia – 19/09/2012

10:27:35
Eleições 2012: PSDB decide atirar em Lula para acertar Haddad.

O PSDB decidiu usar acusações do operador do mensalão, Marcos Valério, envolvendo o ex-presidente Lula no maior escândalo de corrupção da História do País, para minar seu apadrinhado Fernando Haddad (PT), que disputa a prefeitura de São Paulo. Com rejeição em alta, o tucano José Serra teme não conseguir chegar ao segundo turno contra Celso Russomanno (PRB), que lidera as pesquisas com folga.

10:31:54
Senado: Jorge Viana e Alvaro Dias discutem o mensalão em plenário.

O senador Jorge Viana (PT-AC) defendeu nesta terça-feira (18) o ex-presidente Lula das acusações de que ele seria o “chefe e fiador” do mensalão. No plenário do Senado, ele discutiu com o senador Alvaro Dias (PSDB) e chegou a dizer que o partido oposicionista é o verdadeiro mentor do esquema de corrupção por ter comprado votos em 1998, em Minas Gerais – o que teria gerado o mensalão petista que hoje é julgado no Supremo Tribunal Federal (STF). “Todo e qualquer governo tem deslizes.

Só não estou de acordo com a satanização do PT e do presidente Lula. Entre a cópia mal feita que está sendo julgada hoje no Supremo, prefiro ficar com a original feita com mais competência pelo PSDB”, disse Viana. “O mensalão de Minas deu origem a esse esquema criminoso que está sendo julgado. Alunos mal aplicados do PT foram tentar repetir o modelo profissional do PSDB e do PFL”, completou. Em resposta, Álvaro Dias disse que o PT sabia do ocorrido em Minas Gerais e, ao invés de denunciar, apenas o repetiu. “Porque em 2005 o PT não denunciou isso que ocorreu em Minas Gerais? O PT tirou isso do armário em 2005 para confundir o povo brasileiro. Essa tese: nós somos sujos, mas outros se sujaram antes não honra quem a adota”, afirmou.
coluna Claudio Humberto

11:01:13
Internet: Criadora do ‘Diário de Classe’ é acusada de calúnia e difamação

A estudante catarinense Isadora Faber, de 13 anos, que virou celebridade por denunciar problemas de sua escola no Facebook, foi intimada a prestar depoimento nesta terça-feira, 18, após sua professora de português ter registrado boletim de ocorrência em que acusa a aluna de calúnia e difamação. A garota foi à 8.ª Delegacia de Polícia de Florianópolis acompanhada do pai.

“Estranhei, pois, para mim, o assunto já estava encerrado desde o início do mês quando ela me pediu desculpas. Eu aceitei e publiquei, está aqui até agora”, escreveu Isadora em sua página na rede social, o “Diário de Classe” www.facebook.com/diariodeclassesc, que já tem 255 mil “fãs”.
Estadão.com.br

11:28:46
Mensalão Tucano do Eduardo Azeredo

Futuro presidente do Supremo Tribunal Federal, o ministro Joaquim Barbosa já decidiu que não irá relatar o mensalão tucano, que nasceu no governo de Eduardo Azeredo; processo recomeçará do zero e será relatado por ministro a ser indicado pela presidente Dilma Rousseff para o lugar de Ayres Britto, que se aposenta em novembro; ou seja: ficará para as calendas.

12:08:32
Mensalões, mensalões e mensalões

Tem portadores de antolhos que acreditam que somente a gangue do Lula tá com a mão na botija. Veja que além de políticos começam a aparecer empreiteiras, que não somente a Delta. Aguarde quando a fila começar a andar em relação ao mensalão do PSDB e do DEM.
Aécio Neves, na lista do mensalão mineiro, aparece como receptor de R$ 110 mil pagos por Claudio Mourão, tesoureiro do ex-governador Eduardo Azeredo, para sua campanha.


[ad#Retangulo – Anuncios – Duplo]

Tópicos do dia – 06/09/2012

11:31:20
Eleições 2012: São paulo e a rejeição aos grandes partidos políticos

É cedo para conclusões, mas a presumível vitória de Celso Russomano para prefeito de São Paulo demonstra, acima de tudo, a derrota dos partidões pela voz rouca das ruas. PT, PMDB e PSDB estão sendo rejeitados na medida em que seus candidatos não chegam a arranhar a liderança do radialista. Haddad cresceu um pouco, Chalita não aparece e Serra despenca.

Não parece ser novidade essa reação. Ainda há pouco o Tiririca recebeu mais de um milhão de votos para deputado federal, para não falar no fenômeno Jânio Quadros, que por duas vezes, separadas por mais de trinta anos, elegeu-se prefeito contra os grandes partidos.

Resta saber o que seria a administração de Russomano na maior cidade do país. Sempre haverá o risco de amalgamar-se ao modelo clássico encenado pelos partidões, tornando-se mais um político igual aos outros. Mas também pode ser que não…
Carlos Chagas/Tribuna da Imprensa

11:34:49
A incrível lentidão da Justiça do Trabalho

Dos 22 milhões de ações existentes na Justiça do Trabalho, 40% não serão resolvidas antes de 2016. Enquanto isso, em quatro anos cerca de 9,6 milhões de novas ações vão ingressar nesta justiça, com o encalhe de mais da metade. Assim, em 2020 a JT poderá ter 30 milhões de ações travadas.

Números oficiais apontam 72% de ações trabalhistas são insolúveis, por falha da segurança na execução, por ausência de bens viáveis para acionamento, e na maioria dessas, um dado intrigante, são de órgãos públicos. É necessário ver se o principio da boa fé está condizente com a realidade de mercado, eis que é comum o serventuário designado avaliador estimar de acordo com o valor escriturado, não incomum, datado de ano, quando deveria ser diligente, mas não é isso que ocorre, o resultado é que mais da metade dessas penhoras são fragilizadas.

A toga vetusta manda penhorar conta poupança, salário, aposentadoria, tudo em flagrante violação a art. 649, inciso X do CPC, e faz isso porque sabe que está imune a punição pela gravidade do seu ato?

Não muito distante, enfrentamos uma outra questão. Aprendemos que: (…) Não há execução sem título, e se este inexistir, ou não for válido, (…) a penhora no patrimônio do devedor aparente constitui um mal injusto e grave sem nenhuma justificativa ou lenitivo” (Araken de Assis, in “Manual do Processo de Execução”, 3ª ed., pág. 427). Não é preciso dizer mais nada.
Roberto Monteiro Pinho/Tribuna da Imprensa

11:58:36
Médico castra homossexual para ‘promover a cura gay’ e perde licença

Médico australiano perde licença por castrar quimicamente um homossexual. Mark Craddock, seguidor da seita Brethren Christian, receitou ao paciente acetato de ciproterona
castração gay cura homossexual médico

Mark Craddock promoveu castração química em paciente homossexual. Foto : consultório de Mark Craddock / divulgação.

Um médico australiano, membro de uma seita religiosa, perdeu sua licença após prescrever em 2008 um tratamento de castração química a um jovem que buscava “curar-se” da homossexualidade.

Mark Christopher James Craddock, seguidor da seita Brethren Christian, receitou a seu paciente acetato de ciproterona durante uma consulta que durou menos de dez minutos, publicou nesta terça-feira (04/09) o jornal Sydney Morning Herald.

O acetato de ciproterona, que tem propriedades antiandrogênicas e reduz a libido, é utilizada em tratamentos contra o câncer de próstata e desordens severas nos homens, assim como em pacientes com desvios sexuais.

Em uma carta às autoridades sanitárias, o paciente, que também era membro da seita, relatou que um dos líderes da Brethren Christian lhe recomendou consultar-se com Craddock para que lhe receitasse remédios, acrescentou a fonte.
Craddock admitiu em uma audiência perante as autoridades médicas realizada em junho que ele não manejou o histórico médico nem submeteu seu paciente, cuja identidade não foi revelada, a um exame físico, assim como também não lhe falou dos efeitos colaterais, como a impotência.

No mês passado, o comitê médico determinou que Craddock, de 75 anos, é culpado de conduta profissional não satisfatória e lhe proibiu de praticar a medicina.
Agência Efe, Sydney


[ad#Retangulo – Anuncios – Duplo]

Tópicos do dia – 31/08/2012

09:36:10
Mensalão: Com os pés no chão, pois toga não levita!

A lei não prevê caixa 2, é claro, mas trata caixa 2 como infração menor. Essa excrescência permite que essa corrupção domine todas as eleições desde Deodoro.
Por conta disso é que o mensalão tucano teria passado despercebido e estaria funcionando até hoje, se a bandalheira do Lula e asseclas não tivesse vindo a lume.

Só quando descobriram a existência do cínico Delubio Soares e seu imoral “recursos não contabilizados” é que descobriram, por tabela, o mensalão tucano (e mesmo assim, com uma enorme má vontade em aprofundar as investigações, com medo de atingir Aécio Neves, José Serra e Geraldo Alckmin.

A lei é assim. É uma porcaria de lei, porque empreiteiras, bancos e até bicheiros (!) financiam campanhas, em geral buscando vantagens futuras nos governos.
O mais é por que a selecinha não ganhou a olimpíada, e descobriram que o Neymar só tem topete.

09:41:38
Mensalão, o julgamento.

O julgamento dos mensaleiros por desvio de dinheiro público como “NUNCANTESNESTEPAIZ” poderia despertar na sociedade uma iniciativa de criar uma LEI proibindo a doação para campanhas políticas por pessoas jurídicas. Todos os grandes escândalos envolvem empresas e seus dirigentes (DELTA, BANESTADO, REDE13, BB-VISANET, SANGUESSUGAS, ALOPRADOS do Lula, GAUTAMADUTO, DUDADUTO, VALERIODUTO etc. e, bote etc. nisso), contaminando o Legislativo e corrompendo autoridades como na farra em PARIS com a dança exótica dos guardanapeiros embriagados com champanhe francesa legítima, domesticados pelo dono da DELTA em troca de obras bilionárias.

O americano costuma dizer que não existe almoço grátis entre políticos e empresários, lá nos EUA é proibida a doação por pessoas jurídicas, o Brasil poderia copiar a maior democracia do planeta, atraindo políticos mais honestos sem suborno de empresários. Junto com as doações por empresas vem toda sorte de crimes, desde sonegação de impostos até assassinatos, como a morte de Celso Daniel, onde o Brasil conheceu o sinistro Sombra do PT, o responsável para punir aqueles que não aceitam pagar o mensalão.

A história, repetida insistentemente, pelos advogados dos réus do mensalão no STF é a balela do Caixa 2, para pagar dívidas de campanha: ora bolas, é tudo Caixa 3, propina para políticos enriquecerem, não existe comprovação documentada de pagamento por serviços contratados de campanha política, ou, estamos diante de uma Sonegação de Impostos tutelada por autoridades da república contra os cofres públicos “destepaiz”!

10:01:24
Os mensaleiros e os ladrões de galinha

Depois de todos os elogios ao Supremo Tribunal Federal, aberta que está a avenida para a condenação da maioria dos mensaleiros, surge o primeiro buraco no asfalto. Ironicamente, coube ao caminhão do ministro Cezar Peluso diminuir a marcha, ele que até prisão determinou para os primeiros cinco réus. Porque ao fixar a pena para o deputado João Paulo Cunha, Marcos Valério, Henrique Pizzolato e dois penduricalhos, o mestre parou nos seis anos. Três por corrupção passiva e três por peculato. Significa que pela lei vigente o ex-presidente da Câmara teria direito a regime semi-aberto, caso não recebesse outra condenação por lavagem de dinheiro. Traduzindo: ficaria em casa durante o dia, obrigado apenas a dormir na cadeia.

A pergunta que se faz é porque, então, o ladrão de galinha fica preso durante o inquérito e o julgamento e, depois, continua trancado em tempo integral, sem direito a beneficio. Por ser pobre, não dispor de excepcionais advogados e carecer de diploma universitário? Deveria ser a lei igual para todos. Quantas galinhas poderiam ser compradas com os 50 mil reais oferecidos por Marcos Valério? Muitas mais, até um aviário, por conta do contrato de publicidade celebrado entre eles.

Claro que a pena para esse primeiro lote de bandidos não estava completa. Mais um voto em favor da acusação de lavagem de dinheiro, dado pelo presidente Ayres Brito,  determinou que os seis anos de prisão aumentem, nesse caso em regime fechado. Resta aguardar, sem desejos de vingança, mas tendo presente haver chegado a oportunidade de a Justiça demonstrar serem todos iguais perante a lei.
Carlos Chagas/Tribuna da Imprensa

10:37:42
Supremo será rápido com financiadores do mensalão

Ao entrar na segunda das sete fases do julgamento do mensalão, a expectativa do relator e de ministros é que o processo de decisão seja acelerado. Joaquim Barbosa considera que a fase mais longa e complexa foi superada com a conclusão do item 3 da denúncia. As próximas etapas tendem a ser apreciadas com mais agilidade, inclusive a do item 5, iniciado nesta quinta, que trata dos financiadores do mensalão.

O relator ainda não votou, mas já classificou como “cadeia de ilicitudes” a atuação de dirigentes do Banco Rural, que concederam empréstimos milionários às empresas de Marcos Valério e ao PT. Em 2003, foram R$ 3 milhões ao partido, e R$ 29 milhões a duas agências do publicitário. Para Barbosa, as operações de empréstimos foram fictícias, porque o modo como as operações foram feitas denota que nem os credores pretendiam resgatar o dinheiro, nem os tomadores do empréstimo tinham a intenção de pagar a dívida.

Dos réus desta etapa, Kátia Rabello, José Roberto Salgado, Vinícius Samarane são acusados de gestão fraudulenta, evasão de divisas, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha. Ayanna Tenório, a quarta ré do grupo, responde pelas mesmas acusações, com exceção de evasão de divisas. A tendência é que sejam julgados em bloco, uma vez que sua atuação é semelhante – o que difere entre eles é o grau de responsabilização.

A característica de ação em grupo, que justifica a acusação de formação de quadrilha, deve levar a sentenças mais rápidas e simplificadas. A soma das penas máximas dos crimes dos quais os quatro réus são acusados passa dos 30 anos de prisão.
blog da Christina Lemos

16:55:12
PT e Aecio Neves fazem festa: Haddad sobe 6 pontos percentuais e Serra cai 5

Pesquisa Datafolha divulgada quarta-feira pela TV Globo no Jornal Nacional mostra em São Paulo Celso Russomano (PRB) com 31% das intenções de voto – mesmo patamar do levantamento anterior -, seguido de José Serra (PSDB), com 22%, e Fernando Haddad, com 14% das intenções de voto. Em relação ao último levantamento, o tucano caiu 5 pontos percentuais; já Haddad subiu 6 pontos.

E a rabeira também começa a se definir. A pesquisa mostra Gabriel Chalita (PMDB), com 7%; seguido de Soninha Francine (PPS), com 4%; Paulinho da Força (PDT), com 2% das intenções de voto; Carlos Giannazi (PSOL) e Ana Luiza (PSTU) têm 1% cada. Os demais candidatos não pontuaram. Brancos e nulos são 10%. Não sabem ou não opinaram somam 7% dos eleitores.

Em relação à rejeição, Serra lidera com 43%, seguido de Paulinho da Força (25%), Soninha (24%) e Haddad (21%). Russomanno tem 15% de rejeição.
O Datafolha ouviu 1.069 eleitores paulistanos entre os dias 28 e 29 deste mês. A margem de erro da pesquisa – registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) com o número 00582/2012 – é de três pontos, para cima ou para baixo.
Carlos Newton/Tribuna da Imprensa


[ad#Retangulo – Anuncios – Duplo]

Tópicos do dia – 21/08/2012

14:42:10
Eleições 2012: Erundina acusa PT de comprar apoio de Paulo Maluff.

Afirma a deputada Luiza Erundina do PSB de S. Paulo, que o partido dos trabalhadores fez a negociata para garantir maior tempo na propaganda eleitoral — que não é gratuita!Nós, os abestados é que pagamos. Em 8 anos, o horário eleitoral custou R$ 4 bilhões à União, e como a União vive de nossos impostos… —   TV. “Houve barganha: o Maluf exigiu a Secretaria de Habitação, que tem obras, no governo do Geraldo Alckmin em troca do apoio à candidatura do José Serra”, disse. “Como o Alckmin se negou a dar a secretaria, ele veio para o Haddad. A presidenta Dilma deu para o Maluf uma secretaria nacional com mais recursos orçamentários. Foi pago para que o Maluf se coligasse com o PT”, acusou.

16:33:26
PSDB terá voto em separado na CPI do Cachoeira.

Certos de que o relator da CPI mista do Cachoeira, Odair Cunha (PT-MG), deverá pedir o indiciamento do governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), os tucanos já estão preparando voto em separado, com acusações contra os contratos firmados entre o governo federal e a Delta Construções, ligada ao bicheiro. A ordem do partido aos membros da CPI é centrar fogo na Delta a partir desta semana.

CPI da Delta
O PSDB também concentra esforços no cruzamento de dados a fim de tentar descobrir vínculos da Delta com o governo federal.

Pior que está, fica
O PSDB pediu a convocação de Íris Rezende, mas nem toca em Sérgio Cabral. Sem força na CPI, não quer comprar briga com o PMDB.

Acordão
Em reação, o PMDB ameaça convocar governador Simão Jatene (PA), do PSDB, mas quer mesmo é colocar panos quentes na discussão.
coluna Claudio Humberto

16:56:20
Duas questões aguardam votação no Supremo Tribunal Federal (STF): o direito de greve dos policiais civis e o direito do governo de descontar dias parados do salário dos grevistas, ainda sem data marcada.

O primeiro passo para que os assuntos sejam colocados em votação já foi dado, a chamada repercussão geral.
No procedimento, o relator do caso, ministro Ricardo Lewandowski, manifesta que reconhece a importância do assunto e o coloca na espera para ser julgado.  No caso do direito de greve dos policiais civis, Lewandowski, lembrou que não há regras para a interrupção dos trabalhos da categoria, por isso, a Justiça deve se posicionar sobre o assunto.

“Diante da ausência de norma regulamentadora da matéria, fica demonstrada a relevância política e jurídica do tema”, disse o magistrado, ao decidir colocar o caso em julgamento.
coluna Claudio Humberto

17:50:32
Tasso e Luizianne almoçam juntos no Paço

A prefeita Luizianne Lins almoça nesse momento no Paço Municipal com o ex-senador Tasso Jereissati. A reunião foi acertada quando os dois conversaram ao participar do casamento do filho do dono da Marquise, José Carlos Ponte, em Guaramiranga, dois sábados atrás. Oficialmente, o pretexto é a apresentação, por Tasso, do projeto de expansão do Iguatemi.

O clima entre os dois, que no passado foi de muita turbulência, troca de críticas e confrontos políticos, há algum tempo que parece viver um novo momento. Mais tranquilo. Na segunda quinzena de abril, por exemplo, Tasso e Luizianne sentaram-se lado a lado no Teatro José de Alencar quando do evento organizado pela TV Jangadeiro para marcar sua volta à Rede Bandeirantes de Televisão. Em clima de bons amigos, conversando animadamente.

O almoço de hoje poderia ter acontecido sexta-feira passada, mas terminou adiado por incompatibilidade de agendas. Apesar do esforço, de parte a parte, de dar ao encontro caráter puramente empresarial ou meramente administrativo, é muito difícil que a petista e o tucano não dediquem uma parte do tempo de conversa para o cenário político.

O encontro, impensável quando se projetava a campanha eleitoral de Fortaleza no seu início, já consta entre os fatos mais surpreendentes da política de 2012. Fica a dúvida, que apenas o tempo permitirá uma resposta: será um evento isolado ou haverá desdobramentos?

Vale destacar que desde quando Ciro Gomes deixou o Paço Municipal para assumir o governo do Estado, muito tempo atrás, que Tasso Jereissati lá não pisava. E a responsável pela proeza de levá-lo de volta ao histórico local viria a ser, exatamente, uma das suas adversárias mais implacáveis. Coisas da política.
Guálter George/blog segunda leitura


[ad#Retangulo – Anuncios – Duplo]