Dilma Rousseff diz que não discrimina oposição

Que oposição? Que bicho é esse? Com Tucanos e Demos votando no Calheiros? Há, há, há.
As oposições no Brasil optaram pela liberdade política servil!

Oposição Dilma Rousseff Blog do MesquitaIlustração – es.paperblog.com

Desse jeito a “tchurma” da estrela vai ficar no poder até que Diógenes não tenha mais lume no lampião.

O Gustavo Fruet e Eduardo Paes, tucanos d’antes dos mais emplumados, eram os mais incisivos acusadores do PT na CPI dos correios.

Ou era um filme de ficção o que eu assistia?

Eles hoje são Dilma Futebol Clube desde criancinhas. Já passaram o Zé, na seara dos capachos.


[ad#Retangulo – Anuncios – Duplo]

Eleições 2014 e o oligopólio tucano

Política  PSDB Eleições 2014 Blog do MesquitaDesde o ano 2000, antes de Lula chegar à Presidência, portanto, os únicos dois nomes que o PSDB oferece aos paulistanos em qualquer eleição para prefeito, governador ou presidente da República são José Serra e Geraldo Alckmin.

O atual governador de São Paulo foi candidato a prefeito na capital em 2000 e 2008. Serra disputou a prefeitura em 2004 e 2012.

Antes, já havia tentado em 1988 e 1996.

Repare: só eleitores paulistanos com mais de 37 anos de idade tiveram a chance de votar num tucano que não fosse Serra ou Alckmin para prefeito.

Foi na longínqua candidatura do hoje verde Fabio Feldmann em 1992, lembra?

Nas eleições para o Planalto ou para o Bandeirantes, a situação é parecida.

Em 2002, Serra saiu para presidente, Alckmin para governador.

Em 2006, inverteram: Alckmin para presidente, Serra para governador. Em 2010, desinverteram: Serra novamente para presidente, Alckmin novamente para governador.

Hoje acontece a abertura do congresso estadual do PSDB paulista. A expectativa é que Serra apareça e faça seu primeiro discurso após a eleição municipal de outubro. Os tucanos devem aproveitar para discutir estratégias para 2014. Qual é a grande articulação em curso?[ad#Retangulo – Anuncios – Direita]

Bingo.

Dar um jeito para lançar Serra para presidente (a tática agora é falar em prévias ou primárias); e garantir as condições para a reeleição de Alckmin governador.

Nem é justo dizer que o PSDB tem problemas para formar quadros competitivos.

Depois do petista Fernando Haddad, o maior vencedor da eleição paulistana foi o neopeemedebista Gabriel Chalita, tucano até outro dia.

O Rio de Janeiro reelegeu o prefeito com a segunda maior votação proporcional em capitais, Eduardo Paes, tucano até outro dia. Em Curitiba, a surpresa foi a vitória de Gustavo Fruet (PDT), tucano até outro dia.

Por que eles só conseguiram subir ao primeiro escalão da política após sair do PSDB? Poderia ser um tema para o congresso de hoje. Mas não é.
Ricardo Mendonça/Folha de S.Paulo

Tópicos do dia – 25/07/2042

10:28:31
Eleições 2012 – Brasil: da série ” A vida como não deveria ser” – Gustavo Fruet

Lembram dele?
Era o dedo mais incisivo, mordaz e implacável do PSDB na acusação contra a turma cliente do ‘Valerioduto’ na CPI do Mensalão. Não poupava ‘nadica de nada’ a turma do PT. Pois não é que agora sua Ex-celência se mostra petista desde criancinha?
Pulou do PSDB para o PDT – do inominável Carlos Luppi, lembram? – e está coligado ao PT na candidatura para prefeito de Curitiba. A exemplo do seu ex-guru FHC o senhor Fruet também entra para o time do que imploram “esqueçam o que eu disse”.

10:37:56
Crime organizado: lei determina medidas de segurança para juízes

O Ministério Público e os tribunais terão 90 dias para adotar uma série de medidas de segurança com o objetivo de garantir o andamento e julgamento dos processos envolvendo crimes praticados por organizações criminosas. A Lei aprovada pelo Congresso foi sancionada pela presidenta Dilma Rousseff. O texto está publicado na edição desta quarta-feira (25) do Diário Oficial da União.  Segundo o texto,  os juízes, integrantes do Ministério Público e seus parentes poderão receber proteção especial, se considerarem que estão sob ameaça. A proteção especial poderá ser feita pela Polícia Judiciária, por órgãos de segurança institucional e agentes policiais.
coluna Claudio Humberto

10:51:50
Marcos Valério: a caixa preta do mensalão que é uma ameaça a Lula.

Lula precisa tratar com carinho a caixa preta mais perigosa do país
Como revelou a edição de VEJA desta semana, o grão-mensaleiro Marcos Valério comunicou a amigos de Lula que, se não fosse tratado com o carinho que merece a mais perigosa caixa-preta do país, poderia ceder à tentação de contar detalhes de conversas que teve com o ex-presidente antes da descoberta do mensalão.

Nesta segunda-feira, instado pelo portal Terra a comentar a reportagem, Valério confirmou a ameaça com duas frases grávidas de entrelinhas. “Eu sou igual ao doutor Delúbio, nunca endureci o dedo para ninguém e não vai ser agora, às vésperas do julgamento”, começou o declarante. “Eu não tenho nenhum confidente em Brasília, principalmente lá, onde não vou há anos”, terminou. Traduzidas as frases, o que se ouve são dois desmentidos que ratificam e ampliam as informações divulgadas por VEJA. A primeira lembra aos interessados que, como Delúbio Soares, Valério sabe muito e não contou nada, está pagando sozinho por pecados coletivos e espera que os danos morais e financeiros sejam devidamente compensados.

Ao frisar que nunca endureceu o dedo, está dizendo que poderia ter feito o contrário. O indicador só enrijece se existe algo ou alguém a apontar. Não fez isso e não fará às vésperas do julgamento, sublinha. Mas nada impede que faça depois. Depende do desfecho do caso.
Ao afirmar na segunda frase que não tem confidentes em Brasília e não aparece por lá há alguns anos, Valério confirma outra informação da reportagem: os encontros com Paulo Okamotto e Luiz Eduardo Greenhalgh, que repassaram o recado a Lula, ocorreram em São Paulo.
Não foi necessário reaparecer no local do crime. Antes da descoberta do esquema criminoso, ele passava mais tempo em Brasília do que em Belo Horizonte e entrava sem bater em gabinetes inacessíveis para a gente comum. Até ser reduzido a caso de polícia e descobrir como é passar a noite na cadeia.
Blog de Augusto Nunes/Veja


[ad#Retangulo – Anuncios – Duplo]

CPI Cachoeira: Vestal do PSDB é afastado por suspeita

Lembrei-me de outras furibundas vestais em CPIs passadas. Na do mensalão, dois dos dedos mais acusadores são hoje adoradores prostrados aos pés do petismo.

Um, Eduardo Paes, hoje prefeito do Rio, foi implacável acusador do PSDB na CPI do mensalão, e hoje é mais um ardoroso membro da torcida do Lula.

O outro, Gustavo Fruet, à época do mensalão, deputado federal pelo PSDB, era um inquisidor implacável e mordaz. pois hoje, esse acusador do Dirceu e cambada, está coligado ao PT na disputa à Prefeitura de Curitiba, se bandeou pro PDT – partido da tal “base de apoio”, há, há há, e também se revela petista desde criancinha.

Todos esses políticos são tão verdadeiros quanto uma nota de 3 reais.
Argh!
José Mesquita – Editor


Tigrão sai da CPI, do PSDB e pode ser investigado. O Tucano tentou orientar Gurgel contra Agnelo.

O site Conversa Afiada, do jornalista Paulo Henrique Amorim, publicou, neste domingo, um documento ainda inédito da CPI do caso Cachoeira, que cita o procurador-geral da República, Roberto Gurgel (leia aqui).[ad#Retangulo – Anuncios – Direita]

São conversas que envolvem o deputado Fernando Francischini (PSDB-PR) e o araponga Idalberto Matias, o Dadá, além de personagens conhecidos da política brasiliense, como o ex-senador Alberto Fraga, do DEM, e os jornalistas Edson Sombra e Mino Pedrosa.

Ambos, críticos ferozes da gestão de Agnelo Queiroz, do PT, no governo do Distrito Federal.

Já se sabia que Francischini pensava em mudar seu domicílio eleitoral do Paraná para Brasília, onde concorreria ao GDF em 2014 – a revelação foi feita, aqui, no 247.

A novidade é que, pela primeira vez, há grampos que citam o nome do procurador-geral da República, Roberto Gurgel.

Nos diálogos, interlocutores de Dadá articulam para que Gurgel apresente denúncia contra Agnelo Queiroz.

O trabalho do grupo envolvia, ainda, a publicação de notícias em blogs políticos de Brasília contra o governador.

Num email interceptado pela Polícia Federal, Alberto Fraga sugere a Edson Sombra que fale com Mino Pedrosa para maneirar as denúncias contra Agnelo, para não prejudicar o trabalho do procurador-geral.

“Você tem que falar com o Etelmino para ele ir com calma.

Pois todo esse alvoroço pode até atrapalhar o trabalho que o Gurgel está fazendo junto com o Francischini”.

No início do ano, o deputado tucano denunciou, na revista Veja, a existência de uma central de grampos, no governo do Distrito Federal, contra adversários políticos de Agnelo Queiroz.

Ele estaria entre os alvos, assim como os jornalistas Edson Sombra e Mino Pedrosa. Em abril, Francischini disse até que pediria a prisão do governador do Distrito Federal.

O que o documento publicado neste domingo revela, no entanto, é bem diferente.

Era Francischini quem tramava com Dadá, Carlos Cachoeira, Alberto Fraga e blogueiros de Brasília a queda do governador.

O que ainda não se sabe é qual era o grau de envolvimento do procurador Gurgel na trama.
fonte: site Brasil 247 

Tópicos do dia – 29/04/2012

10:54:30
Advogado diz que Supremo deve ter a coragem de anular grampos ilegais
O advogado Antonio Carlos de Almeida Castro, que é conecido como Kakay, afirmou ao jornal Folha de S. Paulo deste domigo que a Polícia Federal produziu provas ilegais contra o senador Demóstenes Torres (ex-DEM-GO) e o governador Marconi Perillo (PSDB-GO) nos inquéritos que levaram o empresário Carlos Cachoeira à prisão em fevereiro.

Ele afirmou à repórter Andreza Matais que ambos só poderiam ter sido investigados com autorização dos tribunais superiores em que têm foro privilegiado. Ao usar as escutas telefônicas feitas pela PF como elementos para pedir a abertura de investigações contra eles, o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, deu um “presente” à defesa. “Já em 2008, na Operação Vegas, o senador [Demóstenes] falava com frequência com Cachoeira.
Na Operação Monte Carlo [segunda investigação sobre o caso, de 2010 a 2011], eles continuaram a gravar o senador por centenas de vezes. Você pode ser contrário ao foro de prerrogativa, mas desde que exista pela previsão constitucional você tem que ter a certeza de que ele será aplicado”, explicou Kakay.
Durante a entrevista, a repórter lembrou a jurisprudência sobre “encontro fortuito” de provas. quando alguém com foro privilegiado é flagrado conversando com um investigado sem foro. “Encontro fortuito não pode ser um diálogo que perdure durante um ano e meio, dois anos, respondeu o advogado. “Se fosse direito de família, teria estabilidade [a relação entre Demóstenes e Cachoeira]. É inacreditável o que aconteceu.” Antonio Carlos de Almeida Castro está convencido que o respeito à Constituição impõe a anulação das interceptações telefônicas comoprova.
Segundo ele, o Supremo Tribunal Federal “tem que ter independência e coragem para anular um procedimento que há 40 dias você tem um vazamento diário na imprensa.”

11:00:44
Demóstenes quadruplicou o patrimônio
O patrimônio do senador Demóstenes Torres (sem partido-GO) praticamente quadruplicou quatro meses depois das eleições de 2010, quando se reelegeu senador. Neste período, Demóstenes declarou à Justiça Eleitoral um patrimônio de R$ 374 mil. Na relação de bens apresentada ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) não havia nenhum imóvel. O parlamentar listou um carro de R$ 102,4 mil e R$ 63,3 mil em contas bancárias. Informou ainda ter duas aplicações financeiras que não chegavam a R$ 10 mil. Pouco tempo depois, o parlamentar chegou a comprar do seu suplente, o empresário Wilder Morais, um apartamento em um dos prédios mais luxuosos de Goiânia (GO), no valor de R$ 1,2 milhão. A transação imobiliária ocorreu três meses após a Construtora Orca, de propriedade de Wilder, comprar o imóvel de outra empresa goiana.

11:39:46
Greta Garbo, quem diria, acabou no Irajá. PT e ex-tucano, amigos para sempre
PT se alia a ex-tucano em Curitiba
O diretório do PT em Curitiba confirmou neste sábado (28) a formação de aliança com o ex-tucano Gustavo Fruet (PDT) que é pré-candidato à Prefeitura de Curitiba. Fruet foi deputado federal pelo PSDB, líder da oposição ao governo de Lula (2003-2010) e um dos relatores da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) que investigou o mensalão, em 2005. O apoio à aliança com o ex-tucano foi comandado pelos ministros Gleisi Hoffmann (Casa Civil) e Paulo Bernardo (Comunicações), que tiveram que enfrentar a resistência dos filiados contra o antigo opositor.

11:44:48
Kadafi e Sarkozy: cúmplices!
Nada como um dia atrás do outro. E do outro também!
Do site do Jornal Mediaport: “…o ex-ditador Muammar Kadafi financiou a campanha presidencial de Nicolas Sarkozy em 2007. Segundo o jornal, em um documento, datado de 10 de dezembro de 2006, o atual responsável pelo serviço secreto, Moussa Koussa, concede autorização para o diretor do gabinete de Kadafi, Bashir Saleh, efetuar o pagamento. No texto, Koussa se refere à realização de reuniões preparatórias com Brice Hortefeux, então secretário de estado de Coletividades Territoriais, homem próximo a Sarkozy e diretor da campanha que o levou à presidência em 2007. Além disso, o chefe do serviço secreto cita Ziad Takieddine, empresário franco-libanês envolvido na França em outros casos de financiamento ilegal de partidos.”


[ad#Retangulo – Anuncios – Duplo]