PF investiga corrupção em compra de termelétricas durante governo Fernando Henrique Cardoso

cerverobrasilcorrupcaoblog-do-mesquitaDe acordo com Polícia Federal, esquema envolve as empresas Alstom/GE e NRG

A Polícia Federal abriu uma investigação sobre um suposto esquema de corrupção na compra de termelétricas pela Petrobras durante o governo de Fernando Henrique Cardoso, entre os anos de 1999 e 2001.

O documento que consta a abertura do inquérito foi publicado no dia 23 de setembro pela PF no sistema da Justiça Federal do Paraná.

O inquérito policial faz parte da Operação Lava Jato, envolve as empresas Alstom/GE e NRG e tem como base declarações do ex-diretor da área internacional da Petrobras Nestor Cerveró, de acordo com a declaração do delegado Roberto Biasoli.[ad name=”Retangulo – Anuncios – Duplo”]

Cerveró cumpre pena em regime domiciliar desde junho. Em seu depoimento de delação premiada, ele afirmou que recebeu propina não apenas na compra das máquinas, mas também R$ 200 mil da empreiteira Camargo Corrêa, direto das mãos do lobista Afonso Pinto Guimarães.

Segundo o ex-diretor da Petrobras, o valor foi pago em parcelas mensais de R$ 15 mil entre 1999 e 2000, durante o governo de FHC. O delator também afirmou que a empreiteira foi responsável pela obra da termelétrica de Nova Piratininga, em São Paulo.

Cerveró disse ter recebido R$ 300 mil dólares da NRG, pela construção da termelétrica TermoRio, que afirmou que o valor foi depositado na conta da Suíça da qual ele é proprietário, administrada por Peter Schmid. Segundo ele, o valor teria sido depositado na conta de uma vez só, em 2000 ou 2001.

Tecnologia. Armazenamento de dados por holografia

Tecnologia: Memória é o que não vai faltar

O disco holográfico, desenvolvido pela GE, armazena 500 gigabytes e custa, proporcionalmente, menos que um disco blu-ray.

Algumas tecnologias surgem na hora certa para causar uma revolução. Outras são revolucionárias, mas aparecem na hora errada e não causam tanta sensação. Qual será o caso do disco holográfico, uma nova tecnologia de armazenamento digital de dados anunciada pela General Electric na semana passada?

De tamanho convencional, o produto tem capacidade para armazenar 500 gigabytes de informação, o equivalente a 100 DVDs – o que é um desempenho sensacional. Quando foram lançados, o CD, em 1982, e o DVD, em 1995, mudaram tudo o que se conhecia nessa área. O primeiro armazenava 200 vezes mais dados que a tecnologia antecessora e representou uma revolução na indústria fonográfica.

O segundo ultrapassou a marca dos gigabytes, permitindo a gravação de filmes inteiros numa única mídia. Já com o blu-ray, lançado há seis anos, foi diferente. Apesar de aumentar a capacidade de armazenamento, tornou-se apenas mais uma alternativa entre outras tantas. “A nova tecnologia holográfica terá de competir também com outras formas de armazenamento, como HDs externos, pen drives e o cloud computing, a estocagem de dados em servidores gigantes e remotos acessados pela internet”, diz Waldemar Schuster, analista da International Data Corporation (IDC), instituto especializado em tecnologia.

O nome da tecnologia faz alusão à possibilidade de aproveitar todas as três dimensões do disco para arquivar dados. Ao contrário das mídias ópticas, nas quais os dados são “escritos” numa fina camada de metal, toda a espessura do disco holográfico é composta de um material fotossensível, capaz de armazenar informações. Há outras pesquisas com armazenagem holográfica em andamento.

Uma empresa americana anunciou neste ano planos de introduzir um sistema que usará máquinas de 18 000 dólares e discos igualmente caros. A GE tomou um caminho diferente. Reduziu a qualidade do holograma para baratear o produto e atingir um público mais amplo. A tecnologia ainda está em fase de laboratório e precisa ser adaptada para a produção em massa. “Nosso objetivo é, com pequenos ajustes, dobrar a capacidade de armazenamento até a data de lançamento do produto, em 2012”, disse a VEJA o americano Brian Lawrence, chefe do programa de armazenamento holográfico da GE.

O preço por gigabyte do disco holográfico é estimado em 10 centavos de dólar, contra 50 centavos do Blu-ray. Essa pode ser uma vantagem competitiva. Estima-se que três quartos dos gastos com tecnologia da informação de uma empresa vão para a ampliação da capacidade de armazenamento de dados. Baratear o custo é uma necessidade crucial para estúdios de cinema, redes de TV e hospitais. Se o disco holográfico conseguir reduzir parte desses gastos, talvez consiga, afinal de contas, desencadear sua própria revolução tecnológica.

Para entender:

CD DVD Blu-Ray Holográfico
armazena 0,7 GB armazena 4,7GB armazena 50 GB armazena 500GB
armazena 116 fotos armazena 783 fotos armazena 8.330 fotos armazena 83.300 fotos
Lançamento: 1982 Lançamento: 1995 Lançamento: 2003 Lançamento: 2012
Grava em 1 camada Grava em 1 camada Grava em 2 camadas Grava em toda a espessura
junto à superfície no centro no centro

Thomaz Favaro – Revista Veja