Elizabeth Barret Browning – Poesia

Boa noite.
Amam-me por amor do amor
Elizabeth Barret Browning

Ama-me, por amor do amor somente,
Não digas: Amo-a pelo seu olhar,
O seu sorriso, o modo de falar
Honesto e brando. Amo-a porque se sente

Minh’alma em comunhão constantemente
Com a sua”. Por que pode mudar
Isso tudo, em si mesmo, ao perpassar
Do tempo, ou para ti unicamente.

Nem me ames pelo pranto que a bondade
De tuas mãos enxuga, pois se em mim
Secar, por teu conforto, esta vontade

De chorar, teu amor pode ter fim!
Ama-me por amor do amor, e assim
Me hás de querer por toda a eternidade.

Tomaz Vieira da Cruz – Poesia

Boa noite.
Selvagem
Tomaz Vieira da Cruz

Ninguém, ninguém, ninguém me queira mais;
podem trazer-me tudo quanto existe:
as pérolas de Ofir e as irreais
ilusões que contentam quem é triste.

Podem trazer-me, em doidos vendavais,
a luz da felicidade que sentiste,
mulher ditosa que em cortejo vais
seguida de quem ama de quem riste.

Podem passar, ó loucas multidões
que eu bem o sinto, em tétrica miragem,
o labirinto em vossos corações…

Podeis passar, ó luz do sol fecundo,
porque eu não troco o amor desta selvagem
por todas as grandezas deste mundo!

Sem saber onde

Arte Digital: José mesquita