Aborto e excomunhão. Entrevista com Dom José Cardoso Sobrinho

Trechos da entrevista que Dom José Cardoso Sobrinho, bispo de Olinda e Recife, concedeu à revista Veja nas Páginas Amarelas. Abaixo trechos da entrevistas.
entrevista a Juliana Linhares

Por que o senhor acha que tantas pessoas, católicas em sua maioria, ficaram revoltadas com a sua posição no caso da excomunhão dos adultos envolvidos no aborto da menina violentada?
Em primeiro lugar, nós temos de colocar essa questão no âmbito religioso. Acreditamos em Deus? É sim ou é não. E eu suponho que a grande maioria das pessoas acredita. E acreditar em Deus significa aceitar que Deus é a origem de tudo e é também o nosso fim. Essa é uma verdade fundamental. É premissa importantíssima para dizer que a lei de Deus está acima de qualquer lei humana. E a lei de Deus não permite o aborto. Então, se uma lei humana está contradizendo uma lei de Deus, no caso, a que permitiu a operação, essa lei não tem nenhum valor. Quanto ao que você afirma, sobre as pessoas estarem revoltadas, tenho de dizer que também houve um clamor grande, eu diria enorme, de autoridades de Roma a meu favor. Tenho sido insultado, claro, mas hoje mesmo recebi uma carta de Giovanni Battista Re, prefeito da Congregação para os Bispos em Roma, em que me elogia.

O que o senhor diria aos católicos que condenaram sua atitude?
Antes de tudo, quero deixar bem claro que não fui eu que excomunguei os médicos que praticaram o aborto e a mãe da menina. Isso é falso. Eu não posso excomungar ninguém. Eu simplesmente mencionei o que está escrito na lei da Igreja, o cânone 1 398, do Código de Direito Canônico, que está aí nas livrarias para qualquer um ler. Por essa lei, qualquer pessoa que comete aborto está excomungada, por uma penalidade que se chama latae sententiae, um termo técnico que significa automática. Então, não foi dom José Cardoso Sobrinho quem os excomungou. Eu simplesmente disse a todos: “Tomem consciência disto”. Qualquer pessoa no mundo inteiro que pratique o aborto está incorrendo nessa penalidade – mesmo que ninguém fale nada. Quem é católico sabe que na primeira carta de São Paulo a Timóteo, no capítulo II, está escrito: Deus quer que todos sejam salvos.

Por que estupradores não são também automaticamente excomungados?
A nossa santa Igreja condena todos os pecados graves. O estupro é um pecado gravíssimo para a Igreja, assim como o homicídio. Agora, a Igreja diz que o aborto, isto é, o ato de tirar a vida de um inocente indefeso, é muito mais grave que o estupro, que o homicídio de um adulto. Qualquer pessoa inteligente é capaz de compreender isso. Eu não estou dizendo que o estupro e a pedofilia são coisas boas. Mas o aborto é muito mais grave e, por isso, a Igreja estipulou essa penalidade automática de excomunhão.

Em que outros casos se aplica a excomunhão automática?
No Código de Direito Canônico anterior, promulgado por Bento XV, havia cerca de quarenta motivos para a excomunhão automática. Em 1983, sob a autoridade de João Paulo II, foi publicado um novo Código. O atual os reduziu a apenas nove. São eles: o aborto; a apostasia, que é quando a pessoa abandona a religião; a heresia, que acontece quando uma pessoa nega um dogma da Igreja; a violência física contra a pessoa do papa; a consagração de um bispo sem a licença do papa; o cisma; a absolvição por um sacerdote do cúmplice de um pecado da carne; a violação direta do segredo da confissão; e a profanação das hóstias consagradas.

Casal Jovem vítima de falso Guia Turístico em praia do Paraná

Muito triste ver como esta história terminou. O rapaz foi morto a tiros e a namorada foi baleada, estuprada e está internada em estado grave.

[ad#Retangulo – Anuncios – Duplo]

Veja a matéria:

caioba-e-morro-do-boi-parana* Clique para ampliar *

O fim de semana foi marcado por um crime bárbaro no Paraná.

Um falso guia de turismo matou um estudante de 22 anos, em Matinhos (PR).  Segundo os bombeiros, o assassinato ocorreu depois que o criminoso tentou estuprar a namorada da vítima. O casal teria reagido.

Ainda era sábado, quando um casal de namorados subiu uma trilha ao lado de uma praia lotada, levado por um falso guia. O passeio terminou em tragédia.

A praia ainda estava cheia quando o carro do Instituto Médico Legal (IML) levou o corpo do estudante de direito Ozires del Corso, de 22 anos.

Ele e a namorada subiram o Morro do Boi, guiados por um homem que se ofereceu para mostrar a trilha.Depois de 15 minutos de escalada, o casal foi rendido pelo guia, que estava armado.

Como eles não tinham dinheiro, foram levados para uma gruta. O homem atirou nos dois, porque eles reagiram a uma tentativa estupro. Ozires morreu na hora. A namorada ficou gravemente ferida. O assassino fugiu mas voltou à noite para violentar a moça.

Os bombeiros resgataram a jovem no começo da tarde. Ela foi levada de helicóptero para Paranaguá para ser operada.

Investigação

A polícia já ouviu os primeiros depoimentos e tem a descrição do assassino: um homem alto, meio gordo, de cerca de 30 anos, olhose cabelos castanhos, mas calvo e rosto redondo. “Esse detalhe de ele ter retornado à noite mostra que ele conhecia o local. É um ponto de partida para a investigação”, afirma o delegado Luiz Alberto Cartaxo Moura.

A jovem foi submetida a uma cirurgia para retirada das balas e está em estado grave.

Fonte: G1 – Bom dia Brasil

Silvio Berlusconi e o estupro

Na América Latina nós “usufruímos” das tragicomédias produzidas pelo chefe dos Tupiniquins, pelo cocaleiro boliviano e pelo maluquete das Caraíbas.

Pois a Europa não fica atrás em matéria de dirigente que vive metendo, cem trocadilhos, os pés pelas mãos. O neo-fascista Silvio Berlusconi soltou mais uma de suas “pérolas” de chauvinismo explícito.

Declaração de Silvio Berlusconi sobre onda de estupros na Itália gera polêmica e críticas
Conhecido por suas gafes, o primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi, é alvo de novas críticas em virtude de um comentário infeliz sobre uma onda de estupros em algumas cidades do país. Em Roma e na Sardenha, ilha no Mediterrâneo, foram registrados mais de 60 casos no último mês, quase 30% a mais do que a média.

” Não poderíamos recrutar uma força grande o suficiente para evitar este risco [de estupros]. Teríamos de ter tantos soldados nas ruas quanto mulheres bonitas. Não acho que conseguiríamos ”

Questionado sobre o uso de tropas federais para conter o aumento da violência sexual, o premier disse:

– Não poderíamos recrutar uma força grande o suficiente para evitar este risco. Teríamos de ter tantos soldados quanto mulheres bonitas. Não acho que conseguiríamos.

A declaração foi considerada “irresponsável” pela oposição. Para o líder do Partido Democrata, Walter Veltroni, o premier fez uma “piada de mau gosto perante o drama de tantas mulheres que foram violadas nos últimos dias”.

Nem mesmo a ministra da Igualdade, Vittoria Franco, perdoou o premier.

– Ele foi insolente e disse coisas ofensivas às mulheres – disse. – Berlusconi está dizendo que as mulheres que saem de casa correm o risco de ser estupradas ou atacadas porque não é possível deixar o país seguro.

Confrontado, Berlusconi defendeu-se minimizando o valor da sua declaração e classificando os casos de estupro como “indignos” e “execráveis”.

O Governo anunciou no sábado que reforçará de 3 mil para 30 mil o número de soldados a patrulharem as principais cidades italianas e locais considerados “de risco” como embaixadas e centros que podem estar “na mira do terrorismo”.

O Globo

Manchester fala sobre o Caso Robinho

Após toda movimentação em torno do assunto “Robinho preso por acusação de estupro“, o clube dele, Manchester City, pronuncia-se oficialmente.

Veja matéria abaixo:

Sem citar o nome de Robinho, o Manchester City divulgou esta tarde um comunicado oficial sobre as denúncias de que o jogador teria abusado sexualmente de uma jovem inglesa.

* Vídeo com matéria sobre o “Caso Robinho” *

O jogador brasileiro negou qualquer envolvimento e afirmou ao técnico Dunga, da seleção brasileira, que está sendo vítima da ação de uma pessoa oportunista e que cumpriu tudo o que foi necessário no âmbito legal para esclarecer o assunto.

O clube foi comunicado e está assistindo o jogador nessa questão e as autoridades em relação a investigação da Polícia de West Yorkshire.

Ambas as partes vão receber o total suporte do Manchester.

Nenhuma acusação de qualquer natureza foi feita ao jogador e mais nenhum comunicado será feito enquanto a investigação estiver sendo realizada – diz a nota oficial no site do Manchester City.

Fonte: G1