Tecnologia – Gravação de 300 DVDs em um

Daqui a cinco ou dez anos, uma coleção de 300 DVDs de filmes ou séries de TV caberá em um único disco do mesmo tamanho.

A possibilidade foi aberta por um trabalho feito por pesquisadores na Austrália, que mostraram como é possível desenvolver um super-DVD com dados gravados em cinco em vez de duas ou três “dimensões”.

Isso aumentará a capacidade do disco de 4,7 gigabytes (a de um DVD padrão) para até 10 terabytes — 2.000 vezes mais.

Tanto os CDs de música quanto os DVDs com imagens ou dados são discos ópticos, que dependem da luz laser para serem gravados e lidos. Microscópicos buracos e elevações na superfície do disco armazenam as informações ao refletirem o laser de maneira diferente.

Já o super-DVD australiano incorpora duas novas dimensões, uma baseada no espectro luminoso — a cor — , outra baseada na polarização, uma espécie de alinhamento no mesmo plano dos raios de luz.

Tecnologia,DVD,DVD do Futuro,Computadores,HardwareClique na imagem para ampliar

A pesquisa foi feita por Peter Zijlstra, James Chon e Min Gu, da Universidade de Tecnologia Swinburne, de Hawthorn, Austrália, e está descrita na edição de hoje da revista “Nature”.

Tecnologia,DVD,DVD do Futuro,Computadores,HardwareClique na imagem para ampliar

A novidade foi incorporar microfilamentos de ouro — ou nanobastões — na superfície do disco. As nanopartículas são “queimadas” pelo laser durante a gravação e refletem a luz durante a leitura de acordo com seu formato. Isso permite gravar os dados no mesmo ponto do disco, em outras camadas.

“Nós fomos capazes de mostrar como material nanoestruturado pode ser incorporado em um disco para aumentar a capacidade de armazenamento sem aumentar o tamanho físico do disco”, declarou o líder da pesquisa, Min Gu.

“Nós pudemos gravar com grau zero de polarização. Em cima disso, gravamos outra camada de informação com 90 graus de polarização, sem que uma interfira na outra”, declarou James Chon.

Os pesquisadores têm um acordo com a empresa Samsung para desenvolver o super-DVD comercialmente.
O que permite o grande aumento da estocagem de dados é o modo como eles integram as cinco “dimensões” em experimentos que envolveram até dez camadas de armazenamento.

Um dos experimentos usou dois canais de polarização e três diferentes comprimentos de onda. O resultado mostrou que, num disco óptico do mesmo tamanho de um CD ou DVD, seria possível armazenar 1,6 TB (terabyte) de informações (isto é, 1.600 gigabytes). Em 1 TB é possível gravar 300 filmes de longa metragem ou 250.000 músicas.

E, se for reduzida a espessura das camadas entre as que registram os dados, o disco poderia chegar a 7,2 TB — mesma capacidade de armazenamento que 1.531 DVDs comuns.

O novo disco pode facilitar o armazenamento das pesadas imagens médicas feitas por ressonância magnética, ou dados financeiros, de segurança e militares. A maior disponibilidade de armazenamento também poderá facilitar a proteção dos dados pela criptografia.

Se os filamentos forem de prata em vez de ouro, o custo de produção poderia ser reduzido em cem vezes, diz o grupo.

Ricardo Bonalume Neto – Folha de S.Paulo

The Pirate Bay Condenado – 1 ano de prisão e multa milhonária

Os responsáveis pelo site de direcionamento para downloads gratuitos via redes P2P, The Pirate Bay, recebem pena de um ano de prisão e terão que pagar uma indenização milhonária!

Leia matéria abaixo!

responsaveis-pelo-pirate-bay-condenados-na-suecia

As agências de noticias mundiais acabam de divulgar o veredito do Tribunal Distrital de Estocolmo para o caso The Pirate Bay.

O tribunal condenou Fredrik Neij, Gottfrid Svartholm, Peter Sunde e Carl Lundstroem – a pagar uma indemnização de 30 milhões de coroas (2,72 milhões de euros / 3,56 milhões de dólares ou aproximadamente 7,7 milhões de reais) e a um ano de prisão, por violação de direitos autorais.

Os quatro negaram qualquer irregularidade.

Em comunicado oficial depois do julgamento, John Kennedy, o presidente e CEO da International Federation of Phonographic Industries (IFPI), uma das associações que processou o TPB, declarou que o veredicto se trata de “uma boa notícia a todos, na Suécia e internacionalmente, que estão ganhando a vida e fazendo negócios de atividade criativa e que precisa saber que seus direitos são protegidos por lei”.

Peter Sunde, um dos condenados, postou em seu Twitter oficial: “Fiquem calmos – nada vai aconteceu ao TPB, a nós pessoalmente ou ao compartilhamento de arquivos tampouco. Isso só é um teatro para a mídia”.

Anteriormente, o mesmo Peter Sunde havia declarado que, caso perdesse no resultado de hoje,o The Pirate Bay recorreria da decisão.

 

– História –

Fundada em Estocolmo em 2004, o site The Pirate Bay é considerado o principal site do mundo para compartilhar filmes, música, jogos e programas, e estima-se que conta com entre 22 e 25 milhões de usuários no mundo todo. A Procuradoria sueca abriu um caso contra o site em 2005 e, em maio do ano seguinte, a polícia deteve três dos acusados em uma operação na qual foram confiscados todos os servidores. Os quatro responsáveis foram acusados formalmente em janeiro de 2008.

 O julgamento contra o site The Pirate Bay foi considerado decisivo na disputa mundial sobre o download gratuito de música, filmes, software e outros produtos digitais.

Só dói quando eu rio

Brasil: da série “só dói quando eu rio”!

Tom Jobim costumava explicar para amigos estrangeiros a “zorra” da terra dos Tupiniquins, que ” o Brasil não é para amadores”.

Diante da notícia transcrita aí abaixo alguém ainda duvida que o maestro da bossa nova tinha razão?

Preso ex-presidente de entidade anti-pirataria com CD falso

O empresário Carlos Gomes, 54 anos, foi preso nesta tarde em flagrante por venda de produtos piratas. Segundo o delegado Edemundo Dias, titular da Delegacia do Consumidor (Decon), ele é ex-presidente da Associação Goiana de Combate a Pirataria de CDs e DVDs.

Gomes é dono de uma rede tradicional de lojas de discos. A polícia aprendeu mais de 5 mil produtos piratas nos três estabelecimentos do empresário, todos na região central da capital.

A fraude foi descoberta depois que uma cliente levou CDs do cantor Amado Batista que havia comprado em uma das lojas para o artista autografar durante um show. Ele se recusou a assinar, alegando que não concordava com a comercialização CDs piratas.

“Ela se sentiu extremamente constrangida com seu ídolo e com os presentes no show, que fazia parte de uma festa organizada por ela. Então, a cliente pegou as notas fiscais e veio até a delegacia”, explicou o delegado.

Na loja, o CD do Amado Batista pirata era vendido a R$ 15,90. O empresário disse na delegacia que não estava conseguindo concorrer com os ambulantes. “Isso não é desculpa, porque ao ir numa loja tradicional o cliente busca qualidade, e não um produto pirata”, comentou Dias.

Gomes está detido em uma cela do 1º Distrito Policial. Ele vai responder por venda de produto pirata, crime previsto na Lei de Direitos Autorais. Ele também pode ser indiciado por sonegação fiscal. Se condenado, pode pegar de dois a quatro anos de reclusão. A loja não será fechada.

Terra Notícias Márcio Leijoto – Direto de Goiânia

Tecnologia – Vitrola traz LPs para a era do MP3

tecnologia-vitrola-traz-lps-para-a-era-do-mp3

Na era do MP3, discos em vinil podem parecer artefatos ultrapassados. Mas, se você quiser juntar a nostalgia com a tecnologia, uma boa opção pode ser o LP-U200, da Teac.

O aparelho permite gravar LPs, CDs e programação de rádio em um cartão SD ou em um pendrive USB. Os arquivos são transformados em MP3. Depois, é só plugar o dispositivo móvel no computador e ouvir suas músicas no novo formato.

Nas tentativas realizadas pela Folha, no entanto, o processo se mostrou um pouco complicado. Não basta plugar o dispositivo portátil de armazenamento e clicar em Rec (abreviação para gravar, em inglês).

O processo exige uma seqüência de ações. Para gravar um vinil, por exemplo, selecione a função Phono.
Coloque o disco no local adequado –escolha, também, a rotação, que pode ser 33, 45 ou 78.

Selecione, então, a taxa de bits da gravação –96 Kbps, 128 Kbps ou 160 Kbps. Depois, aperte Program/Enter. Plugue o USB ou o cartão SD no aparelho. A mensagem “Reading” aparecerá por alguns segundos.

Pressione o botão Rec uma vez. Selecione, novamente, de onde será extraída a música. Pressione o Rec –agora, o botão não ficará piscando, mas manterá uma luz vermelha contínua.

Enfim as faixas começarão a ser transferidas para o dispositivo. Para terminar, basta apertar Stop. No computador, os arquivos são nomeados como Phono001, Turner001 e assim por diante.

O LP-U200 também permite que você ouça músicas armazenadas no pendrive ou no cartão SD diretamente no aparelho, bastando plugá-los.

Espécie de três-em-um dos anos 2000, o aparelho é uma boa opção para quem procura algo compacto, pois pesa cerca de dez quilos. As duas caixas embutidas são suficientes para um ouvinte não muito exigente, que não faz questão de equalizar graves e agudos, por exemplo.

O aparelho tem saídas que permitem conectá-lo a um DVD. Tem preço sugerido de R$ 2.080.

da Folha Online

Vídeos na internet tem acordo da iTunes com Hollywwod

É ditado consagrado que se você não pode com o inimigo, junte-se a ele. É o que está acontecendo com os outroras poderosos estúdios cinematográficos de Hollywood. Constatando que a internet é cada vez mais a mídia dominante, os estúdios concordaram em permitir a venda de filmes pela rede. Abaixo matéria da agência EFE.

Apple fecha acordo com estúdios para vender filmes pela internet.

A fabricante de aparelhos eletrônicos Apple chegou a um acordo com os principais estúdios de Hollywood e alguns independentes para vender filmes por meio de sua loja on-line iTunes. As vendas serão feitas na mesma data em que as produções forem lançadas em DVD.

A Apple anunciou o acordo na quinta-feira (1º), que inclui os estúdios 20th Century Fox, Walt Disney Studios, Warner Bros, Paramount Pictures, Universal, Sony Pictures, Lionsgate, Imagine Entertainment e First Look Studios.

As estréias –que antes desse acordo ser assinado costumavam demorar cerca de um mês para estarem disponíveis pela internet– custarão US$ 14,99 e a maioria dos filmes dos catálogos será oferecida a US$ 9,99, afirmou a companhia informática, em comunicado.

Segundo a Apple, esta semana já poderão ser comprados os filmes “American Ganster” e “The Diving Bell and the Butterfly”, que também serão lançados em DVDs.

A loja iTunes da Apple oferece atualmente um catálogos de seis milhões de músicas, 600 programas de televisão e mais de 1.500 filmes, incluindo 200 filmes de vídeo de alta definição. Investidores esperam que o acordo ajude a aumentar as vendas do iPod e do Apple TV.