Internet: prefixo .xxx para sites de sexo explícito

Internautas em busca de conteúdo ‘adulto’ poderão acessar em breve sites pornográficos.

Sufixo .xxx para sites pornográficos deve ser aprovado nesta sexta-feira

‘Sex’ é o termo mais buscado no mundo, com 25% de todas as buscas na web.

Há cerca de 370 milhões de sites ‘adultos’; uso de .xxx pode superar o de .com.

A companhia que supervisiona a concessão de endereços de internet, Icann, deve aprovar formalmente nesta sexta-feira (25) a criação do sufixo .xxx para sites com conteúdo pornográfico, afirmaram representantes da empresa nesta quinta-feira (24).[ad#Retangulo – Anuncios – Direita]

A Icann, que é controlada pelo governo dos Estados Unidos, vinha resistindo à criação do sufixo.

Por várias vezes nos últimos anos, a empresa rejeitou um pedido da norte-americana ICM Registry de autorização para distribuir endereços de sites com sufixo .xxx.

Mas membros do conselho da Icann vinham argumentando que, para manter a neutralidade na concessão dos nomes de domínio, deveria ser criado o .xxx, permitindo que sites com conteúdo sexualmente explícito utilizassem o sufixo de maneira voluntária.

“Caso os resultados de nossa análise sejam positivos, então iremos negociar contratos com a ICM (para o sufixo .xxx)”, disse o conselheiro-geral da Icann, John Jeffrey, a representantes do órgão em reunião em Bruxelas nesta quinta-feira (24).

Mais de US$ 3 mil são gastos com pornografia na internet a cada segundo.

A pornografia on-line é uma indústria gigante.

Segundo dados do grupo de estudos Internet Pornography Statistics, mais de US$ 3 mil são gastos com pornografia na internet a cada segundo, e a palavra “sex” (sexo, em inglês) é o termo mais buscado no mundo, representando 25% de todas as buscas na web.

Estima-se que existam cerca de 370 milhões de endereços pornográficos na internet, o que significa que .xxx pode se tornar o sufixo mais usado do mundo, talvez até superando o .com.

Alguns membros da indústria pornográfica, no entanto, são contrários à utilização do .xxx, afirmando que o sufixo facilita a censura e pode prejudicar os negócios.

A direita religiosa norte-americana também é contra a criação do sufixo por razões morais.

G1

Microsoft vai fechar rede de envio global de lixo virtual

A gigante de informática Microsoft vai tentar desligar uma rede de computadores que seria responsável pelo envio de mais de 1,5 bilhão de mensagens diárias de lixo eletrônico.

[ad#Retangulo – Anuncios – Esquerda]A empresa foi autorizada por um tribunal americano a fechar 277 domínios da internet que, segundo a Microsoft, seriam os controladores de uma rede botnet, termo que no jargão dos hackers, significa uma série de computadores infectados e controlados por vírus.

O fechamento dos domínios da botnet Waledac deve, segundo a empresa americana, liberar 90 mil computadores particulares que estariam enviando o chamado spam sem o conhecimento dos proprietários.

Um estudo recente da Microsoft descobriu que entre 3 e 21 de dezembro, “aproximadamente 651 milhões de e-mails de spam provenientes da Waledac foram enviados a contas de Hotmail“.

A Waledac seria uma das dez maiores botnets dos Estados Unidos.

Geralmente, as máquinas usadas neste tipo de rede pirata são infectadas por vírus ou chamados “vermes” sem que os seus proprietários saibam.

A Microsoft afirma que, embora na prática já tenha fechado a rede, milhares de computadores ainda podem estar infectados e sugere que internautas usem programas antivírus.

A decisão judicial foi parte de uma operação batizada de “b49”, que, de acordo com a Microsoft, durou meses e envolveu a agência de inteligência Shadowserver, a Universidade de Washington e a empresa de segurança cibernética Symantec.

A ordem do juiz de um tribunal em Alexandria, no estado americano de Virgínia, obriga a empresa Verisign, que administra o domínio .com a fechar os domínios envolvidos temporariamente.

A Microsoft classificou a decisão de “marco legal”.

“Essa ação cortou rápida e eficientemente o tráfego para a Waledac no nível do domínio registrado .com, comprometendo a conexão entre os centros de comando e controle da botnet e seus milhares de computadores zumbis em todo o mundo.”

BBC

Internet: Governo dos EUA assina acordo com órgão de domínios de internet

O governo norte-americano assinou um acordo com o órgão responsável pela delegação de domínios na internet , que prevê uma maior participação internacional no processo de nomeação de endereços na rede.

O departamento de Comércio dos Estados Unidos disse que fechou um acordo com a Internet Corporation for Assigned Names and Numbers (ICANN), que põe fim a uma série de acordos de curto prazo e dá estabilidade a empresas como Verisign e Go Daddy, que vendem domínios e administram extensões do tipo “.com”.

O acordo é assinado meses depois de a União Europeia ter dito que a ICANN deveria se desligar do governo norte-americano e se tornar de fato independente, para permitir uma maior participação global.

“O pedaço do bolo realmente está maior” para uma maior participação de outros governos, disse Larry Strickland, administrador do setor de telecomunicações e informação do departamento de Comércio, que assinou o acordo.

Antes de fechar o negócio, o governo dos EUA queria impor certas condições — em grande parte devido a questões apontadas por parlamentares– que devem ser acatadas antes que o acordo fosse assinado, incluindo a manutenção do órgão como organização não-lucrativa com sede nos EUA.

A ICANN foi aberta em 1998, operando sob o patrocínio do Departamento do Comércio, algo que gerou dúvidas entre alguns porque a Internet não seria contemplada como parte de uma comunidade global mais ampla. O órgão decide que endereços podem ser acrescentados aos domínios de topo (TLDs, na sigla em inglês), como o.com.

da Reuters