Para não roubarem os dados do seu HD(Hard Disc), só destruindo o disco rígido

disco-rigido-hd-winchester-hard-disc

Pelo menos até a presente data essa é a única forma de evitar que seus dados caiam nas mãos de meliantes.

Um estudo realizado por uma revista especializada britânica concluiu que a única forma de evitar que dados sejam roubados de um computador velho é destruindo fisicamente o seu disco rígido

Para verificar como é fácil recuperar informações pessoais de computadores velhos, a revista comprou oito discos rígidos oferecidos no website de leilões eBay, e descobriu que eles ainda continham informações confidenciais de seus proprietários originais.

Usando um software baixado de graça da internet, os pesquisadores da revista Which? Computing conseguiram recuperar 22 mil arquivos apagados, que incluíam imagens, música e planilhas.

A revista decidiu realizar a investigação depois de saber que ladrões especializados em dados pessoais estão rastreando locais onde se joga computadores fora e sites de leilão da internet.

Os potenciais fraudadores pagam especialistas em software para recuperar essas informações, e com elas obter cartões de crédito, pedir uma nova linha telefônica ou até uma cópia da certidão de nascimento da vítima.

A editora de Which? Computing, Sarah Kidner, advertiu que o risco de se tornar vítima deste tipo de crime na Grã-Bretanha é alto.

“Hoje PCs contém mais informações pessoais valiosas do que nunca pois as pessoas estão cada vez mais comprando online, usando sites de relacionamento e tirando fotos digitais.”[ad#Retangulo – Anuncios – Direita]

E este crime parece ultrapassar fronteiras. Segundo a revista, um de seus leitores, Alexander Skipwith, que mora em Londres, teve que pagar 100 libras (o equivalente a cerca de R$ 330) para conseguir de volta o seu disco rígido de um homem que dizia estar na Letônia.

O homem enviou um e-mail com uma foto pessoal de Alexander para ele para provar que tinha acesso à memória armazenada no disco rígido. A peça continha ainda extratos bancários e um pedido de empréstimo para a compra de imóvel, conta a revista.

De acordo com Which? Computing, Alexander disse que teve o disco original de seu computador substituído por outro pela firma que montou a máquina. Foi dito a ele que o disco tinha defeito, mas que teria as informações pessoais apagadas.

A revista diz ainda que não são apenas usuários domésticos que sofrem risco de ter seus dados roubados quando se desfazem da memória de seu computador de maneira descuidada.

A publicação diz ter recebido informações da polícia londrina de que discos rígidos de máquinas para se tirar dinheiro estão sendo compradas por falsários ansiosos por colocar a mão em detalhes bancários.
da BBC Brasil

Tecnologia: Primeiro HD

Quando você for reclamar da poca memória de 64GB do seu minúsculo Pen-Drive lembre-se desse mamute.
Primeiro disco rígido fabricado pela IBM em Setembro de 1956, para o computador 305 RAMAC.
O HDD da foto pesava uma tonelada e tinha espantosos 5MB de memória.


[ad#Retangulo – Anuncios – Duplo]

Design – Tecnologia – HD Externo

Produto vencedor do Prêmio 2011 Dyson James.
HD externo fácil de fixar na tampa do Notebook.
Dispensa conexões por fios, pois se comunica com o Notebook por WI-Fi.
Designer: Nicolas Diacre


[ad#Retangulo – Anuncios – Duplo]

Recuperando o HD – Dicas da rede

Essa eu comprovei. Não posso garantir que o resultado seja igual pra todo mundo. Testei eu um velho HD Seagate que produzia estalos e outros ruído ameaçadores. Retirei-o do PC, guardei por algum tempo pensando no que fazer para recuperar os dados. Até que descobri esta dica. Bem no alvo!

Falha no disco rígido

Se – ou quando, melhor dizendo – o disco rígido de seu PC quebrar e não puder ser lido, não seja tão rápido em jogá-lo fora. Deixe-o no freezer durante a noite.

“O truque é uma técnica de recuperação real e comprovada, mesmo sendo um último recurso, para alguns tipos de problemas de disco rígido que, de outra forma, seriam fatais,” escreve Fred Langa em seu site Windows Secrets.

Muitas falhas de disco rígido são causadas por peças gastas que não se alinham mais corretamente, fazendo com que o disco não consiga ler os dados. Baixar a temperatura do disco faz com que seus componentes internos de metal e plástico se contraiam levemente. Retirar o disco do freezer e retorná-lo à temperatura normal pode fazer com que essas peças se expandam novamente.

Isso pode ajudar a libertar peças grudadas, explica Langa, ou pelo menos deixar um componente elétrico com falha dentro das especificações tempo o suficiente para que você recupere seus dados essenciais.

Esse é o espírito das soluções folclóricas: eles podem ou não funcionar, mas o que temos a perder?

do G1

Tá sem espaço no HD? Western Digital lança disco rígido de 2TB

western-digital-wd_caviargreen_2tb-hd

Se você acha que seu HD já está ficando pequeno para seus filmes, séries de TV, fotos e músicas, que tal trocá-lo pelo novo HD da Western Digital, que tem 2TB de capacidade para você gravar absolutamente tudo o que quiser! Este novo HD de 3.5″ faz parte da linha Caviar Green e é baseado na tecnologia platter da Western Digital com densidade de 400 GB/in2 e um cache de 32MB.

À medida que a capacidade dos discos rígidos aumenta, a demanda de energia necessária para executar tais unidades aumenta também. As unidades WD Caviar Green permite que os clientes mais conscientes sobre o uso de energia criem sistemas com capacidades mais altas e com equilíbrio adequado entre desempenho do sistema, confiabilidade e conservação de energia.

Redução do consumo de energia – A WD reduziu o consumo de energia em até 40% em relação às unidades padrão, com sua combinação de tecnologias IntelliSeek™, NoTouch™ e IntelliPower™ da WD.
Continue lendo

Polícia e tecnologia – Abrir HD de Dantas é quase impossível

Para especialista, elevado número de senhas possíveis para abrir o disco rígido de Daniel Dantas torna a tarefa da Polícia Federal quase impossível.

Há cinco meses tentando abrir um disco rígido criptografado apreendido num apartamento do banqueiro Daniel Dantas, a Polícia Federal decidiu pedir ajuda a técnicos do FBI para tentar quebrar a proteção do disco.

Segundo a presidente da SecurStar no Brasil, Alessandra Godói, a criptografia usada no disco rígido de Dantas não é das mais sofisticadas que existem no mercado. Mesmo, assim, se o usuário do HD tiver criado uma senha muito complexa, a tarefa de abrir o computador é quase impossível.

“A chave de 128 bits (usada no HD Dantas) não é das mais complexas. Há casos de discos com estas chaves abertos por meio de técnicas como checar na memória do HD se a senha está ali armazenada. Ou então tentando combinações simples, como a chapa do carro do usuário, seu time de futebol preferido ou outras senhas mais ou menos óbvias. Se o usuário criar uma senha com muitos algarismos, usar sinais como asterisco e números, então, eu digo que é praticamente impossível abrir um HD assim”, diz Alessandra.

“Não vou dizer que é 100% impossível porque não sabemos que tecnologias vão ser inventadas no futuro. Mas, exceto se o usuário criar uma senha óbvia, não há como abrir um HD criptografado, explica a especialista.

Alessandra diz que criptografias do tipo AES256 são mais complexas e permitem tanta variedade de sinais como, por exemplo, um movimento de mouse. “Uma criptografia desse tipo levaria 10 milhões de anos para ser decifrada, mesmo se houvesse 10 mil PCs tentando ininterruptamente descobrir a senha”, afirma Alessandra.

A Polícia Federal sabe das dificuldades e, por isso, analisa pedir à Justiça americana que obrigue a companhia que desenvolveu o software de segurança a fornecer um método para abrir o HD. “Acho muito difícil a PF obter sucesso deste modo. Primeiro, porque as leis americanas protegem fortemente a privacidade. Segundo porque a senha não é criada pela empresa e sim pelo usuário, que o faz na privacidade de seu lar”, analisa Alessandra.

Criptografia sofre restrições no mundo

Segundo Alessandra, o poder das criptografias é tão grande que vários países proíbem usuários comuns de usá-las livremente. “Na França, por exemplo, o máximo que um usuário comum pode usar como criptografia é uma chave de 128 bits. Usar um nível de segurança superior a isto é crime. Só o Estado pode usar recursos mais sofisticados, como chaves do tipo AES256, restritas a informações militares por exemplo”, conta Alessandra.

Na China, o uso de criptografia sem autorização legal pode levar o usuário para a cadeia e até gerar uma condenação à morte, caso as informações criptografadas de modo ilegal sejam consideradas perigosas à soberania e os interesses do Estado chinês.
da Info