Cachoeira e a lista do ‘Deltaduto’

Os R$ 26 milhões repassados pela Delta Construções à empresa fantasma de Cachoeira beneficiaram Perillo, Demóstenes e outras 29 empresas e pessoas.

Com os R$ 26 milhões repassados pela sede nacional da Delta Construções à empresa fantasma Alberto & Pantoja, o contraventor Carlinhos Cachoeira financiou, com grandes valores, pelo menos 29 empresas e pessoas.

Saiba mais
Lista completa de pessoas e empresas beneficiadas pelo “Deltaduto”
Legislação sobre crime organizado patina no Congresso

A coluna teve acesso à lista do ‘Deltaduto’, com os maiores beneficiados, através de levantamento no inquérito da Operação Monte Carlo, da Polícia Federal.

Os R$ 26.250.152 foram repassados por duas contas da Delta em bancos no Centro do Rio, próximos à sede da construtora.

Uma da agência 3369 do Bradesco, na Av. Rio Branco, nº 116. Outra da agência 240 do HSBC, na Rua da Assembléia, nº 66.[ad#Retangulo – Anuncios – Direita]

No cruzamento de dados, fica evidente a triangulação do dinheiro para financiamento de campanhas de três políticos de Goiás em 2010, como já é notório.

A Midway Internacional Lab, que recebeu R$ 150 mil de Cachoeira, aparece como doadora de R$ 300 mil na campanha do deputado federal Sandes Junior (PP-GO) – em dois depósitos de R$ 150 mil.

O Auto Posto T 10 de Goiânia, beneficiário de R$ 98.720 da mesma conta da Alberto & Pantoja, repassou R$ 32.620,82 para o candidato a senador Demóstenes Torres (ex-DEM-GO).

Já a Rio Vermelho Distribuidora Ltda recebeu R$ 60 mil.

Ela surge na lista de doadores do governador Marconi Perillo (PSDB) com repasse de R$ 450 mil ao então candidato, com depósito em cheque.

Exceção à lista política, o escritório Morais Castilho e Brindeiro, do ex-procurador geral da República Geraldo Brindeiro, surge na lista como beneficiário de R$ 160 mil.

Geovani Pereira da Silva, o contador de Cachoeira, que está desaparecido, recebeu do chefe repasses de R$ 7.482.000 em sua conta.

O dinheiro foi confiado a ele, como guardião, pelo chefe da quadrilha.

A coluna pesquisou todos os nomes dessa lista no portal do TSE, na lista de doações de campanhas para outros políticos envolvidos direta ou indiretamente com Cachoeira, e nada encontrou.

Na lista (clique aqui para lê-la), preservamos o número de CPF e CNPJ dos citados. Estão todos no inquérito da PF.
LEANDRO MAZZINI/congressoemfoco,uol.br