R.I.P. Ennio Morricone – Era Uma Vez no Oeste

Ennio Morricone OMRI (Roma, 10 de novembro de 1928 – Roma, 6 de julho de 2020)foi um compositor, arranjador e maestro italiano que escreveu músicas em diversos estilos.

Morricone compôs mais de 400 partituras para cinema e televisão, além de mais de 100 obras clássicas. Sua trilha sonora para The Good, the Bad and the Ugly (1966) é considerada uma das trilhas sonoras mais influentes da história e foi introduzida no Grammy Hall of Fame. Sua filmografia inclui mais de 70 filmes premiados, todos os filmes de Sergio Leone desde A Fistful of Dollars, todos os filmes de Giuseppe Tornatore desde Cinema Paradiso, A Batalha de Argel, Animal Trilogy de Dario Argento, 1900, Exorcist II, Days of Heaven, vários filmes importantes no cinema francês, em particular a trilogia de comédia La Cage aux Folles I, II, III e Le Professionnel, bem como The Thing, The Mission, The Untouchables, Mission to Mars, Bugsy, Disclosure, In the Line of Fire, Bulworth, Ripley’s Game and The Hateful Eight.

Depois de tocar trompete em bandas de jazz na década de 1940, tornou-se arranjador de estúdio para a RCA Victor e, em 1955, começou a escrever fantasmas para cinema e teatro. Ao longo de sua carreira, compôs músicas para artistas como Paul Anka, Mina, Milva, Zucchero e Andrea Bocelli. De 1960 a 1975, Morricone ganhou fama internacional por compor músicas para Westerns e – com uma estimativa de 10 milhões de cópias vendidas – Era uma vez no Ocidente é uma das partituras mais vendidas em todo o mundo. De 1966 a 1980, ele foi um membro principal do Il Gruppo, um dos primeiros coletivos de compositores experimentais, e em 1969 foi co-fundador do Forum Music Village, um prestigiado estúdio de gravação.A partir da década de 1970, Morricone se destacou em Hollywood, compondo para prolíficos diretores americanos como Don Siegel, Mike Nichols, Brian De Palma, Barry Levinson, Oliver Stone, Warren Beatty, Warren Beatty, John Carpenter e Quentin Tarantino. Em 1977, ele compôs o tema oficial da Copa do Mundo da FIFA de 1978. Ele continuou a compor músicas para produções europeias, como Marco Polo, La piovra, Nostromo, Fateless, Karol e En mai, fais ce qu’il te plait. A música de Morricone foi reutilizada em séries de televisão, incluindo The Simpsons e The Sopranos, e em muitos filmes, incluindo Inglourious Basterds e Django Unchained. Ele também marcou sete Westerns por Sergio Corbucci, a duologia Ringo de Duccio Tessari e The Big Gundown de Sergio Sollima e Face to Face. Morricone trabalhou extensivamente para outros gêneros de filmes com diretores como Bernardo Bertolucci, Mauro Bolognini, Giuliano Montaldo, Roland Joffé, Roman Polanski e Henri Verneuil. Sua aclamada trilha sonora de The Mission (1986) foi certificada em ouro nos Estados Unidos. O álbum Yo-Yo Ma Plays Ennio Morricone ficou 105 semanas nos álbuns clássicos da Billboard.

As composições mais conhecidas de Morricone incluem “The Ecstasy of Gold”, “Se Telefonando”, “Man with a Harmonica”, “Here to You”, o single número 2 do Reino Unido “Chi Mai”, “Oboé de Gabriel” e “E Più Ti Penso “. Em 1971, ele recebeu uma “Targa d’Oro” por vendas mundiais de 22 milhões e até 2016 Morricone havia vendido mais de 70 milhões de registros em todo o mundo. Em 2007, ele recebeu o Óscar Honorário “por suas magníficas e multifacetadas contribuições à arte da música cinematográfica”. Ele foi indicado para mais seis Oscars. Em 2016, Morricone recebeu seu primeiro Oscar competitivo por sua pontuação no filme de Quentin Tarantino, The Hateful Eight, na época se tornando a pessoa mais velha a ganhar um Oscar competitivo. Suas outras realizações incluem três Grammy Awards, três Globos de Ouro, seis BAFTAs, dez David di Donatello, onze Nastro d’Argento, dois European Film Awards, o Golden Lion Honorary Award e o Polar Music Prize em 2010. Morricone influenciou muitos artistas de classificação de filmes para outros estilos e gêneros, incluindo Hans Zimmer, Danger Mouse, Dire Straits, Muse, Metallica, and Radiohead.

Vinicius de Moraes – Versos na tarde – 24/11/2014

Encomenda
Vinicius de Moraes¹

Desejo uma fotografia
como esta – o senhor vê?
como esta:
em que para sempre me ria
com um vestido de eterna festa.
Como tenho a testa sombria,
derrame luz na minha testa.
Deixe esta ruga, que me empresta
um certo ar de sabedoria.
Não meta fundos de floresta
Nem de arbitrária fantasia …
Não … Neste espaço que ainda resta,
ponha uma cadeira vazia.

¹Marcus Vinicius de Mello Moraes
* Rio de Janeiro, RJ. – 19 de Outubro 1913 d.C
+ Rio de Janeiro, RJ. 09 de Julho 1980 d.C

>> Biografia de Vinicius de Moraes


[ad name=”Retangulo – Anuncios – Duplo”]

Mário Lago – Versos na tarde – 11/10/2013

Devolve
Mário Lago¹

“Devolve toda a tranqüilidade
Toda a felicidade
Que eu te dei e que perdi
Devolve todos os sonhos loucos
Que eu construí aos poucos
E te ofereci
Devolve, eu peço, por favor,
Aquele imenso amor
Que nos teus braços esqueci
Devolve, que eu te devolvo ainda
Esta saudade infinda
Que eu tenho de ti.”

¹Mário Lago
* Rio de janeiro, RJ. – 26 de Novembro de 1911 d.C
+ Rio de janeiro, RJ. – 30 de Maio de 2002 d.C

>> Biografia de Mário Lago


[ad#Retangulo – Anuncios – Duplo]

Waldick Soriano – Versos na tarde – 01/10/2013

Tortura de amor
Waldick Soriano¹

Hoje que a noite está calma
E que minh’alma esperava por ti
Apareceste afinal
Torturando este ser que te adora
Volta fica comigo
Só mais uma noite
Quero viver junto a ti
Volta meu amor
Fica comigo não me desprezes
A noite é nossa
E o meu amor pertence a ti

Hoje eu quero paz
Quero ternura em nossas vidas
Quero viver por toda vida
Pensando em ti

¹Waldick Soriano
Cantor e compositor

* Caetité, Bahia, Brasil – 13 de Maio de 1933 d.C
+ Rio de Janeiro, Brasil, – 4 de Setembro de 2008 d.C

>> Biografia de Waldick Soriano


[ad#Retangulo – Anuncios – Duplo]

Billy Blanco – Versos na tarde

A Banca Do Distinto
Billy Blanco ¹

Não fala com pobre, não dá mão a preto
Não carrega embrulho
Pra que tanta pose, doutor
Pra que esse orgulho
A bruxa que é cega esbarra na gente
E a vida estanca
O enfarte lhe pega, doutor
E acaba essa banca
A vaidade é assim, põe o bobo no alto
E retira a escada
Mas fica por perto esperando sentada
Mais cedo ou mais tarde ele acaba no chão
Mais alto o coqueiro, maior é o tombo do coco afinal
Todo mundo é igual quando a vida termina
Com terra em cima e na horizontal

Não fala com pobre, não dá mão a preto
Não carrega embrulho
Pra que tanta pose, doutor
Pra que esse orgulho
A bruxa que é cega esbarra na gente
E a vida estanca
O enfarte lhe pega, doutor
E acaba essa banca
A vaidade é assim, põe o bobo no alto
E retira a escada
Mas fica por perto esperando sentada
Mais cedo ou mais tarde ele acaba no chão
Mais alto o coqueiro, maior é o tombo do coco afinal
Todo mundo é igual quando a vida termina
Com terra em cima e na horizontal

¹ William Blanco Abrunhosa Trindade
* Belém, PA. –  8 de maio de 1924 d.C
+ Rio de Janeiro, RJ.- 8 de julho de 2011 d.C
Arquiteto, músico, compositor e escritor brasileiro.

Atraído pela música desde criança, quando começou a compor tinha cuidado ao escrever seus sambas, com letras elaboradas, assuntos e composições das canções. Nos anos 1940, quando cursava o segundo ano de Engenharia, foi para São Paulo, para fazer o curso de Arquitetura, ingressou no Mackenzie College em 1946. Foi para o Rio de Janeiro, e estudou na Faculdade de Arquitetura e Belas Artes, em 1948. Graduou-se em 1950 em Arquitetura.[ad#Retangulo – Anuncios – Direita]

Tem um estilo próprio, descrevendo os acontecimentos a sua volta, com humor ou no gênero de exaltação, falando de amor e das desilusões; onde seu samba sincopado, que fugia da cadência vigente do estilo, passou a chamar a atenção dos cantores da época. Sua primeira composição foi “Pra Variar”, em 1951.

Nos anos 1950 e 1960 seus sucessos foram gravados por Dick Farney, Lúcio Alves, João Gilberto, Dolores Duran, Sílvio Caldas, Nora Ney, Jamelão, Elizeth Cardoso, Dóris Monteiro, Os Cariocas, Pery Ribeiro, Miltinho, Elis Regina e Hebe Camargo. Seu primeiro sucesso foi “Estatutos da Gafieira”, na voz de Inesita Barroso, em gravação da RCA Victor de 1954.

Entre seus parceiros estiveram Baden Powell, em “Samba Triste”, Tom Jobim, em “Sinfonia do Rio de Janeiro” (suíte popular em ritmo de samba, de 1960) e João Gilberto, em “Descendo o Morro” e “A Montanha/O Morro”, onde os dois doutores do asfalto homenageiam o samba de gente simples e de favela. Foram 56 parcerias com o violonista Sebastião Tapajós e com outros compositores, num total de quinhentas músicas, sendo que trezentas já gravadas.

Entre seus sucessos destacam-se “Sinfonia Paulistana”, “Tereza da Praia”, “O Morro”, “Estatuto da Gafieira”, “Mocinho Bonito”, “Samba Triste”, “Viva meu Samba”, “Samba de Morro”, “Pra Variar”, “Sinfonia do Rio de Janeiro” e “Canto Livre”. “Sinfonia do Rio de Janeiro” é composta por dez canções, escritas em parceria com Tom Jobim, em 1960. As canções que formam a suíte são “Hino ao Sol”, “Coisas do Dia”, “Matei-me no Trabalho”, “Zona Sul”, “Arpoador”, “Noites do Rio”, “A Montanha”, “O Morro”, “Descendo o Morro” e “Samba do Amanhã”.

“Sinfonia Paulistana” foi concluída em 1974, depois de dez anos de trabalho.

composta por quinze canções, cantadas por Elza Soares, Pery Ribeiro, Cláudia, Claudette Soares, Nadinho da Ilha, Miltinho e pelo coro do Teatro Municipal de São Paulo. A produção foi de Aloysio de Oliveira, com orquestra regida pelo maestro Chico de Moraes. As músicas se chamam “Louvação de Anchieta”, “Bartira”, “Monções”, “Tema de São Paulo”, “Capital do Tempo”, “O Dinheiro”, “Coisas da Noite”, “O Céu de São Paulo”, “Amanhecendo”, “O Tempo e a Hora”, “Viva o Camelô”, “Pro Esporte”, “São Paulo Jovem”, “Rua Augusta” e “Grande São Paulo”.

Em “Monções, destaca-se o carimbó épico, e em “O Tempo e a Hora”, a fusão entre bossa e pop. O jornal O Estado de S. Paulo definiu o refrão de “Tema de São Paulo” como o “que mais define o paulistano.

Desde o ano em que foi concluída a suíte, essa música, a mais famosa da suíte, faz parte da trilha sonora do Jornal da Manhã, noticiário matutino da Rádio Jovem Pan.

Depois de passar uma temporada no Forte de Copacabana durante a ditadura brasileira, Billy Blanco compôs “Canto Livre”.

Estava em plena atividade dedicando-se a música gospel, até sofrer um derrame e ser internado no Rio de Janeiro no segundo semestre de 2010.Apesar do quadro estável, em dezembro ainda não conseguia se comunicar oralmente.

Lula tira “sarro” em cima de Caetano Veloso

O presidente do Absurdistão, também conhecido como o apedeuta do agreste, durante um evento científico em São Paulo, devolveu a “boutade” a Caetano Veloso:

“A educação é condição sine qua non para o crescimento. Eu digo sine qua non porque, se o Caetano Veloso fala sine qua non, o Lula também pode falar”.

Os mais belos versos da MPB

“se seu corpo ficasse marcado
por lábios ou mão carinhosas…”

Mora na filosofia
Monsueto e A. Pessoa

Eu vou lhe dar a decisão
botei na balança e você não pesou
botei na peneira e você não passou
mora na filosofia
pra que rimar amor e dor
se seu corpo ficasse marcado
por lábios ou mão carinhosas
eu saberia, ora vai mulher…
à quantos você pertencia
não vou me preocupar em ver
teu caso não é de ver pra crer
tá na cara