Tópicos do dia – 27/02/2012

09:07:14
Empresa pagará R$ 150 mil por dispensa de motorista com HIV.
O Tribunal Superior do Trabalho (TST) decidiu condenar a empresa Vix Logística S.A. pela dispensa discriminatória de um ex-motorista portador do vírus HIV.
A Vix terá de pagar R$ 150 mil por danos morais aos herdeiros do trabalhador, que morreu em 2008.
Para a empresa, a dispensa ocorreu por necessidade de contenção de despesas, sem vínculo com a doença do ex-motorista.
Porém, o trabalhador foi demitido em 2004, sem justa causa.
Depois, mesmo doente e desempregado, ele conseguiu outro emprego em uma empresa de transportes em São Caetano do Sul (SP).
No TST, o ministro Walmir Oliveira da Costa entendeu que os precedentes da Corte quanto à configuração da dispensa arbitrária, por ato discriminatório, de empregado portador do vírus HIV amparam o acórdão regional e deu ganho de causa ao trabalhador.

09:08:42
Primavera Árabe poderá “florir” na China.
Não serei surpreendido se “a tal primavera árabe”, devidamente estimimulada pelo capital incomodado, “florir”, em breve, na China.

09:10:04
Autoridades ajudam a abafar episódio da advogada que a máfia infiltrou no governo.
Quando não é ex-esposa, é, digamos, “uma amiga”, mas a verdade sempre aflora, mesmo no poleiro de galinheiro em que está transformada essa infelicitada rés pública.
Veja/Leia mais -> aqui


[ad#Retangulo – Anuncios – Duplo]

Dilma Rousseff. Na equipe de transição tem até ‘sanguessuga’ e cabeleireira

Brasil: da série “só doi quando eu rio!”

No auge do poder da nobreza européia havia um serviçal encarregado de cuidar da peruca do senhor. Era o peruqueiro real.

Em Brasília, aquele despudorado e medíocre reino da fantasia, lugar onde está estabelecida uma ‘cultura’ de escárnio aos Tupiniquins, a feudal profissão se mantém.

E mais. Tal personagem absurda se senta à mesa para confabular, conjuntamente com outras singulares paripatéticas personagens, planos de ação do novo governo, que certamente, irão infernizar a vida dos depauperados habitantes dessa ‘Terra Brasilis’.
É de deixar qualquer um de cabelo em pé.
O Editor


A equipe que assessora o gabinete de transição montado ao redor de Dilma Rousseff conta, por ora, com 20 pessoas.

Gente indicada sob Dilma e nomeada pela Casa Civil de Lula. Os salários correm por conta da Viúva. Tudo previsto em lei.

Deve-se aos repórteres Breno Costa e Rubens Valente a descoberta de duas nomeações inusitadas. Constam de notícias veiculadas na Folha.

Numa, foi ao Diário Oficial o nome de Christiane Araújo de Oliveira.

Ela é ré num processo que tramita na Justiça Federal de Alagoas desde 2008.

O Ministério Público acusa Christiane de participação no escândalo dos sanguessugas –a máfia que inflava o valor de ambulâncias e distribuía propinas a congressistas.[ad#Retangulo – Anuncios – Direita]

Noutra nomeação, empurrou-se para dentro da equipe transitória de Dilma uma cabeleireira gaúcha: Márcia Westphalen.

Até o ano passado, ela dava expediente num salão de beleza em Porto Alegre.

Até ontem, mantinha na web um blog sobre o ofício.

Depois que Márcia foi alcançada pela reportagem, o blog dela saiu do ar.

Com o sítio, sumiram as lições da autora sobre “cabelos, tendências e dicas de visual”.

Advogada de formação, a ré Christiane exercerá, segundo informa o gabinete de Dilma, uma atribuição singela: “atender telefonemas e anotar recados”.

Pelo serviço, receberá do erário R$ 2.600 mensais até janeiro. Ouvida, Christiane disse que não sabia qual seria sua função.

Ela associa a nomeação ao apoio que seu pai, um pastor evangélico, deu à campanha de Dilma.

E quanto ao processo dos sanguessugas? Christiane diz que traz a “consciência tranquila”.

Acrescenta: “Não fui condenada em nada”.

A cabeleireira Márcia teve melhor sorte. Receberá salário mais generoso que o de Christiane: R$ 6.800.

O gabinete de Dilma esclarece que, também formada em Direito, Márica foi escolhida “pelo currículo”.

Diz-se que exercerá na transição a mesma função que desempenhou no comitê de campanha. Qual? Secretária trilingue.

Ouvida, Márcia contou que, na campanha de Dilma, sua função era outra: “apoio de produção”.

No time da transição, não sabe ainda o que fará. Ela se apressa em negar, porém, que vá exercer atividades relacionadas ao couro cabeludo.

É no mínimo curioso que ambas as nomeadas tenham declarado que desconheciam as funções para as quais foram nomeadas.

Por sorte, esse tipo de aviso é desnecessário nos casos de nomeação de ministros. Cada pasta traz na logomarca nomes autoexplicativos.

– Atualização: Christiane Araújo de Oliveira, uma das personagens mencionadas no texto acima pediu exoneração da equipe de transição de Dilma após a veiculação da notícia.

blog Josias de Souza