Veja a lista dos atos secretos do senado brasileiro

Comissão apontou existência de 663 atos secretos em 312 boletins.
Primeira-secretaria, responsável pela comissão, distribuiu CD com dados.

Ano Mês Boletins
1996 Dezembro 1348
1998 Março 1639, 1860, 1866
1999 Novembro 2017, 2021, 2040
2000 Junho 2141S1, 2142
  Julho 2143
  Setembro 2186
  Outubro 2211
2001 Julho 2357
  Agosto 2379, 2392
  Setembro 2400, 2406, 2408
  Outubro 2425, 2431
  Novembro 2438
  Dezembro 2463
2002 Janeiro 2469
  Março 2499, 2505
  Abril 2518
  Agosto 2593
  Outubro 2624
  Dezembro 2667
2003 Janeiro 2674, 2678, 2687, 2688, 2688S2, 2688S3
  Março 2708, 2709, 2716S2, 2716, 2717, 2718
  Abril 2728, 2732, 2737
  Maio 2751
  Agosto 2806
  Setembro 2842
  Outubro 2849, 2849S1, 2854, 2854S1
  Novembro 2878
  Dezembro 2909

 

Veja a lista completa no Blog Saiu no Jornal

O fim da era dos CDs?

Assim como os CDs “engoliram” os velhos bolachões de vinil e estes deram fim aos discos de 78rpm, estamo prestes a contemplar a extinção do CD com mídia de armazenamento de músicas. Os Players de MP3 e o surgimento de novas mídias, reduzem os Cds a ninchos de colecionadores.

Este pode ser o último ano do CD, diz Gartner

SÃO PAULO – A venda de CDs vem caindo rapidamente e não deve sobreviver até o próximo Natal.

Segundo o Gartner, a indústria da música precisa deixar de contar com a venda de CDs como sua principal fonte de faturamento. É preciso procurar alternativas para o seu modelo de negócios.

Alguns fatores evidenciam essa necessidade, aponta o Gartner. Em 2007 a distribuição de música online representaram 23% da distribuição de música nos Estados Unidos e 15% no restante do mundo. Já as vendas de CDs estão caindo rapidamente e não há indícios de que recuperarão sua fatia de mercado.

Outras evidências: a venda de música em mídias (CDs, DVDs e outros) perderam participação no faturamento dessa indústria, caindo de 91% em 2005 para 77% em 2007. Além disso, há sinais de que o espaço físico reservado nas lojas para os CDs vem caindo a cada ano.

Como alternativa o gartner sugere a distribuição aproveitando as redes sem fio e os telefones celulares. Em vez de gastar na produção das mídias, as gravadoras poderiam lançar as músicas em redes sociais ou meios online para verificar a possibilidade de sucesso. E depois, fazer a venda usando ferramentas online.

Silvia Balieiro – da Info CORPORATE