Eleições 2014: Ministério do Trabalho é cobiçado antro de corrupção

Coruptor Blog do MesquitaSob suspeita de desvios na pasta do Trabalho, PDT é paparicado por Dilma, Aécio e Eduardo 

Crivado de denúncias de corrupção no Ministério do Trabalho, o PDT é disputado com avidez por três dos principais atores da sucessão de 2014: Dilma Rousseff (PT), candidata à reeleição e seus prováveis antagonistas Aécio Neves (PSDB) e Eduardo Campos (PSB).
Nos três casos, a negociação é conduzida por Carlos Lupi, presidente do PDT e precursor dos desvios em série praticados na pasta do Trabalho desde a administração Lula.

Momentaneamente, o PDT tornou-se símbolo de um paradoxo que aprisiona Dilma, Aécio e Eduardo. Eles se vendem como representantes do avanço.

Porém, em troca de alguns minutos adicionais de propaganda no rádio e na tevê, agarram-se ao atraso. Numa hora em que a rua procura um líder capaz de fixar padrões morais, a reedição de alianças extravagantes compromete a capacidade dos seus cultores de se firmar como lideranças éticas. Daí, em parte, a ascensão muda de Marina Silva.

No dia 21 de agosto, uma quarta-feira, Carlos Lupi jantou com Aécio Neves. Na semana anterior, dividira a mesa de refeições com Eduardo Campos. Em 23 de agosto, reuniu a cúpula do PDT para debater a conjuntura. O partido frequenta o balcão de 2014 com 44 segundos de tempo de propaganda. E Lupi não faz segredo de que pretende valorizar a mercadoria. Embora mande e, sobretudo, desmande no Ministério do Trabalho, esquiva-se de fechar com Dilma.[ad#Retangulo – Anuncios – Direita]

“Fomos os primeiros a declarar o apoio a Dilma em 2010. E isso nos deu a responsabilidade de estar hoje no governo”, disse o cacique do PDT há 18 dias. “O momento é outro hoje. E ainda não definimos. Queremos avançar mais pela esquerda, questionamos a política na área econômica. Não estou dizendo que não está bom, mas tem que avançar mais.”

Lupi prosseguiu: “Aécio é meu amigo pessoal, meu problema é com o PSDB. Não dá para ter um caminho mais à direita do que temos hoje.” E arrematou: “Somos aliados do Eduardo Campos, ele está no nosso campo de ação. Tenho mantido contado com ele, tenho simpatia por ele, e ele ainda não definiu. Só vamos definir isso em 2014.” O lero-lero ideológico de Lupi não orna com a cena ao redor.

Alçado à poltrona de ministro do Trabalho por Lula, em 2007, Lupi escorregou suavemente para dentro da gestão de continuidade de Dilma Rousseff. Junto com ele, continuaram as más práticas que rendem escândalos até hoje. Na pseudofaxina de 2011, Lupi perdeu apenas o trono ministerial, não a pose. Estimados em R$ 400 milhões, os desvios que ganharam as manchetes nesta segunda-feira (9) começaram em 2008, ainda sob Lupi, informa a PF. Entre os investigados está Paulo Roberto Pinto, o segundo do ministério –homem de Lupi.

Se a sensibilidade auditiva fosse transferida para o nariz, qualquer um que ouvisse o palavrório de Lupi —“queremos avançar mais pela esquerda, não dá para ter um caminho mais à direita”— sentiria um mau cheiro insuportável. Mas Dilma o recebe no Planalto. Aécio janta com ele. Eduardo Campos, em privado, já manifestou até a disposição de retirar dos quadros do PDT de Lupi o vice da futura chapa presidencial do PSB.

Quer dizer: o Brasil, que nunca teve políticos de direita, perde também os que se diziam de esquerda. Restou uma geleia partidária amorfa, isotrópica, inefável. O pote não contém apenas PDT. Misturam-se nele letrinhas para todos os desgostos. Seja quem for o próximo presidente, do PT, do PSDB ou do PSB, estarão de prontidão para garantir a governabilidade legendas como o PMDB de José Sarney e Renan Calheiros, o PTB de Roberto Jefferson, o PP de Paulo Maluf, o PR de Valdemar Costa Neto

Houve um tempo em que muitos tinham a ilusão de que um novo presidente menos inepto que José Sarney, mais honesto que Fernando Collor, menos transitório que Itamar Franco, mais firme que Fernando Henrique Cardoso e menos cego que Lula teria autoridade para deter a sanha fisiológica dos eternos aliados. Hoje, ainda não se sabe quem será o próximo presidente. Mas sabe-se que, mantido o modelo, o novo presidente será presidido pelas circunstâncias desde a campanha.

 

Blog Josias de Souza

Anúncios fantasmas; O governo faz e o povo paga a conta

Quem se comunica também pode se “trumbicar”.

Está na hora da justiça cobrar esses dinheiros que somem pelo ralo, e nunca deságuam no bolso do contribuinte.

Somente os maganos dessa infelicitada república é que findam com os bolsos recheados com a gatunagem da corrupção.

Na Taba dos Tupiniquins, no fundo do poço ainda há um porão a ser descido.
José Mesquita – Editor


O estranho caso dos anúncios que o Planalto pagou em cinco jornais de São Paulo que não existem.

Interessantes as denúncias da Folha de S. Paulo sobre o pagamento de propaganda em publicações fictícias, vinculadas à Laujar Empresa Jornalística S/C Ltda, com sede registrada num imóvel fechado e vazio, em São Bernardo do Campo (SP).

Essa empresa aparece em 11º lugar num ranking de 1.132 firmas que, desde o início do governo Dilma, receberam recursos públicos para veicular propaganda do governo em diários impressos.

Embora esteja à frente de empresas responsáveis por publicações de ampla circulação no país, como o gaúcho “Zero Hora” e o carioca “O Dia”, a Laujar não publica nenhum jornal.

Os títulos da companhia beneficiados pela Presidência inexistem em bancas do ABC Paulista, onde supostamente são editados, não estão cadastrados em nenhum órgão e não aparecem em cadastros municipais de jornais aptos a fazer publicidade de prefeituras.[ad#Retangulo – Anuncios – Direita]

Além disso, exemplares enviados à Presidência como provas da existência das publicações foram forjados.

A Laujar mandou as supostas edições do dia 15 de março de 2011 do “Jornal do ABC Paulista”, “O Dia de Guarulhos”, “Gazeta de Osasco”, “Diário de Cubatão” e “O Paulistano”.

Todas elas têm os mesmos textos, sendo que uma das “reportagens” contém declarações do então ministro do Trabalho, Carlos Lupi, dadas no próprio dia 15, o que torna impossível a impressão ter ocorrido na data informada nos jornais.

Também há registros de pagamentos efetuados pela Caixa Econômica à empresa, vejam só como é fácil tirar dinheiro do governo, quando se sabe o caminho das pedras…

O mais interessante da matéria, porém, foi o dono da Laujar, Wilson Nascimento, dizer que o dinheiro que recebeu é menor do que o informado pelo governo.

Portanto, faltou denunciar o cúmplice no esquema do Planalto, que ficaria com a diferença.
Carlos Newton/Tribuna da Imprensa 

Política do PT: Contribuinte paga a cooptação

A ampla e eclética aliança político-partidária instituída por Lula a partir de 2003, no início de seus oito anos de poder, foi sedimentada com a farta distribuição de postos no primeiro escalão entre políticos da base parlamentar do governo.

Foram dois mandatos sem grandes sustos no Congresso, com exceção do fim da CPMF, no Senado, no final de 2007, quando ficou provado que, apesar de todo o controle exercido pelo Planalto sobre o Legislativo, existia espaço para o êxito de pressões legítimas da sociedade.

O grupo que chegou com Lula ao Planalto também colocou em prática um plano de manipulação da máquina e recursos públicos para retribuir apoio a aliados e como instrumento de cooptação.

Organizações como o MST (sem-terra) e similares passaram a ter grande influência no Ministério do Desenvolvimento Agrário e Incra, num estranho modelo de “privatização” de segmentos do Estado. O mesmo aconteceu no Ministério do Trabalho, cedido a sindicatos.

Preparou-se o terreno para desvios de vários tipos.

Não são poucos os casos de evidências do gasto de verbas públicas para financiar até mesmo manifestações violentas de sem-terra.[ad#Retangulo – Anuncios – Direita]

No caso do Trabalho, há informações consistentes sobre a montagem de uma indústria de criação de sindicatos na gestão do pedetista Carlos Lupi, forma de se ter acesso ao dinheiro fácil do imposto sindical.

O próprio Lula, no final do segundo mandato, reconheceu oficialmente as centrais sindicais, permitindo-lhes também receber parte desses recursos, indo contra o que pregara a partir do final da década de 70, quando era a favor da desmontagem do aparato varguista na área trabalhista. Faria o contrário décadas depois.

Se o MST manteve seus programas de invasões de propriedades privadas — apenas suspensas em épocas eleitorais, para não prejudicar os amigos no poder —, os sindicatos foram mais compreensivos com o governo.

Até mesmo as manifestações em 1 de Maio terminaram substituídas por shows.

Os estudantes foram outro grupo domesticado com dinheiro público.

A União Nacional dos Estudantes (UNE), outrora aguerrida, deixou de protestar contra a corrupção no plano nacional, por exemplo. A não ser quando o alvo é algum adversário do PT/Lula.

Agora, como noticiado sexta pelo GLOBO, surgem provas de malversação de dinheiro do contribuinte distribuído com generosidade entre organizações de estudantes.

Além da UNE, a União Municipal dos Estudantes Secundaristas (Umes), de São Paulo.

No final do mês passado, o procurador do Ministério Público junto ao Tribunal de Contas da União, Marinus Marsico, pediu ao TCU que examine a prestação de contas das duas entidades sobre o gasto de R$ 8 milhões recebidos, via convênios, dos ministérios da Cultura, Saúde, Esporte e Turismo.

O próprio MP encontrou notas fiscais frias entre as apresentadas pela UNE para justificar a despesa de R$ 2,8 milhões feita num convênio com o Ministério da Saúde.

Ao Ministério da Cultura foram encaminhadas notas de despesas sem qualquer ligação com a finalidade do convênio, como bebidas alcoólicas.

Há evidências, também, de leniência de ministérios na cobrança de prestação de contas.

Começa a ser contabilizado quanto o contribuinte pagou para Lula governar em paz.
O Globo

Dilma, cadê a Faxineira Ética?

Pede-se notícias.
Pede-se a quem souber do paradeiro da Faxineira Ética que avise à sua residência no Palácio do Alvorada, sem número, Brasília.

Previna urgente mãe solitária e erma de seus cuidados.

Pede-se a quem avistar a Faxineira Ética, de 64 anos, que apareça, que escreva, que mande dizer onde está. Faz tanta falta!

Foi outro dia.

Numa sexta-feira, a revista VEJA começou a circular com uma reportagem sobre falcatruas no Ministério do Transporte.

Dizia que tudo ali parecia ter apodrecido.

E dava conta da descompostura aplicada pela presidente Dilma Rousseff naquela mesma semana em poderosos chefões do ministério.

A Faxineira Ética nasceu no dia seguinte.
Antes que os primeiros exemplares da revista desembarcassem em Brasília, Dilma cortou cabeças de funcionários graduados do ministério.

[ad#Retangulo – Anuncios – Esquerda]Poupou o ministro, que 10 dias depois pediu demissão. No prazo de uma ou duas semanas rolaram mais de 20 cabeças.

Dilma fechou seu primeiro ano de governo com a marca histórica de ter demitido um ministro de Estado a cada dois meses – e todos por suspeita de corrupção.

A saber: Antonio Palocci (Casa Civil), Alfredo Nascimento (Transportes), Pedro Novais (Turismo), Orlando Silva (Esporte) e Carlos Lupi (Trabalho).

É verdade que nenhum deles até hoje foi punido e sequer processado por improbidade administrativa. Mas quem esperava que fosse? Neste país?

Alguém foi punido pela tragédia que matou mais de mil pessoas na região serrana do Rio de Janeiro no início de 2011? Quem autorizou ali construções em locais sujeitos a deslocamentos de terra?

Sob pressão dos seus aliados, a faxineira ética ensaiou sair de cena antes de decepar a última cabeça – a de Lupi. O ministro pintou, bordou, desafiou-a e ela engoliu tudo calada.

Foi grosso: “Duvido que ela me tire. Nem na reforma ministerial”. Vulgar: “Sou osso duro de roer”. E por fim, cafajeste: “Desculpe se fui agressivo. Dilma, eu te amo”.

Lupi só rodou porque a Comissão de Ética da presidência da República aconselhou Dilma a demiti-lo. Para não ficar mal na foto, ela aceitou o conselho, mas prometeu furiosa a seus auxiliares mais próximos que nunca mais a Comissão terá peito para fazê-la passar por outro vexame como aquele. A conferir em breve.

A aposentadoria da Faxineira Ética data do início de dezembro último quando O GLOBO denunciou que Fernando Pimentel, ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, havia embolsado algo como R$ 2 milhões entre 2009 e 2010 por consultorias que nunca prestou.

Pimentel é o queridinho de Dilma e seu ex-companheiro de luta armada contra a ditadura de 64. Para não demiti-lo, Dilma engoliu o que disse: “Meu governo não tem compromisso com práticas inadequadas, com malfeitos e com corrupção. É tolerância zero”. E deu forma a uma nova teoria que pode ser resumida assim:

– O que estão acusando [Pimentel], não tem nada a ver com meu governo.

Dito de outra forma: se algum ato de bandidagem macula seu passado, você não está impedido de fazer parte do governo de Dilma. Estará se tiver cometido o ato no exercício do cargo que Dilma lhe deu. De acordo?

A teoria de Dilma espera o endosso da Comissão de Ética da presidência.

Você ouviu alguma palavra de Dilma sobre a compra milionária e irregular de lanchas pelo Ministério da Pesca que depois constrangeu o vendedor a doar uma boa grana para o PT de Santa Catarina?

Ou você a ouviu falar em varrer o ministério da Saúde só por que um assessor de mais de 20 anos do ministro foi subornado por deputados cariocas?

O escândalo protagonizado pelo ex-bicheiro Carlinhos Cachoeira e o senador Demóstenes Torres (DEM-GO) envolve, pelo menos, mais meia dúzia de deputados federais, empresários e um governador.

A oposição quer uma CPI para ir fundo no lamaçal – logo ela que tinha em Demóstenes uma de suas estrelas.

Dilma teme que a CPI desestabilize sua base de sustentação dentro do Congresso. Teme que uma eventual cassação do mandasto de Demóstenes também desestabilize.

Melhor não mexer com essas coisas. Quanto à faxineira desaparecida…

Suplica-se ao repórter-amador, ao caixeiro, ao mata-mosquitos, ao transeunte, até mesmo aos senhores ricos, que tenham pena da mãe aflita e lhe restituam a filha volatilizada ou pelo menos dêem informações. É de média altura, gordinha, morena, dentes alvos, vestidinho simples. Sumida há mais de três meses.

PS: Algumas passagens deste artigo foram claramente plagiadas do poema “Desaparecimento de Luísa Porto”, de Carlos Drummond de Andrade.
por Ricardo Noblat 

Tópicos do dia – 04/02/2012

09:18:34
Dilma, demissão de ministros e Recursos Humanos
Fosse gerente de RH em uma empresa qualquer da iniciativa privada, Dona Dilma já teria sido demitida por incompetência na seleção e recrutamento de gerentes. Ou não?
Palocci, Alfredo Nascimento, Wagner Rossi, Pedro Novais, Orlando Silva, Carlos Lupi, Mário Negromonte, e um Aguinaldo a caminho da lixeira da pretensa faxineira.

09:27:32
Dilma, Cuba e Guantánamo
Impressiona, na visita de Dilma a Cuba, como algumas pessoas notáveis aqui no Brasil ainda não aceitam, a esta altura do campeonato, a democracia como um valor universal. Todo mundo tem o direito de ir e vir, divergir, de se reunir, protestar ou militar num partido que não seja o único do pedaço. Além disso, o desrespeito aos direitos humanos é hediondo, seja em Guantânamo ou Havana.
Ancelmo Gois

09:47:10
Hackers e Bancos
Sistema de pagamentos da Redecard falha em dia de ataque hacker
O sistema de pagamentos da credenciadora de cartões Redecard ficou fora do ar durante parte desta sexta-feira, 3, causando transtornos e prejuízos, segundo relatos de empresas e consumidores. O dia foi marcado por mais uma onda de ataques cibernéticos a sites de instituições financeiras e entidades, todos de autoria do grupo Anonymous.

A Redecard admite que sua página na internet apresentou intermitência ao longo do dia “em função de uma sobrecarga de acessos”, mas nega que o fato tenha interferido na funcionalidade das transações da rede de pagamentos. A credenciadora afirma ainda que não houve o comprometimento da segurança dos dados dos clientes.

O site de compras coletivas Peixe Urbano foi uma das empresas afetadas. Em nota, a companhia diz que o link para pagamento via Redecard ficou intermitente nesta sexta-feira. O impacto, segundo o site, foi minimizado pelo fato de os usuários terem outras formas de transação disponíveis.

Durante a tarde, o Twitter do Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC) do Peixe Urbano orientou os clientes a usarem outros meios de pagamento, uma vez que “toda a Redecard está fora do ar”, segundo escreveu a empresa no microblog.
Bianca Pinto Lima/Estadão.com.br 


[ad#Retangulo – Anuncios – Duplo]

Tópicos do dia – 10/01/2012

08:04:36
Carlos Lupi volta ao comando do PDT
Quando você pensa que a desfaçatez chegou a limiote, há sempre um fato desqualificado para abalar o pouco de esperança que resta aos Tupiniquins.
Não há o que fazer. A política brasileira continua habitando a sarjeta.
Argh!

08:11:40
Ahmadinejad faz tour pelo atraso na América Latina
Pra tristeza do ‘aspone’ Marco Aurélio ‘Top-Top’ Garcia, Mahmoud Ahmadinejad visita o circuito do atraso: Venezuela, Nicarágua, Cuba e Equador.
Brasil ficou fora da périplo do iraniano.

08:29:01
Censura, jamais!
Projeto de deputada Luiza Maia do PT, proibe contratação de artistas que cantam músicas que desvalorizam a mulher.

A senhora em questão, a nobre deputada, parece não entender o que lê. Senhora, a CF veda qualquer tipo de censura. Para os excessos e para os que se sentirem caluniados, difados e injuriados existe legislação contemplando a vítima, no Código Civil e Código Penal. Impressiona como a máxima “nada mais conservador que um liberal no poder”, adere à esquerda.
Ps. Recentemente uma música, vá lá, não é bem “música”, cantada pelo Tiririca, gravada através da Sony, com conotações racistas, teve sentença condenatória, obrigando a gravadora a pagar indenização de 1,2 milhão de reais à organizações não governamentais que lutam contra o racismo.


[ad#Retangulo – Anuncios – Duplo]

Tópicos do dia – 27/12/2011

17:45:50
Carlos Lupi: “ô omi trabalhador”.
Carlos Lupi o “amoroso” ex-ministro do Trabalho(sic) demitido, entre outras peraltices, por causa da descoberta de seus múltiplos cargos públicos, ainda está pindurado nas tetas da depauperada república como conselheiro do BNDES, pago com o seu, o meu, o nosso sofrido guaraminguá. Putz!


[#adRetangulo – Anuncios – Duplo]

Tópicos do dia – 06/12/2011

08:05:23
Frigideira no fogo.

Fernando Pimentel pode ser a pimenta para esquentar a fritura.

08:30:39
Foxconn começa a produzir iPhones no Brasil dia 16
O ministro Aloizio Mercadante (Ciência e Tecnologia) afirmou nesta segunda (5) que ainda não há estimativa para que a empresa Foxconn comece a produzir os tablets iPad, da Apple, no Brasil. Segundo o ministro, enquanto não houver produção local, os aparelhos continuarão a ser tributados em 36 por cento. Porém adiantou que o iPhone começará a ser produzido dia 16 de dezembro. A Foxconn informou em outubro que pretende investir aproximadamente US$ 12 bilhões no país, mas Mercadante diz que há uma grande dificuldade de encontrar um sócio brasileiro capacitado.
O Estado de S.Paulo

08:40:07
Brasil condena Irã
Finalmente o Brasil, Ministro Antonio Patriota, condenou o Irã pela invasão à embaixada inglesa em Teerã.

09:03:58
Calma, OAB!
A atual administração da OAB-RJ decidiu executar advogados inadimplentes.
Mesmo os inscritos que não advogam há 30 anos ou nunca advogaram são réus. Está cobrando, na Justiça Federal, anualidades em atraso de “dívidas” que podem passar de R$ 10 mil.
O Globo/Ancelmo Gois

14:58:05
Brasil: da série “só rindo”!
O “Pinoquiano” ex-ministro – realmente muito trabalhador, pois tinha dois empregos – com a veleidade dos que se julgam imprescindíveis à humanidade – acusou, as nunca esquecidas “forças ocultas”, à imprensa, e aos inimigos políticos, a responsabilidade por sua (dele) desfenestração do cargo.
Lembrei o sempre sábio, modaz e implacável, Millor Fernandes:
“O Brasil é o único país em que os ratos conseguem botar a culpa no queijo.” 

15:27:19
Brasil: da série “O tamanho do buraco”!
http://www.youtube.com/watch?v=3cFmVuXmO9M

15:34:58
Brasil: da série “O Tamanho do buraco”!
Na Folha de São Paulo: Capital e preservação ambiental jamais caminharão na mesma direção.
1. Capital e preservação ambiental jamais caminharão na mesma direção.
2. Considero, pela força comprovada do capital, que a batalha está perdida.


[ad#Retangulo – Anuncios – Duplo]

Tópicos do dia – 04/12/2012

08:30:39
A face oculta do alcoolismo dos famosos
E o álcool continua não sendo considerado droga. Expoentes formadores de opinião continuam a propagandear – vendendo a alma, coração e mentes – e criminosamente incentivando os jovens ao consumo, com imagens sedutoras. Digo pro meu neto, 10 anos, que a cerveja que está no comercial da TV, não o transformará naquele personagem saudável, esportivo e bonito. O que o aguarda é o poço sem fundo do alcoolismo e da desagregação familiar.

09:15:45
A praga do politicamente correto, avança.
Ouço entrevista na TV na qual representante de um, argh!, Ong chama anão de “pessoa verticalmente prejudicada”.
Se vero, uma estupidez. Se piada, de profundo mau gosto e extremamente preconceituosa.

09:33:49
Imprensa, alcoolismo e verbas publicitárias.
A imprensa, dependente das gordas verbas publicitárias dos fabricantes da droga etílica, está dando ênfase a morte do Sócrates como sendo “infecção generalizada” ou “cirrose” minimizado o alcoolismo do grande jogador. Já vi jornais, virtuais, impressos e televisivos, dizendo que a infecção que matou o jogador foi oriunda de um “strogonoff” contaminado.
Putz!

19:26:48
Lupi? Foi-se!
Um a menos!
Carlos Lupi foi desfenestrado por Gepetto.
O mentiroso, é o 7º a sair. Sete não é o número do mentiroso?


[ad#Retangulo – Anuncios – Duplo]

Tópicos do dia – 02/12/2011

08:46:35
A Globo tenta falar às classes C e D.
Já dispensou o Renato “Maischato” do bom dia Brasil – o enólogo jornalista está ‘exilado’ como corrspondente em Londres, onde pode exercer o esnobismo que lhe é peculiar – e agora despacha a também esnobe Fátima Bernardes para o horário matinal, próprio às “Anamarias”.

08:57:24
Brasil: da série “perguntar não ofende”.
Precisava de uma “Comissão de Ética” para recomendar a demissão do Carlos Lupi?
Como Dona Dilma não o demitiu, e o Pinóquio basofiava que só sairia do cargo à bala, então significa que a tal comissão não tem “bala na agulha” para desfenestrar o trabalhoso “sinistro” e fantasmagórico funcionário da Câmara Federal?

10:12:24
Brasil, Irã e a Embaixada Britânica
Não existe ação mais grave nas relações entre nações que a violação de uma embaixada. É fato intolerável e fere normas e tratados intenacionais unanimes. Nem nas épocas mais bárbaras era aceito. No entanto, mais uma vez, o Brasil, saliente-se, nessas eras petistas, coloca o rabo entre as pernas, e não abriu a boquirrota e servil boquinha para protestar contra o Irã, no condenável epsódio da invasão da Embaixada Britânica no feudo dos Aiatolás.

10:19:11
A falta que uma vírgula faz!
Manchete do jornal Hora da Notícia:
“Fátima abandona Bonner e vai fazer programa.”
Uáu

11:02:49
Nada mais apropriado ao espírito natalino:
“O propósito do marketing é tornar a venda supérflua”.
Peter Drucker

13:27:32
FHC, Lula, Dilma e entulhos.
De FHC, à boca pequena, após uma palestra em Buenos Aires:
“Nos anos 1980, falávamos da necessidade de nos livrarmos do entulho da ditadura. Agora, torcemos para que Dilma se livre do entulho deixado pelo Lula, a começar por alguns ministros.”


[ad#Retangulo – Anuncios – Duplo]