Publicidade – Campanhas Institucionais

Publicidade
Não Compre Lembranças de Animais Exóticos

clique na imagem para ampliar


[ad#Retangulo – Anuncios – Duplo]

Publicidade – Direito dos animais

“Keep wildlife in the Wild” , algo como ‘mantenha a vida selvagem selvagem’, é o tema da criativa e instigante campanha publicitária da agência WCRS.

A mensagem subliminar é uma analogia com o fato de termos noção da quantidade de seres humanos, que por falta de recursos ou alternativas, vivem nas ruas.

A campanha, da Born Free, aproveita esse fato e coloca animais selvagens, sem lar, em cenários urbanos.

A mensagem é chocar e sensibilizar para a realidade de que existem, também, milhares de animais nestas circunstâncias dos “sem teto”.

São animais sem o poder de escolha uma vez que alguém, ou toso nos, os humanos, de uma forma ou de outra contribuímos para a destruição de seu Habitats Naturais.


[ad#Retangulo – Anuncios – Duplo]

Haiti: usuários de celulares arrecadaram 5 milhões de dólares para as vítimas do terremoto

Usuários de celular doam US$ 5 mi para Haiti

NOVA YORK — Usuários de celulares dos EUA contribuiram com mais de US$ 5 milhões para a Cruz Vermelha, em auxílio às vítimas do terremoto que arrasou o Haiti.

[ad#Retangulo – Anuncios – Esquerda]A resposta à catástrofe resultou na maior doação via celulares da história, de acordo com Jenifer Snyder, diretora executiva da mGive Foundation, grupo sem fins lucrativos que está trabalhando com a Cruz Vermelha e operadoras de celulares para canalizar as doações.

Para doar à Cruz Vermelha, os usuários de celulares dos EUA enviam a palavra “Haiti” para o número 90999. Snyder afirma que entram US$ 200 mil por hora.

O porta-voz da Cruz Vermelha Roger Lowe afirmou, no entanto, que a maior parte das doações está chegando via internet.

Info Online

Crack vício rápido e mortal. Uma questão de saúde pública

Como é de conhecimento de todos, o Brasil enfrenta um sério problema com o crack. Essa é uma droga perigosa que afeta cada vez mais os jovens brasileiros. E para tentar mudar esta realidade, o Ministério da Saúde lançou, em 16 de dezembro, uma campanha inédita de conscientização. Porém, por se tratar de um problema de saúde pública é fundamental a participação de todos.