CNI reafirma compromisso com os trabalhadores

Diante da nota publicada por esse blog, reproduzindo matéria publicada no Blog do Noblat, sobre problemas com funcionários terceirizados, a Confederação Nacional da Indústria (CNI) esclarece que:

Os mensageiros citados na nota publicada no Blog do Noblat em 11 de novembro de 2010 são funcionários da empresa BSI do Brasil.

A empresa, de abrangência nacional, que tem sede em Brasília e filiais em 11 estados, foi contratada pela CNI por licitação, da qual participaram nove companhias do setor.

O contrato com a BSI, que prevê a prestação de serviços de mensageiros, foi assinado em 8 de março de 2007. Tal contrato vinha sendo cumprido satisfatoriamente de tal forma que teve aditivos anuais.

Lamentavelmente, no início desta semana, a CNI foi surpreendida com a notícia de que a BSI do Brasil não havia feito o pagamento dos salários de outubro dos funcionários alocados para prestação de serviços na entidade no quinto dia útil do mês subsequente, como está previsto no contrato.

Desde então, a CNI tentou buscar uma solução junto à contratada. A situação se agravou ainda mais nesta quinta-feira, 11 de novembro, quando, inesperadamente, a BSI pediu o rompimento unilateral do contrato que mantinha com a CNI.

Diante disso, a CNI garantirá ainda nesta sexta-feira, 12 de novembro, uma parte do salário atrasado aos copeiros e mensageiros. A outra parte será paga na próxima semana.

Além disso, está providenciando a contratação desses trabalhadores por intermédio de outros prestadores de serviços e tomando todas as providências necessárias para que os trabalhadores não sejam prejudicados.

Em meio a esta lastimável situação, a CNI reafirma seu compromisso com todos os trabalhadores porque considera que o talento humano é o maior patrimônio das empresas.

A indústria brasileira tem a convicção de que a valorização dos trabalhadores é decisiva para elevar a produtividade das empresas, garantir a competitividade do produto nacional e promover o bem-estar social.