Tópicos do dia – 08/03/2012

08:53:44
Gol! Copa do Mundo de 2014
Juca Kfouri, na Rádio CBN: “vamos para uma Copa com Dilma, que não fala com o presidente da CBF, Ricardo Teixeira, que não fala com o presidente da Fifa, Joseph Blatter, cujo secretário-geral, Jérôme Valcke, não fala com o ministro do Esporte, Aldo Rebelo.”

08:56:18
Câmara dos Deputados aprova mudanças na Lei Maria da Penha
O artigo reconhece o namoro como uma relação íntima de afeto. Se a proposta passar pelo Senado, casos de violência praticados por namorados também passam a ser julgados com mais rigor.

09:05:39
Sedes da Copa do Mundo de 2014
Pelo não andar da carruagem, no Ceará, obras da copa só o Castelão e pintura de meio fio.
Racional era não ter copa onde a saúde pública é uma doença crônica e a educação pública uma lição mal feita.

09:17:17
As conseqüência do uso intensivo do controle remoto.
Amaury Jr. apresentando seu programa sobre a Turquia, disparou essa pérola à entrevistada: você já é meia turca? Ao que ela respondeu: sim sou meio turca.

09:23:58
Mais um discípulo de buenices na TV brasileira.
Agora mesmo repórter, na TV diz: “…no sobrevoo aqui de cima…”
Fico imaginando um sobrevoo subterrâneo.

10:15:57
Galvão Bueno a caminho da fritura. Ave!
O gramático locutor se recusou a ser apresentador dos eventos das Olimpíadas de Londres através do Canal Esport TV, que faz parte do sistema Globo. Por menos, rodaram Armando Nogueira, Boni, Evandro Carlos de Andrade, Ricardo Boechat, e, não completamente, Fátima Bernardes.
Ps. E aquele da área de esportes, Fernando Vanucci, por ter aparecido comendo biscoito durante a exibição do programa. Certamente deveria ser um biscoito da sorte com conteúdo de azar.


[ad#Retangulo – Anuncios – Duplo]

Big Brother Brasil: Boni pai contra Boni filho

Continua o blá, blá, blá contra, e sobre, um dos piores lixos exibidos pela televisão. A porcaria serve de munição para os “moralistas” clamarem por censura. Sou contra! Contra qualquer tipo de censura. Mesmo que seja para banir esse tipo de indigência mental.
Já a turma de stalinistas do PT se aproveita da porqueira pra voltar com o papo cínico do tal “controle social da mídia”. Argh!

Os melhores censores são a educação e o controle remoto.

Os iludidos tupiniquins não percebem que a celeuma foi criada para levantar, sem trocadilhos, por favor, o exaurido programa? Se o pornográfico voyerismo está no ar, é por que tem audiência.
Televisão é empreendimento capitalista e tem que dar lucro. Nenhum barão das comunicações está interessado em educação.
Deu lucro? Permanece no ar. Simples assim.

José Mesquita – Editor


Veja, com entrevista de Boni (pai), abala Boninho e BBB na Globo
O título, creio, é uma síntese do episódio impactante, na forma e no conteúdo, envolvendo o capítulo de domingo passado na edição do Big Brother Brasil levado ao ar no canal pago da Globo e que invadiu as telas da Internet e as primeiras páginas dos jornais de segunda-feira 17 de Janeiro.

Reportagem de Alessandra Medina, Marcelo Marthe e Leslie Leitão, revista Veja que circulou sábado, 22, e se encontra nas bancas, expõe claramente o avesso e os bastidores da sequência entre Daniel e Monique, e inclui uma entrevista com José Bonifácio Sobrinho, ex-diretor geral da Rede Globo, sobre o programa dirigido por seu filho.

“Aquilo, disse Boni, é TV de baixa qualidade”. Acho lógico prever o reflexo da matéria. Abalo atingindo o BBB e, principalmente, seu diretor. Difícil resistir aos fatos.Os repórteres de Veja penetraram nos bastidores do programa, ou foram levados a eles por guias qualificados da própria emissora. Relatam eles que, no momento em que os responsáveis pelo monitoramento do programa identificaram movimentos do casal sob o edredon felino, e felliniano, avisaram Boninho. O diálogo é transcrito entre aspas. Deixa seguir adiante, determinou o diretor, para ver o que vai dar. E assim, claro, foi feito. Nem poderia ser o contrário, por parte de subordinados que, evidentemente, não seriam loucos ao ponto de não respeitar a ordem de cima.

[ad#Retangulo – Anuncios – Esquerda]Na Rede Globo não tem conversa não. Se cumprem as ordens.Vejam só, por exemplo, que há alguns anos aconteceu com o repórter e apresentador esportivo Fernando Vanuchi. Num instante inusitado, entrou em cena comendo um biscoito. Demitido imediatamente, junto com o responsável pela edição que estava indo ao ar.

Logo, o diretor do Big Brother sabia muito bem o que se passava. Tanto ele quanto o apresentador Pedro Bial, também focalizado pelos repórteres da Veja. No outro lado das câmeras indiscretas, um espectador como outro qualquer, Boni, pai, condenava o que estava assistindo.

Dias depois afirmaria à Veja que não tem cabimento oferecer-se bebidas alcoólicas à vontade num recinto como o do BBB. Além do mais, para 16 participantes, oferecia-se somente 9 camas. Uma indução nítida para ser transportada a fronteira para o sexo.

O que você faria numa situação como a de domingo? – perguntaram os entrevistadores.Bonifácio Sobrinho respondeu: Cortava o álcool de todo mundo. Por motivos muito mais inocentes, já tirei do ar a Dercy Gonçalves, o Homem do Sapato Branco e até o Chacrinha, acentuou, lembrando seu tempo de diretor geral da Vênus Platinada.

A respeito da concepção do BBB, foi taxativo: Nunca investiria em um programa que escolhe pessoas esquisitas a dedo só para embriagá-las e depois vê-las em situações constrangedoras. Não falo por moralismo. O que me incomoda é televisão de baixa qualidade, de baixo nível – acrescentou.

O ex-diretor da Globo colocou, a meu ver, a questão essencial. O Big Brother, aliás modelo importado, no fundo é uma ratoeira. Oferece prêmio elevado em dinheiro e pode se tornar um rumo para o sucesso, como aconteceu em alguns casos. Na ratoeira, título aliás de uma peça de teatro, as pessoas tentam devorar-se umas às outras para chegarem ao final, ao prêmio, a um novo horizonte em suas vidas.Os esteriótipos se repetem.

Mas sempre haverá muitos homens e muitas mulheres motivados e impulsionados na busca do êxito, da notoriedade. Sem dúvida. É natural. O que não se pode considerar natural é a forma de se incentivar os personagens que surgem das sombras para se tornarem protagonistas insensatos de cenas que visam a audiência e maior faturamento publicitário.Faturamento do qual eles não participam.
Pedro do Coutto/Tribuna da Imprensa 

Tópicos do dia – 29/11/2011

07:52:05
‘New Yorker’ fará o perfil de Dilma

A presidenta Dilma Rousseff será tema de uma reportagem da revista norte americana “The New Yorker”, com o título “A Ungida”. A matéria trata do crescimento econômico do Brasil nos últimos anos, além do passado de militância da presidenta. Segundo a revista, Dilma recebeu a faixa presidencial contando com o apoio do ex-presidente Lula. “Até recentemente, o Brasil era um dos países menos escolarizados e de maior instabilidade econômica do mundo. Agora sua economia cresce muito mais rápido que a dos Estados Unidos”, diz o site da revista. O perfil de Dilma vai tratar até mesmo dos ministros demitidos durante seu governo. “Ninguém acredita que Rousseff é corrupta, mas ela trabalhou durante anos com algumas das pessoas que renunciaram”, diz a reportagem.
coluna Claudio Humberto

08:16:27
Vídeo sobre mudanças no Facebook desperta chuva de comentários preconceituosos.
Este vídeo já ultrapassou 400 mil visualizações no YouTube. Dos espectadores que votaram, quase 1.900 gostaram. Mais de 4.000 não gostaram.

09:33:54
Ministro Joaquim Barbosa conclui voto da Ficha Limpa

O ministro Joaquim Barbosa, do Supremo Tribunal Federal (STF), concluiu seu voto sobre a aplicação da Lei da Ficha Limpa a partir das eleições de 2012. No último dia 9, quando o caso estava em julgamento no plenário, Barbosa pediu vista do processo, suspendendo a decisão.
leia mais –>> aqui
Caronia Brígido, O Globo

14:34:10
Vixe!!! Algo assim na seara do Proconsult!
Collor desmente Boni sobre debate na TV em 1989 contra Lula. “Boni despirocou”, diz Collor.

Em entrevista ao repórter Nelson de Sá, da Folha, o ex-presidente Fernando Collor reagiu duramente a uma declaração de José Bonifácio de Oliveira Sobrinho, o Boni, ao canal GloboNews. Nela, o principal dirigente da Rede Globo durante a campanha presidencial de 1989 descreveu “palpites” que teria dado ao então candidato, antes do debate contra Lula que antecedeu o segundo turno da eleição.

Na entrevista, exibida pelo canal Globo News no último sábado, Boni conta que convenceu o então candidato a tirar a gravata, “botar um pouco de suor com uma glicerinazinha” e colocar pastas sobre o púlpito do candidato com supostas denúncias contra Lula, mas que estavam vazias.

Collor respondeu duramente, afirmando que nunca pediu para falar com Boni e sempre falava direto com Roberto Marinho, dono da emissora.

“Uma viajada na maionese” e “o Boni despirocou” foram algumas das reações do ex-presidente da República, que parece estar com a razão nesse entrevero, já que no debate Collor estava usando gravata e não parecia estar suado. Quem estava muito nervoso e suado era Lula, e isso todo mundo lembra.
Carlos Newton/Tribuna da Imprensa

14:33:23
Boni confessa manipulação do debate Lula x Collor na TV Globo


[ad#Retangulo – Anuncios – Duplo]

Olhe essa – TV Pública. Lula indica membros do conselho

Para fiscalizar a TV Pública, que o Governo Federal põe no ar ainda em 2007, o presidente Lula da Silva indicou os 15 membros do Conselho Curador da Empresa Brasil de Comunicação (EBC).

O ministro da Comunicação Social, Franklin Martins, disse que “os principais critérios que nortearam a escolha foram a pluralidade e a diversidade regional”.

O presidente do conselho será escolhido entre os membros através de votação. É provável que a escolha recaia sobre Luiz Gonzaga Belluzo, professor de economia da Unicamp.

Além dos 15 indicados por Lula, serão membros do conselho os ministros da Educação, Fernando Haddad, da Ciência e Tecnologia, Sérgio Resende, e da Cultura, Gilberto Gil, além do próprio ministro Franklin Martins. Haverá, ainda um representante dos funcionários.

Os 15 indicados pelo Presidente Lula, são: 

  1. Ângela Gutierrez, empresária e empreendedora cultural;
  2. Cláudio Lembo, ex-governador de São Paulo pelo DEM;
  3. Delfim Netto, ex-deputado federal do PMDB;
  4. Ima Vieira, diretora do Museu Emílio Goeldi;
  5. Isaac Pinhanta, professor indígena no Acre;
  6. José Bonifácio de Oliveira Sobrinho (Boni), proprietário da TV Vanguarda e consultor da TV Globo;
  7. José Martins, vice-presidente do Conselho de Administração da Marcopolo;
  8. José Paulo Cavalcanti Filho, advogado e especialista em legislação sobre imprensa;
  9. Lúcia Willadino Braga, diretora da Rede Sarah de Hospitais;
  10. Luiz Edson, professor de direito da Universidade Federal do Paraná;
  11. Luiz Gonzaga Belluzzo, professor de economia da Unicamp;
  12. Maria da Penha Maia, biofarmacêutica cearense, que ensejou a criação da lei que aumenta o rigor nas punições a agressões contra a mulher;
  13. MV Bill, rapper brasileiro;
  14. Rosa Magalhães, artista plástica e carnavalesca;
  15. Wanderley Guilherme dos Santos, professor aposentado da UFRJ.

Tem um “rapper”(?), mas não tem um ator?