Tópicos do dia – 25/09/2012

12:08:46
Um tucano surpreende no Recife.

O PSB pode ganhar no primeiro turno, mas em Recife a grande sensação das eleições é o candidato tucano Daniel Coelho. Ele ultrapassou o petista Humberto Costa e está em segundo lugar fazendo uma campanha diferente. Ele tem 35% das intenções de voto entre os jovens de 16 a 24 anos. Usa sandálias, veste-se como riponga, prega o fim do caciquismo e tem grande apoio da comunidade GLS.

Ele é a única estrela do programa de TV de sua campanha, em que não aparece qualquer dos figurões do partido, como o ex-presidente Fernando Henrique, o senador Aécio Neves (MG) ou o presidente nacional do PSDB, o deputado Sérgio Guerra (PE).
Ilimar Franco/O Globo

16:44:56
Apagão: deputado quer explicações sobre apagão de energia no Nordeste

O deputado Antonio Imbassahy (PSDB) prometeu nesta segunda-feira (24) cobrar explicações do Ministério das Minas e Energia e da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) sobre o apagão na tarde do último sábado (22) que atingiu sete estados. Segundo Imbassahy, o ministro Edison Lobão (Minas e Energia) já havia prometido que o fato não se repetiria porque o sistema elétrico brasileiro é “robusto” e “seguro”. “Um sistema robusto e seguro não desliga sete estados ao mesmo tempo. O ministro precisa nos informar sobre o que está acontecendo, porque alguma coisa não está funcionando bem”, disse o deputado. Imbassahy garante que vai se pronunciar sobre o tema amanhã (25) na Câmara e, logo em seguida, enviará um ofícios aos órgãos competentes pedindo as explicações.
coluna Claudio Humberto 


[ad#Retangulo – Anuncios – Duplo]

Energia elétrica: Privatização de FHC fez disparar o custo final ao consumidor

Robin Hood ao contrário, foi um dos legados da política de privatização do neoliberal privatista Fernando Henrique Cardoso.

O custo da energia elétrica para o consumidor do Maranhão, o Estado mais pobre, é 80% maior que o do Distrito Federal, que tem a maior renda per capita do Pais, e 49% mais alto que o de São Paulo, o Estado mais rico.

A constatação é da CPI da Conta de Luz na Câmara dos Deputados.

A Cia. Energética do Maranhão (Cemar), privatizada na era FHC, é da americana PPL Global.

No DF, a CEB ainda é estatal.


O presidente da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), Nélson Hubner, vai depor nesta quarta-feira na CPI da Conta de Luz.

Sempre bonzinho com distribuidoras privadas de energia, o presidente da Aneel foi diretor da Abradee, a associação das empresas do setor.

coluna Claudio Humberto

Anatel aprova uso de banda larga pela rede elétrica

A vantagem da rede elétrica é a cobertura, já que ela alcança 97% da população brasileira

O conselho diretor da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) aprovou as regras de uso da rede elétrica para acesso à internet em alta velocidade (banda larga). A relatora do assunto, conselheira Emília Ribeiro, disse que a medida vai estimular a competição no mercado e incentivar a expansão dos serviços para todo o País.

“Estamos fazendo a universalização de uma outra forma. Vamos alcançar a inclusão digital e social nas pontas”, disse Emília. Segundo a conselheira, o regulamento entra em vigor até a próxima quarta-feira (dia 8). A partir daí, a Anatel já poderá conceder licenças para prestar os serviços às empresas interessadas.

Para iniciar a operação, na opinião da Emília, as empresas deverão aguardar a definição de regras pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), cuja proposta ainda está em consulta pública e só será concluída no dia 31 de maio.

Tecnicamente, as redes das distribuidoras de energia elétrica estão prontas para prestar esse serviço. Seria necessário fazer algumas adaptações de baixo custo, como instalar roteadores nos postes para direcionar a transmissão de dados. O cliente, por sua vez, precisaria ter um modem, na casa ou no escritório, parecido com os aparelhos que as empresas de telefonia ou de TV a cabo usam para fornecer acesso à internet.

A velocidade de conexão desse tipo de tecnologia já começa com 20 megabits por segundo (Mbps), bem acima da capacidade dos serviços oferecidos hoje, que em geral vão até 10 Mbps.

A vantagem da rede elétrica sobre outras redes é a cobertura, já que ela alcança 97% da população brasileira. Hoje, apenas 5 milhões de pessoas ainda não têm acesso à energia elétrica no Brasil. Pelo programa do governo “Luz para Todos”, esse déficit deverá ser zerado até o fim do próximo ano.

Como as distribuidoras de energia estão proibidas por lei de prestar outros serviços além do fornecimento de eletricidade, elas terão de criar empresas específicas de telecomunicações para oferecer internet banda larga. A Aneel pretende exigir que a receita adicional das distribuidoras com o aluguel dos fios seja usada para baixar tarifas de energia.

Continue lendo