• mqt_for@hotmail.com
  • Brasil

Tablets: Análises do Surface, tablet da Microsoft, enaltecem seu design e criticam Windows RT

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Na manhã que sucede um dia marcado por lançamentos da Apple, a internet recebeu uma enxurrada de análises do tablet Surface, da Microsoft, que será lançado nesta quinta (26) por pelo menos US$ 499 (cerca de R$ 1.000).

As análises enaltecem a construção do aparelho, tida como muito bem elaborada, e a versatilidade da Touch Cover e da Type Cover, que servem de teclado e capa ao mesmo tempo.

Por outro lado, os textos execram a carência de aplicativos da plataforma Windows RT — versão do Windows 8 desenvolvida para tablets que usam processadores de celular.

Divulgação
Tablet Surface, da Microsoft, com a capa Touch Cover; kit sai por US$ 599, cerca de R$ 1.200, nos EUA
Tablet Surface, da Microsoft, com a capa Touch Cover; kit sai por US$ 599, cerca de R$ 1.200, nos EUA

David Pogue, do “New York Times”, compara o uso do Surface RT a “uma Ferrari que precisa ser reabastecida a cada cinco quilômetros.”[ad#Retangulo – Anuncios – Direita]

“No quesito hardware, a Microsoft foi brilhantemente bem-sucedida. Já o sistema é decepcionante, de cortar o coração.

As versões do Word, do Excel e do PowerPoint são usáveis, mas mal-acabadas. Não há Facebook, Spotify, Angry Birds, Instagram, Draw Something, por exemplo.”

É possível usar o Facebook — e praticamente qualquer outra rede social — no Surface RT por meio do navegador.

Para Mat Honan, da revista “Wired”, o aparelho deve ser encarado de maneira diferente. “Em algumas maneiras, é melhor que um iPad. Em outras, pior. É [um conceito] brilhante, mas que também pode ser enigmático.”

Honan elogia a Touch Cover. “É acoplada facilmente e é utilizável. Ainda que eu tenha sofrido muito com dores e erros de digitação, é fantástica.”

“As câmeras traseira e frontal [ambas com resolução 720p] são um lixo. Não outra maneira de dizê-lo. A qualidade delas se equipara à do Razr V3 [celular da Motorola de 2004], ainda que devam bastar para Skype.”

Peter Bright, do “Ars Technica”, diz que o Surface RT é “um ótimo tablet”, mas que a decisão de compra não deve situar-se acerca do aparelho, “mas no Windows RT”.

Divulgação
Surface tem sistema ainda pouco maduro, dizem análises
Surface tem sistema ainda pouco maduro, dizem análises

Bright acredita que o pezinho integrado e a Touch Cover e a Type Cover distinguem o Surface dos rivais. A tela, por outro lado, “chega até a ser melhor que a do iPad em determinadas circunstâncias, mas tem resolução inegavelmente baixa.”

A resolução da tela do Surface é de 1.366 x 768 pixels, ante 2.048 x 1.536 da dos iPads de terceira e quarta gerações.

Em um análise pouco subjetiva, o repórter de tecnologia da rede britânica BBC, Rory Cellan-Jones, disse que, “apesar de leve e fino dessa maneira, o teclado funciona. Acredite em mim.”

“Essa é provavelmente a coisa mais importante que a Microsoft já fez. E nos últimos anos, certamente. É um dispositivo muito atraente para quem quer mesclar o profissional com o pessoal”, diz Cellan-Jones.

Para Matt Burns, do “TechCrunch”, o “Surface não deve ser encarado como um tablet, mas sim como um computador. E isso não deve ser encarado como algo ruim.”

O potencial do Surface, para Sam Biddle, do “Gizmodo”, é “fantástico”. “Mas enquanto potencial vale sua atenção, não vale seu dinheiro.”
da Folha de S.Paulo

José Mesquita

José Mesquita

Pintor, escultor, gravador e "designer". Bacharel em administração e bacharelando em Direito. Participou de mais de 150 exposições, individuais e coletivas, no Brasil e no exterior. Criador e primeiro curador do Prêmio CDL de Artes Plásticas da Câmara de Dirigentes Lojista de Fortaleza e do Parque das Esculturas em Fortaleza. Foi membro da comissão de seleção e premiação do Salão Norman Rockwell de Desenho e Gravura do Ibeu Art Gallery em Fortaleza, membro da comissão de seleção e premiação do Salão Zé Pinto de Esculturas da Fundação Cultural de Fortaleza, membro da comissão e seleção do Salão de Abril em Fortaleza. É verbete no Dicionário Brasileiro de Artes Plásticas e no Dicionário Oboé de Artes Plásticas do Ceará. Possui obras em coleções particulares e espaços públicos no Brasil e no exterior. É diretor de criação da Creativemida, empresa cearense desenvolvedora de portais para a internet e computação gráfica multimídia. Foi piloto comercial, diretor técnico e instrutor de vôo do Aero Clube do Ceará. É membro da National American Photoshop Professional Association, Usa. É membro honorário da Academia Fortalezense de Letras.

Gostou? Deixe um comentário

José Mesquita

Pintor, escultor, gravador e “designer”.

Bacharel em administração e bacharelando em Direito.

Participou de mais de 150 exposições, individuais e coletivas, no Brasil e no exterior.

Mais artigos

Siga-me