Sylvia Plath – Versos na tarde


Espelho
Sylvia Plath ¹

Sou prata e exato. Eu não prejulgo.
O que vejo engulo de imediato
Tal qual é, sem me embaçar de amor ou desgosto.
Não sou cruel, tão somente veraz —
O olho de um deusinho, de quatro cantos.
O tempo todo reflito sobre a parede em frente.
É rosa, com manchas. Fitei-a tanto
Que a sinto parte de meu coração. Mas vacila.
Faces e escuridão insistem em nos separar.

Agora sou um lago. Uma mulher se inclina para mim,
Buscando em domínios meus o que realmente é.
Mas logo se volta para aqueles farsantes, o lustre e a lua.
Vejo suas costas e as reflito fielmente.
Ela me paga em choro e agitação de mãos.
Sou importante para ela. Ela vai e vem.
A cada manhã sua face reveza com a escuridão.
Em mim afogou uma menina, e em mim uma velha
Salta sobre ela dia após dia como um peixe horrendo.
(tradução de Vinicius Dantas)

¹ Sylvia Plath
* Massachusetts, USA – 27 de Outubro de 1932
+ Primrose Hill, Londres, Inglaterra – 11 de Fevereiro de 1963 d.C


[ad#Retangulo – Anuncios – Duplo]


Você leu?: Conceição Evaristo – A noite não adormece nos olhos das mulheres – Poesia


Postado na categoria: Literatura - Palavras chave: , ,

Leia também:

‘Gota d’água’: a Medeia de Chico Buarque em nova edição
‘Gota d’água’: a Medeia de Chico Buarque em nova edição

Medeia de Eurípedes é uma das primeiras manifestações artísticas

November 2, 2019, 12:02 pm
Pensar, faz bem!
Pensar, faz bem!

Amigos de verdade não precisam se falar sempre

October 26, 2019, 7:22 pm
Hannah Arendt - As coisas efêmeras são as mais necessárias
Hannah Arendt - As coisas efêmeras são as mais necessárias

Das coisas tangíveis, as menos duráveis são as necessárias

November 3, 2019, 6:00 pm
Nardélio Fernandes Luz - Querer e não querer - Poesia
Nardélio Fernandes Luz - Querer e não querer - Poesia

Se já me quis um dia, não responda, Querer e não querer, poesia de Nardélio Fernandes Luz versos

November 4, 2019, 5:30 pm
Quando Nietzsche chorou - Literatura
Quando Nietzsche chorou - Literatura

Reflita para que não pensem por você.

November 11, 2019, 6:58 pm
Eduardo Alves da Costa - Não te renda jamais - Poesia
Eduardo Alves da Costa - Não te renda jamais - Poesia

Procura acrescentar um côvado à tua altura.

November 6, 2019, 7:34 pm