Sá de Miranda – Comigo me desavim

Não posso viver comigo


Comigo me Desavim
Sá de MirandaGrafiti,Blog do Mesquita

Comigo me desavim,
Sou posto em todo perigo;
Não posso viver comigo
Nem posso fugir de mim.

Com dor da gente fugia,
Antes que esta assi crecesse:
Agora já fugiria
De mim, se de mim pudesse.
Que meo espero ou que fim
Do vão trabalho que sigo,
Pois que trago a mim comigo
Tamanho imigo de mim?


Você leu?: Manoel Caixa D’Água – Se as noites envelhecessem – Poesia


Postado na categoria: Literatura - Palavras chave:

Leia também:

Fernando Pessoa - Poesia
Fernando Pessoa - Poesia

Nesta quieta solidão sem fim

November 30, 2019, 8:15 pm
Lya Luft - Tão sutilmente em tantos breves anos - Poesia
Lya Luft - Tão sutilmente em tantos breves anos - Poesia

...que aos poucos dois são um, sem que no entanto

December 6, 2019, 8:00 pm
Francisco Carvalho - Discurso da Ira
Francisco Carvalho - Discurso da Ira

Os pobres estão se evaporando

November 13, 2019, 7:12 pm
Górgias de Leontinos – o pai da retórica
Górgias de Leontinos – o pai da retórica

Górgias excedeu o relativismo de Protágoras em direção ao niilismo

November 24, 2019, 12:00 pm
Albert Camus - Frase do dia
Albert Camus - Frase do dia

Amor e envelhecer

November 27, 2019, 10:00 am
Aristóteles - O motor não movido do mundo
Aristóteles - O motor não movido do mundo

O próprio tirano é escravo de sua ambição

November 13, 2019, 7:06 pm