Rui Knopfli – Poesia


Quem Somos
Rui KnopfliFotografias,Arte,Blog do Mesquita,Neblina,Flick

Quem somos, senão o que imperfeitamente
sabemos de um passado de vultos
mal recortados na neblina opaca,
imprecisos rostos mentidos nas páginas
antigas de tomos cujas palavras

não são, de certo, as proferidas,
ou reproduzem sequer atos e gestos
cometidos. Ergue-se a lâmina:
metal e terra conhecem o sangue
em fronteiras e destinos pouco

a pouco corrigidos na memória
indecifrável das areias.
A lápide, que nomeia, não descreve
e a história que o historia,
eco vário e distorcido, é já

diversa e a si própria se entretece
na mortalha de conjecturados perfis.
Amanhã seremos outros. Por ora
nada somos senão o imperfeito
limbo da legenda que seremos.


Você pode se interessar também sobre: Alexandre O’Neill – Versos na tarde – 24/07/2017


Fotografia Flickr

Postado na categoria: Literatura, Poesia - Palavras chave: ,

Leia também:

Micheliny Verunschk - Hieróglifo - Poesia

Na pedra da alma...

June 2, 2019, 8:27 pm
William Paley - Os truques do Discurso Político
William Paley - Os truques do Discurso Político

Os truques do Discurso Político   Parecemos estupefactos ao ver a multidão ser conduzida por meros sons, mas devemos lembrar-nos que, se os sons operam milagres, é sempre graças à...

March 8, 2019, 6:37 pm
Millor Fernandes - Frase do dia - 25/03/2015

"Alguns livros são do tipo que, quando você os larga, não consegue pegar mais". Millor Fernandes

March 25, 2015, 10:58 am
Mario Quintana - Versos na tarde - 15/02/2018

Poema Mario Quintana Quem ama inventa as coisas que ama... Talvez chegaste quando eu te sonhava. Então de súbito acendeu-se a chama. Era a brasa dormida que acordava

February 15, 2018, 9:00 pm
Dostoiévski - Prosa na tarde

Dostoiévski¹ "Entretanto, a despeito de toda a minha vontade, nunca pude imaginar que não existe vida futura nem providência. Ou melhor, que tudo isso existe mas que nada entendemos da...

November 17, 2008, 9:00 pm
Paul Verlaine - Versos na tarde - 24/04/2014

Poema Paul Verlaine¹ Antes de qualquer coisa, música e, para isso, prefere o Ímpar mais vago e mais solúvel no ar, sem nada que pese ou que pouse. E preciso...

April 24, 2014, 9:00 pm