Rosemary Noronha: a “Conceição” do Lula

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

 Anonimato Blog do MesquitaEnquanto a pátria de chuteiras — apud Nelson Rodrigues — se prepara para a copa, e se aguarda o desfile de silicone nas passarelas midiáticas do samba, me deparo com esse tipo de insensatez — tal e qual a Conceição — aquela que ninguém viu — cantada por Cauby Peixoto, me lembro do velho, mas sempre atual Rui Barbosa, que dizia da vergonha em ser honesto.

A omissão na Taba dos Tupiniquins é desonesta tanto quanto a omissão da mídia diante do “apagão” do comparecimento da “Rose” à vara da justiça.

Acho sim, que o Brasil está acabando.
José Mesquita – Editor
Ps. A Juíza autorizou a ‘Segunda Dama’ a utilizar o estacionamento do foro. Um privilégio que o ‘Zé das Couves’ e a Maria que sobe o morro com a lata d’água na cabeça não têm. 


A Rose do Lula parece com a Conceição do Cauby Peixoto, é do tipo ‘ninguém sabe, ninguém viu’.

Às vezes, sinto que o jornalismo está muito decepcionante. Vejam bem, Rosemary Nóvoa Noronha tinha de se apresentar segunda-feira à 5ª Vara Federal de São Paulo, e nenhum jornal, rádio ou televisão se interessou em saber se ela compareceu ou não. Isso mesmo: nenhum jornalista foi destacado para fazer plantão na 5ª Vara Federal e entrevistar a mulher mais procurada do Brasil, que todo mundo quer ver e apenas Lula tenta completamente distante dela.

Podíamos debochar, dizendo que já não se faz mais jornalista como antigamente, mas a realidade é ainda mais trágica. É uma grande verdade que os jornalistas estão perdendo a competitividade e a credibilidade. A inércia hoje fala mais alto. Por isso, se Rose compareceu ao cartório da 5ª Vara, conforme determinação da juíza Adriana Freisleben de Zanetti, foi igual à “Conceição” do Cauby Peixoto, ninguém sabe, ninguém viu.

Há quinze dias (Rose tem de comparecer toda quinzena) apenas O Globo se interessou em entrevistá-la. O repórter Thiago Herdy chegou na 5ª Vara Federal e foi informado de que ela já havia assinado o termo de comparecimento. Mas como Rose pôde entrar na Vara, sem que os jornalistas e funcionários do cartório a vissem?

É impossível que alguém consiga entrar ou sair de um cartório de Vara Judicial sem ser notado. A única explicação é que o comparecimento de Rose à 5ª Vara Federal está sendo fraudado. Ela não está se apresentando ao juízo. Algum serventuário, cooptado pelo defensor dela, tem levado o termo de comparecimento para que Rose o assine, em sistema “delivery”.

E o que a juíza Adriana Freisleben de Zanetti está achando disso tudo? Será que ela sabe que Rose está sendo favorecida para não precisar comparecer? Que país é esse, Francelino Pereira?

Fugindo da Imprensa

Assim como Rose, também seu companheiro de viagens internacionais está fugindo da imprensa. Desde a Operação Porto Seguro, no final de novembro, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva se esconde dos jornalistas. Na Europa, chegou ao cúmulo de fugir pela lavanderia do hotel de luxo, desculpem a vergonha que ele passou.

Semana passada, a cena se repetiu, Lula escapou pela saída dos fundos na Prefeitura de São Paulo, para não ter de prestar declarações à imprensa. O máximo que se conseguiu foi fotografá-lo na reunião com o Secretariado do prefeito Fernando Haddad.

Segunda-feira, mais um vexame. Depois de se exibir, discursando a porta fechadas num hotel de São Paulo, perante um grupo de “intelectuais e autoridades” sul-americanos, novamente saiu do encontro pelos fundos, evitando ser abordado pelos jornalistas. Desde novembro, ele só tem dado entrevista à TVT, uma emissora de TV criada pelos sindicatos ligados do governo.

Lula foge e se esconde porque não tem como explicar seu relacionamento com Rosemary. Logo que assumiu a presidência, em 2003, Lula transformou Rose numa mulher poderosa e influente. Além de torná-la chefe do Gabinete da Presidência em São Paulo e de nomear os parentes e amigos dela, Lula levou-a em visitas internacionais a 32 países, justamente nas viagens em que a primeira-dama Marisa Letícia não estava presente. Como explicar esse favorecimento?

Desde novembro, quando veio a público sua trajetória de amores proibidos e atos de corrupção, Rosemary está escondida em lugar ermo e não sabido. Não sai nem para ir ao salão de beleza, que freqüentava duas vezes por semana. Não pode ir a lugar nenhum. É como se fosse prisioneira, sofrendo mais do que o Conde Montecristo…
Carlos Newton/Tribuna da Imprensa

José Mesquita

José Mesquita

Nasceu em Fortaleza,Ce. Pintor, escultor, gravador e "designer". Bacharel em Administração, Ciências da Computação e bacharel em Direito. Pós-graduado em Direito Constitucional. É consultor em Direito Digital. Participou de mais de 250 exposições, individuais e coletivas, no Brasil e no exterior. Design Gráfico, já criou mais de 35 marcas, logotipos, logomarcas, e de livrosa de arte para empresas no Brasil e Exterior Criador e primeiro curador do Prêmio CDL de Artes Plásticas da Câmara de Dirigentes Lojista de Fortaleza e do Parque das Esculturas em Fortaleza. Foi membro da comissão de seleção e premiação do Salão Norman Rockwell de Desenho e Gravura do Ibeu Art Gallery em Fortaleza, membro da comissão de seleção e premiação do Salão Zé Pinto de Esculturas da Fundação Cultural de Fortaleza, membro da comissão e seleção do Salão de Abril em Fortaleza. É verbete no Dicionário Brasileiro de Artes Plásticas e no Dicionário Oboé de Artes Plásticas do Ceará. Possui obras em coleções particulares e espaços públicos no Brasil e no exterior. Foi diretor de criação da Creativemida, empresa cearense desenvolvedora de portais para a internet e computação gráfica multimídia. Foi piloto comercial, diretor técnico e instrutor de vôo da Ecola de Aviação Civil do Ceará. É membro da National American Photoshop Professional Association - NAPP, Usa. É membro da Academia Fortalezense de Letras e Membro Honorário da Academia Cearense de Letras. Autor de três livros de poesias - e outros quatro ainda inéditos; uma peça de teatro; contos e artigos diversos para jornais; apresentações e prefácios de publicações institucionais; catálogos e textos publicitários. Ministra cursos gratuítos de Arte e de Computação Básica para crianças e adolescentes em centros comunitários de comunidades carentes na periferia das cidades.

Gostou? Deixe um comentário

José Mesquita

Pintor, escultor, gravador e “designer”.

Bacharel em administração e bacharelando em Direito.

Participou de mais de 150 exposições, individuais e coletivas, no Brasil e no exterior.

Mais artigos

Siga-me