Reflexões – Filosofia


A Ira Nunca é Súbita

A ira nunca é súbita. Nasce de um longo roer precedente, que ulcerou o espírito e nele acumulou a força reactiva necessária para a explosão. Daqui resulta que um belo acesso de cólera não é, de forma alguma, sinal de uma índole franca e directa. É, pelo contrário, revelação involuntária de uma tendência para nutrir dentro de si o rancor – isto é, de um temperamento fechado, invejoso, e de um complexo de inferioridade. 
O conselho de «estar em guarda contra quem nunca se irrita», significa, portanto, que – todos os homens, acumulando inevitavelmente ódio – convém ter especial cuidado com os que nunca se traem por acessos de ira. Quanto a ti, não fazes mal em ser insicero no teu remoer interior, mas em te traíres na explosão. 

Cesare Pavese, in ‘O Ofício de Viver’ 

Postado na categoria: Filosofia, Literatura - Palavras chave: , ,

Leia também:

Thomas de Aquino - O livre-arbítrio
Thomas de Aquino - O livre-arbítrio

Do contrário, conselhos, exortações, ordens, proibições

August 20, 2019, 3:31 pm
Cesare Pavese - A nossa arte
Cesare Pavese - A nossa arte

A arte de mergulhar fulminante e profundamente na dor

August 17, 2019, 6:34 pm
Marcel Proust - Mentimos para proteger o nosso prazer
Marcel Proust - Mentimos para proteger o nosso prazer

Mentimos para Proteger o nosso Prazer A mentira é essencial à humanidade. Nela desempenha porventura um papel tão importante como a procura do prazer, e de resto é comandada por...

August 16, 2019, 11:00 am
Alexander Pushkin - A minha biblioteca é o meu harém
Alexander Pushkin - A minha biblioteca é o meu harém

Os livros dão-me confiança pela sua disponibilidade

August 24, 2019, 7:25 pm