Petrarca – Fragmento do “Canzoniere”


Soneto
Fragmento do “Canzoniere”
Petrarca ¹Poesia,Literatura,Blog do Mesquita

Bendito o dia e o mês, o ano e a estação,
e o tempo e a hora e o ponto e o bel país,
e esse lugar, onde alcançar me fiz
por belos olhos pondo-me em prisão;

e bendita a primeira turvação
que por ligado a Amor tive infeliz,
e o arco e as setas que a pungir-me quis
e as chagas vindo ao fim ao coração.

Bendita tanta voz que em chamamento
do nome a minha dama eu espalhei,
e suspiros, desejos e lamento;

e benditos papéis em que ganhei
a fama que hoje tenho e o pensamento
que é tão bela que a mais nenhuma o dei.


Você leu?: Konstantinos Kaváfis – À Espera dos Bárbaros – Poesia


¹ Francisco Petrarca
* Arezzo, Itália – 20 de Julho de 1304 d.C
+ Pádua, Itália – 19 de julho de 1374

Postado na categoria: Literatura, Poesia - Palavras chave: ,

Leia também:

Hannah Arendt - Bondade e sabedoria devem ser inocentes
Hannah Arendt - Bondade e sabedoria devem ser inocentes

Filosofia:O amor à sabedoria e o amor à bondade

October 7, 2019, 6:16 pm
José Mesquita - O ofício da paixão
José Mesquita - O ofício da paixão

Um só poema/Para te fazer sonhar

October 9, 2019, 7:00 pm
Fernando Pessoa - Arte e Sensibilidade
Fernando Pessoa - Arte e Sensibilidade

A sensibilidade é pessoal e intransmissível

September 29, 2019, 7:02 pm
Arthur Schopenhauer - As limitações do interlocutor
Arthur Schopenhauer - As limitações do interlocutor

Ninguém pode ver acima de si

October 10, 2019, 8:43 pm
Karl Popper - Estado e Tirania - Filosofia
Karl Popper - Estado e Tirania - Filosofia

Mesmo se o Estado defende os seus cidadãos

October 4, 2019, 7:25 pm
Samuel Beckett - Instante - Poesia
Samuel Beckett - Instante - Poesia

Quando o ser só dura um instante

October 19, 2019, 7:40 pm