Paul Verlaine – Poesia


O Meu Sonho Habitual
Paul VerlaineArtes Plásticas,Pinturas,Blog do Mesquita,Malcom Liepke,2009

Tenho às vezes um sonho estranho e penetrante
Com uma desconhecida, que amo e que me ama
E que, de cada vez, nunca é bem a mesma
Nem é bem qualquer outra, e me ama e compreende.

Porque me entende, e o meu coração, transparente
Só pra ela, ah!, deixa de ser um problema
Só pra ela, e os suores da minha testa pálida,
Só ela, quando chora, sabe refrescá-los.

Será morena, loira ou ruiva? — Ainda ignoro.
O seu nome? Recordo que é suave e sonoro
Como esses dos amantes que a vida exilou.

O olhar é semelhante ao olhar das estátuas
E quanto à voz, distante e calma e grave, guarda
Inflexões de outras vozes que o tempo calou.


Você pode se interessar também sobre: Respeito – Frase do dia – 01/07/2017


Tradução de Fernando Pinto do Amaral

Pintura Malcom Liepke,2009 – Detalhe

Postado na categoria: Literatura, Poesia - Palavras chave: ,

Leia também:

Paixão - Frase do dia - 06/11/2016

Paixão é quando a pessoa que te faz dormir é a mesma que te tira o sono.

November 6, 2016, 9:00 am
Marques de Maricá - Frase do dia - 19/01/2013

"A civilização moderna tem reduzido o número dos tolos, mas aumentado proporcionalmente o dos velhacos." Marquês de Maricá

January 19, 2013, 10:02 am
Claes Andersson - Versos na tarde - 01/09/2017

Não se preocupam com os meios Claes Andersson ¹ Tem cuidado com aquele que diz representar a voz de muitos. Talvez seja verdade. Tem cuidado com aquele que diz que...

September 1, 2017, 9:00 pm
Clarice Lispector - Frase do dia - 25/07/2015

"O que nos salva da solidão é a solidão de cada um dos outros. Às vezes, quando duas pessoas estão juntas, apesar de falarem, o que elas comunicam uma à...

July 25, 2015, 10:58 am
Mia Couto - Versos na tarde

Saudade Mia Couto ¹ Magoa-me a saudade do sobressalto dos corpos ferindo-se de ternura sói-me a distante lembrança do teu vestido caindo aos nossos pés Magoa-me a saudade do tempo...

June 5, 2011, 9:00 pm
Maiakovsk - Versos na tarde - 01/03/2015

E então que quereis?... Maiakovsk ¹ Fiz ranger as folhas de jornal abrindo-lhes as pálpebras piscantes. E logo de cada fronteira distante subiu um cheiro de pólvora perseguindo-me até em...

March 1, 2015, 9:00 pm